Benefícios da amamentação para a mãe e o filho

· 13 de janeiro de 2017

São muitas as mães que não sabem se darão o peito aos seus filhos para amamentá-los ou se irão dar leites formulados.

Há mães que não podem amamentar seus bebês por motivos diversos e não devem se sentir culpadas, sendo esta uma decisão pessoal que cada mulher deve tomar de forma privada e que depende de seus valores ou de sua condição médica.

Mas o que está certo é que a amamentação tem grandes benefícios tanto para a mãe quanto para o filho.

Mas também há outras mães que podem e querem  amamentar para seus bebês desde o nascimento porque sabem de todos os benefícios que o leite materno oferece às crianças.

Mas se você não sabe quais podem ser os benefícios que a amamentação tem para o seu filho, continue lendo! Pois além de ser bom para o seu bebê, também é para você. Quer saber quais são?

O leite da amamentação se adapta às necessidades do bebê

O leite materno se adapta às demandas e às necessidades nutricionais do bebê. Assim, quanto mais se alimenta maior será a produção de leite da mãe e assim poderá alimentar melhor o seu bebê. É por isso que é tão importante que os bebês possam se alimentar a vontade porque desta forma o leite materno irá gradualmente se regular.

Menor risco da Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI)

A Síndrome da Morte Súbita Infantil é uma realidade e muitas famílias se vêem destruídas quando um bebê morre por causa da SMSI, mas graças à amamentação se reduz pela metade as chances de a síndrome ocorra a um bebê.

Menos doenças com a amamentação

O leite materno na alimentação dos bebês também os ajuda a reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas como diabetes tipo I, doença celíaca e doença de Crohn. Vale a pena alimentar o bebê com a amamentação apenas para evitar estas doenças!

Melhor recuperação pós-parto graças à amamentação

Uma mulher que amamenta seu bebê terá uma melhor e mais rápida recuperação no pós-parto, melhor cicatrização das feridas do parto ou da cesariana.

Quando o seu bebê é amamentado faz com que o útero se contraia e que se reduza a quantidade de sangue que se perde na quarentena.

Além disso, a amamentação ajudará o seu útero a voltar ao seu tamanho normal mais rapidamente (em cerca de seis semanas, quando não se amamenta são 10 semanas de recuperação).

Ossos mais fortes

As mulheres que amamentam têm menos risco de sofrer osteoporose pós-menopausa. Quando uma mulher está grávida e depois amamenta seu corpo absorve o cálcio de maneira muito mais eficiente.

Assim, enquanto alguns ossos como os da coluna vertebral e os quadris podem ser menos densos ao desmame, seis meses mais tarde serão mais fortes do que antes da gravidez.

Queimam calorias extras

As mulheres quando estão grávidas geralmente ganham alguns quilos extras que depois custam bastante para perder.

Mas quando se amamenta o bebê algumas calorias extras são queimadas por dia, por isso é positivo para recuperar o peso mais cedo se uma dieta equilibrada é mantida. O habitual é que sejam queimadas cerca de 500 calorias extras por dia.

Isso poderá ajudá-la a voltar ao seu peso, mas você sempre deve estar ciente que tem que manter um estilo de vida saudável para conseguir isso.

Menos probabilidades de sofrer depressão pós-parto

A depressão pós-parto é uma realidade que muitas mulheres sofrem depois de ter seu bebê e começar a ver que tudo fica cinza em suas emoções.

Mas uma mulher emocionalmente saudável pode lutar contra isso e se amamenta a oxitocina gerada ao alimentar o bebê vai ajudar a manter os hormônios bem controlados e depressão pós-parto não irá se tornar protagonista na vida da mãe.

Como você pode comprovar são muitos os benefícios para o bebê e especialmente para a mãe o fato de amamentar e contar com a lactação materna como principal alimentação  dos bebês.

Mas amamentar ou não é uma decisão pessoal que uma mãe deve tomar de forma privada, será seu instinto quem lhe guiará a tomar a decisão certa.

Recomendados para você