Estudo afirma que filhos únicos têm uma mente mais flexível

O cérebro dos filhos únicos é diferente do das crianças que crescem com seus irmãos, segundo um artigo publicado na revista Brain Imaging and Behavior.

Esse artigo faz referência a um estudo chinês que afirma que os filhos únicos possuem a área do cérebro dedicada à linguagem mais desenvolvida. Mas, ao mesmo tempo, a área relacionada à regulação das emoções é menos desenvolvida.

Um grupo de pesquisadores da Universidade do Sudoeste em Chongqing, China analisou 303 jovens chineses. No total, foram 126 filhos únicos e 177 que têm irmãos. Todos foram submetidos a testes que medem a inteligência, a criatividade e a personalidade. Os cientistas também analisaram o formato do cérebro dos participantes do estudo por meio das imagens obtidas em ressonâncias magnéticas.

Após analisar os resultados, os pesquisadores se deram conta de que o cérebro dos filhos únicos tem uma região superdesenvolvida e outra pouco desenvolvida.

Isso se deve principalmente ao fato de que os meios familiares em que os indivíduos crescem afetam o desenvolvimento da estrutura cerebral e condicionam a personalidade.

Os filhos únicos são muito criativos

filhos únicos e as brincadeiras

Os pesquisadores não encontraram diferenças em relação ao quociente de inteligência (Q.I.), mas concluíram que os filhos únicos têm maior quantidade de massa cinzenta na área do cérebro associada à linguagem, à flexibilidade, à imaginação e ao planejamento.

Isso acontece em grande parte devido à atenção dedicada a essas crianças pelos seus pais e suas mães. Isso significaria que, de certo modo, a criatividade desenvolvida pelas crianças depende das expectativas e da atenção proporcionadas pelos pais.

Não protejam seus filhos das dificuldades da vida, é melhor ensiná-los a superá-las

 –Louis Pasteur –

Da mesma maneira, o estudo evidencia que os filhos únicos analisados têm um córtex frontal menor que o da média. Essa região do cérebro está associada à regulação das emoções e, por isso, eles obtiveram resultados piores em relação à amabilidade se comparado aos filhos que têm irmãos.

Os pesquisadores chineses afirmaram que essas características poderiam sugerir que um meio social mais solitário produziria essas diferenças. Isso também tem relação com os baixos níveis de empatia registrados em outros testes.

Outros aspectos dos filhos únicos

Por sua vez, a razão pela qual filhas e filhos únicos são considerados menos simpáticos poderia ser o resultado da atenção excessiva por parte dos pais, das mães e do resto da família. Nesses casos, meninas e meninos tendem a ficar menos expostos a grupos sociais externos e se concentram mais em atividades solitárias.

Segundo o artigo publicado, isso faz com que apresentem “características de personalidade indesejáveis”, como a dependência, a falta de amabilidade, o egoísmo e a inaptidão social.

“Devido à ausência de irmãos, os filhos únicos geralmente perdem oportunidades importantes quanto às relações sociais. Eles não desenvolveram habilidades psicossociais nem habilidades de apoio emocional”, afirmam os especialistas.

Também é bom ressaltar que o estudo mencionado tirou essas conclusões com base em uma pequena amostra de pessoas. Além disso, esse estudo foi realizado na China e analisou exclusivamente pessoas jovens. Poderiam surgir novas variáveis em outros estudos que utilizassem, por exemplo, grupos de idades diferentes. Assim, esse estudo também tem suas limitações e possíveis distorções.

No entanto, essa foi a primeira vez que um estudo analisou a estrutura do cérebro dos filhos únicos. Na verdade, há pesquisas anteriores sobre comportamento que mostram resultados aproximados às conclusões dessa pesquisa chinesa.

Uma análise de 115 estudos científicos realizados em 1986 mostrou que os filhos únicos tiveram melhores resultados em provas de inteligência, de caráter e de relacionamento com os pais do que as crianças que cresceram junto com seus irmãos.

Personalidade obstinada

filhos únicos e a personalidade

Os filhos únicos geralmente são muito teimosos porque estão acostumados a buscar seu próprio interesse. E, frequentemente, podem ser muito possessivos. Também podem ser muito rígidos em relação à privacidade e ao tempo. Pois eles não estão acostumados a dividir esses aspectos com ninguém.

No entanto, a personalidade varia de acordo com as condições de vida que a criança tiver. A criação molda de maneira bastante acentuada a personalidade das crianças.

Um artigo publicado na Internet explica que outra característica da personalidade dos filhos únicos é que eles tendem a ser muito maduros para a idade que têm. Essa é uma característica que se deve ao ambiente em que são criados. Por não terem irmãos, eles procuram a companhia dos pais ou de outros adultos. E como essas pessoas são as únicas referências que têm, eles tendem a se comparam com elas.

Os filhos únicos adoram parecer que são muito mais velhos do que realmente são. Mas muitos deles podem acabar se transformando nos típicos “sabe-tudo”.

Recomendados para você