Como estimular a capacidade motora dos bebês?

08 Janeiro, 2017
Ainda quando as crianças pequenas precisam de seu tempo para ir mostrando um progresso no domínio de novas habilidades, a ajuda dos pais pode acelerar este processo e torná-lo muito mais simples.

Estimular a capacidade motora dos bebês bem cedo lhes facilita seu desenvolvimento psicomotor. O desenvolvimento psicomotor começa desde quando as crianças abrem seus olhos ao mundo; porém, nem todos avançam ou vencem suas diferentes etapas ao mesmo tempo.

Muitas crianças levantam a cabeça, se viram na cama, engatinham, pegam objetos ou andam antes do que outras. Então, como estimular a capacidade motora dos bebês? Lhe respondemos: com exercícios.

Exercícios para estimular a capacidade motora dos bebês

Apesar de que cada pequenino viva as etapas de sua maneira existem exercícios que servem para despertar e incrementar o domínio de seus movimentos.

A seguir, explicamos alguns deles.

Estímulos para o controle cefálico

Para incentivar que a criança levante a cabecinha e a gire para diferentes lados, deite-a de barriga para baixo sobre uma superfície dura. Delicadamente e com ambas as mãos  tente mover sua cabecinha para a direita, para frente e para a esquerda. Repita o exercício em sentido contrário.

shutterstock_162121562

Outro incentivo para por em prática centra-se em colocar diversos brinquedos com cores intensas diante e dos lados do bebê deitado de barriga para baixo. Como as cores chamarão sua atenção o bebê tentará levantar a cabeça para vê-las.

Ambos os estímulos além de dar ao bebê controle de sua cabeça, fortalecerão suas costas e farão com que comece a reconhecer suas extremidades superiores.

Estímulos para girar

Outra das etapas que um bebê deve vencer é a de girar. Para conseguir isso, enquanto estiver no berço, não importa se deitado de barriga para baixo ou para cima, deve virar sua cabecinha, levantar os bracinhos, cruzar um dos pés e girá-lo.

Esta é a primeira rotina de sua vida que precisa de movimentos coordenados, e por onde, lhes é um tanto difícil. Porém, a medida que os pratica a criança aprende como fazer até dominar por completo.

Assim como na etapa anterior, coloque objetos chamativos perto dele. O bebê tentará virar para pegar os brinquedos ao seu redor.

Estímulos para se sentar

Com a finalidade de que o pequeno se sente, deite-o de barriga para cima sobre uma superfície dura, pegue-o pelas mãozinhas e levante seu tronco pouco a pouco, até conseguir que chegue à posição de sentado.

Durante esta etapa o bebê deverá aprender a se equilibrar. Por isso sente-o e segure-o pelo quadril, assim fortalecerá seu tronco, seu pescoço e os músculos das costas.

Estímulos para engatinhar

Todas as crianças engatinham de forma diferente. Há algumas que nunca conseguem fazê-lo da maneira convencional: de quatro; em contrapartida, são muito rápidos se arrastando pelo chão sentados de bunda, sempre com um pezinho à frente que funciona como motor de impulso.

Mas seja qual for a posição que seu filho adote, engatinhar significa um grande avanço. Incentive-o a se deslocar colocando-o de quatro, primeiro, em cima de um colchão, depois, no chão.

Sente-o sobre superfícies duras, pode ser no chão. Coloque vários brinquedos quase ao alcance de sua mão. Imediatamente a criança se dará conta de que para pegá-los deverá se deslocar para frente e fazer um esforço extra.

Por meio do engatinhar, a criança começará a ter o controle de seu corpo e a aprender a se deslocar por toda a casa para explorar o lugar onde vive.

Estímulos para caminhar

Toda vez que a criança dominar o engatinhar você notará que pouco a pouco essa habilidade se tornará pequena e que, de alguma forma tentará se erguer para alcançar os objetos decorativos e os móveis da casa.

Nosso conselho? Assim como fez durante as outras etapas, aproveite a curiosidade do bebê e coloque objetos chamativos acima de sua cabecinha, incentive-o com palavras para que os alcance e pegue-os com as mãozinhas até que fique de pé.

Toda vez que conseguir parar e se manter em equilíbrio o bebê estará pronto para dar seus primeiros passos. Com este objetivo lhe recomendamos que pegue-o pelas mãozinhas, fique atrás dele e, com a ponta de seus pés, empurre levemente o bebê pelos calcanhares, induzindo-o a avançar.

Se você desejar, use uma contagem de “um, dois; um, dois” a medida que coloque um pezinhos e outro para frente. Lhe asseguramos que esta é uma técnica efetiva que, para sua surpresa, o bebê vai querer fazer com frequência. Assim, aprenderá a caminhar em pouco tempo.

shutterstock_319022582-500x334

Nos primeiros anos de vida um ser humano adquire habilidades que o formará como homem mais maduro e lhe permitirá se adequar ao mundo que lhe rodeia.

Da mesma forma, estas destrezas serão a janela de entrada de outras habilidades mais sofisticadas.

  • Salinas, Z. B., & Alvarado, J. M. (2015). Estimulación temprana para potenciar la inteligencia psicomotriz: importancia y relación/Importance and relationship in early stimulation to enhance psychomotor intelligence in infants. Ciencia Unemi, 8(15), 110-118. http://181.188.214.100/ojs/index.php/cienciaunemi/article/view/205
  • Cano, G. I. (2014). Estimulación temprana en el desarrollo infantil.
  • Evangelista Sánchez, C. (2014). Estimulación temprana en la práctica psicomotriz.https://www.recercat.cat/handle/2072/243603
  • Cabrera, M.C. y Sánchez C. (1982). La estimulación precoz; un enfoque práctico. Editorial Siglo XXI: España.
  • Dorance, S. y Matter, P. (2001). Juegos de estimulación para los más pequeños. Madrid: AKAL.
  • Gallahue, D. (1982). Understanding motor development in children. New York: John Wiley and sons.
  • Guerrero, A. M., & Primaria, I. Y. (n.d.). La estimulación temprana. https://archivos.csif.es/archivos/andalucia/ensenanza/revistas/csicsif/revista/pdf/Numero_14/AMALIA_MORENO_1.pdf
  • Moreno, J. A. (1999). Motricidad infantil. Aprendizaje y desarrollo a través del juego. Murcia: Diego Marín.
  • Moreno, J. A., & De Paula, L. (2006). Estimulación de los reflejos en el medio acuático. Revista Iberoamericana de Psicomotricidad y técnicas corporales, 6(2), 193-206. https://www.um.es/univefd/reflejos.pdf
  • Ordoñez, M. y Tinajero, L. (2012). La importancia de la estimulación temprana en la etapa infantil. Madrid, 208-240.