Estudo sobre o bruxismo infantil

· 4 de setembro de 2017

O bruxismo é uma desordem funcional que ocorre em muitas crianças. Embora o termo não seja conhecido por muitas pessoas, todos sabemos o que do que se trata. É o ranger dos dentes, o reflexo de apertar os dentes enquanto dormimos. Essa desordem afeta cerca de 20% das crianças, número equivalente ao da incidência em mulheres grávidas.

Ouvir que as crianças rangem os dentes pode ser preocupante para alguns pais. O desconhecimento sobre o assunto pode deixar os pais em estado de alerta. O barulho dos dentes que rangem durante a noite pode ser bem alto e assustador.

Não se preocupe. Embora pareça que os dentes vão quebrar, isso não vai acontecer. No entanto, se o bruxismo for prolongado, podem ocorrer danos no esmalte dos dentes. O ranger dos dentes é uma ação totalmente involuntária, mas em crianças pequenas pode causar dor de cabeça, dor de ouvido, pescoço e até da estrutura mandibular.

Causas do bruxismo

Ranger os dentes enquanto dormimos não parece ter um propósito funcional. Até agora, é conhecido como um reflexo involuntário que pode chegar a beirar o hábito. Nas crianças é mais comum que ocorra durante à noite, e pelo menos dois tipos são identificados:

  • Bruxismo cêntrico: é quando o ocorre o aperto da mandíbula. É mais frequente observar durante o dia, principalmente em crianças que não estão conscientes desse hábito
  • Bruxismo excêntrico, quando ocorre o ranger dos dentes. Pode ocorrer tanto de dia quanto de noite, com a mesma frequência.

As causas do bruxismo podem ser pelo menos duas: física e psicológica. Quando a causa é psicológica está relacionada à tensão ou estresse emocional. É comum entre as crianças que sofrem de hiperatividade ou ansiedade. Geralmente essas crianças estão nervosas e trocam constantemente de uma atividade para outra.

Enquanto as crianças estão ativas podem apertar suas mandíbulas ou raspar os dentes. No entanto, isso pode piorar ainda mais quando elas vão para a cama. Essas crianças continuam com a mesma energia enquanto dormem, o que reflete no bruxismo. Apesar disso, a ansiedade ainda é a causa mais frequente do bruxismo.

A verdadeira riqueza é a saúde, e não peças de ouro e prata

-Mahatma Gandhi-

Quando nos referimos às causas físicas, o bruxismo é um sintoma que acompanha a dor de ouvido ou de cabeça. Também é comum durante a dentição, quando os dentes estão nascendo ou caindo, o que pode incomodar. Além disso, os novos dentes interferem na forma como as crianças fecham a boca devido à nova estrutura dentária.

Algumas crenças dizem que esta desordem é causada por parasitas no intestino da criança, na qual manifesta o seu desconforto rangendo os dentes.

Como o bruxismo infantil é tratado?

Embora esse problema cause alarme ou desconforto não costuma ser levado ao médico. Às vezes pode ser um transtorno passageiro, por exemplo, se for causado por alguma doença poderá acabar quando a criança sarar. Para melhor clareza devemos observar se o bruxismo coincide com as descrições das causas mencionadas anteriormente.

O problema também pode ser diagnosticado mediante um exame odontológico, mesmo quando ainda não parece nada demais. Se a criança apresentar ferimentos mais graves é preciso buscar um tratamento específico, mas se por outro lado os sintomas forem mais leves, isso não será necessário.

De qualquer forma, os especialistas geralmente indicam tratamentos para aliviar a ansiedade. O bruxismo também pode ser tratado por meio de terapia antiestresse que não seja invasiva. Geralmente, é recomendado a realização de atividades que façam as crianças relaxarem e se distraírem.

A principal recomendação é canalizar a sua ansiedade e, acima de tudo, evitar que a criança vá para a cama ansiosa, irritada ou triste. Além disso, é aconselhável acalmar seus nervos para que ela fique menos preocupada com o seu problema, e que a deixa mais ansiosa.

Normalmente se sugere tratar mais as causas do que o bruxismo em si, porque nem sempre prejudica os dentes. Em um caso mais grave seria quando o bruxismo afeta o músculo da mandíbula. Nestes casos, uma tala protetora pode ser colocada para evitar lesões permanentes.

Finalmente, a ideia de que a desordem poderia ser causada por causa de parasitas deve ser excluída. Não existe evidência científica de que exista uma relação entre as duas coisas, embora possa coincidir em muitos casos. Os especialistas acreditam que quando o bruxismo ocorre nessa situação é porque já havia uma predisposição na criança.