Estou admirando você mamãe: quando o recém-nascido te descobre

8 de agosto de 2018
Poucos momentos são tão maravilhosos como quando nos conectamos visualmente com nossos filhos recém-nascidos.

No instante em que seu bebê está olhando para você, surgem múltiplas sensações, mas… o que realmente eles estão olhando? Eles conseguem diferenciar o rosto da mamãe do rosto dos outros membros da família?

A vista e os olhos de um bebê passam por muitas mudanças ao longo dos 6 primeiros meses de vida. Prestar atenção em cada nuance, na forma que ele encara os objetos, é algo em que devemos ficar atentas. Porque os olhos são esse canal imprescindível e maravilhoso a partir do qual nossos filhos podem descobrir o mundo.

No entanto, temos certeza de que você não vai se surpreender ao ficar sabendo desta informação. Durante as primeiras semanas de vida de uma criança, somente existem dois aspectos imprescindíveis nos quais ela pode fixar toda sua atenção: você e o leite. Tanto uma coisa quanto a outra simbolizam esse instinto primário de sobrevivência. Entretanto, também vai acontecer outra coisa fascinante.

Seu filho vai definir seu rosto como algo significativo no cérebro dele. À medida que ele observa mais vezes seu rosto, mais vai procurar você e mais vai ficar feliz em te ver. O instinto de sobrevivência se combina, portanto, com o poder dos afetos. Esse vínculo é algo que não vai se perder nunca.

Hoje, neste espaço, convidamos você a descobrir diversos aspectos da visão dos bebês que certamente são de grande ajuda.

Estou olhando para você, mamãe, porque você está perto de mim

A visão dos bebês é geneticamente programada para se conectar com as pessoas e, em especial, com seus progenitores. Os recém-nascidos possuem de uma visão muito borrada para grandes distâncias. Eles não enxergam claramente os objetos que estão situados a mais de 30 ou 40 cm de distância do rosto.

A pouca acuidade visual para longas distâncias nos primeiros momentos da vida também corresponde a um instinto de sobrevivência: reduzir o estresse, o medo e a ansiedade para poder se concentrar no que é mais importante, os rostos que o rodeiam, o seio da mamãe ou a mamadeira.

Vamos descobrir a seguir mais detalhes interessantes.

olhos de um bebê

O recém-nascido estabelece um rápido contato visual com sua mãe

  • Ele está olhando você, a observa e sabe quem você é. Poucas coisas são tão importantes quanto permitir a existência de um encontro íntimo e prolongado entre a mãe e o filho logo após o parto. Não é somente o primeiro contato visual. O contato pele com pele confere segurança. Além disso, diminui o estresse e cria esse primeiro vínculo entre ambos.
  • Os rostos estão cheios de fantásticos estímulos para um recém-nascido. Há uma boca que emite sons, olhos que observam e se movem e um rosto com contornos que delimitam tudo o que é importante para um bebê.

Isso é algo fantástico para os dois.

Meu bebê fica vesgo

Não se preocupe, isso é algo completamente normal. Durante os primeiros 6 meses de vida de um bebê, ficar vesgo é algo comum. O cérebro do pequeno “está aprendendo” a fixar a atenção e deve amadurecer esse processo que, mesmo que não pareça, é extremamente complexo.

  • É comum ver os bebês ficarem vesgos durante as primeiras 2 ou 4 semanas de vida. A visão deles ainda não é suficientemente precisa. É comum, em algumas situações, ficarmos um pouco assustados ao ver como os olhos do bebê se cruzam.
  • Temos que levar em consideração que a maior parte do desenvolvimento visual de uma criança acontece no cérebro, não nos próprios olhos.
  • Dessa forma, um dos maiores desafios para o cérebro em desenvolvimento é coordenar os sinais visuais de um lado ao outro. Os sinais nervosos dos olhos viajam por meio dos nervos óticos e se separam para os dois lados do cérebro.

É um processo muito complexo que exige tempo, para que, finalmente, exista uma coordenação adequada de cada olho na direção adequada.

olhos de um bebê

Principais momentos de amadurecimento na visão de um bebê

  • Aos dois meses, nos encantamos apenas de ver que nossos filhos nos olham no rosto, que estão nos observando entre sorrisos ou que querem pegar com muito interesse aquele brinquedo que estamos mostrando, olhando da esquerda para a direita. No entanto, o nível de atenção dele não se mantém por muito tempo.
  • Aos dois ou três meses, um bebê é capaz de distinguir rostos e de se assustar com estranhos que nunca viu.
  • É nessa idade que o bebê mais vai desfrutar dos estímulos visuais, dos móbiles em cima do berço, por exemplo. No entanto, já que o nível de atenção diminui com facilidade, ele vai adorar qualquer estímulo inovador e divertido que você oferecer.
  • O próximo grande marco visual acontece aos 6 meses de idade. É nesse momento que os 2 lados do cérebro já estão em um ótimo nível de coordenação e amadurecimento.
  • As crianças nessa idade são muito curiosas, prestam atenção, descobrem as coisas e, o mais importante, a coordenação delas está perfeita. Podemos cobrir um olho e com o outro o bebê vai continuar buscando um estímulo. No entanto, se seu filho já tem 6 ou 7 meses e você continua percebendo que ele fica um pouco vesgo ou que um dos olhos não se mantém na direção certa, não hesite em consultar seu pediatra e seu oftalmologista. 

A cor dos olhos de um bebê

Existe um mito muito comum. É aquele, que todos nós já escutamos tantas vezes, que nos diz que a cor azul dos olhos de um bebê se deve ao fato de que ainda se alimenta com leite materno.

olhos de um bebê

  • Não há base científica para acreditar nesse pressuposto. Não é verdade. A cor da íris, da mesma forma que a dos pelos e a cor da pele, depende de uma proteína chamada melanina.
  • Quando um bebê nasce é comum que seus olhos sejam cinza ou azul. Isso acontece porque ele passou muito tempo em um ambiente escuro e seus melanócitos ainda não estão maduros. É um processo que requer um tempo determinado e cujas mudanças vamos observar todos os dias.
  • Esse processo de amadurecimento e de mudança ou não da cor dos olhos de um bebê acontece de forma diferente em cada criança e depende da genética. No entanto, aos 6 meses a coloração do olho começa a se definir e irá se tornar definitiva aos dois anos de idade.

Para concluir, poucas coisas são tão mágicas quanto esse momento no qual nos damos conta de que nosso bebê está nos olhando. Ele sabe que somos alguém importante para ele, que precisa de nós e que pouco a pouco vai descobrir muito mais coisas sobre nós e o ambiente que o cerca.

Não se descuide do cuidado com os olhos do seu bebê. Perante qualquer pequena anomalia, não hesite em consultar um bom pediatra.