Evite punições e recompensas! O desenvolvimento cognitivo é melhor

Embora muitos pais tendam a "ensinar" com técnicas um tanto arcaicas, a verdade é que do ponto de vista psicológico isso pode ter consequências negativas para os filhos.
Evite punições e recompensas! O desenvolvimento cognitivo é melhor

Última atualização: 22 Abril, 2021

Se você pensava que as ideias de desenvolvimento cognitivo eram menos importantes do que o jogo de recompensa e punição, é hora de saber que essa talvez seja a fórmula correta. Sim, já sabíamos que as crianças não vêm com manual de instruções, então você tem que colocar todos os seus neurônios para funcionar.


Segundo especialistas em desenvolvimento psicológico do ser humano, é aconselhável evitar recorrer à punição como medida de correção nos casos de alteração do comportamento. Da mesma forma, deve-se aplicar a mesma medida supressiva no caso das recompensas.

De acordo com Jean Piaget, o psicólogo responsável por estabelecer as bases do desenvolvimento cognitivo, o indivíduo é capaz, em termos de herança, de se adaptar e se organizar de acordo com o meio em que se desenvolve.

De acordo com a incorporação dessas teorias, as crianças estão em condições de refletir seu comportamento à medida que seu pensamento ou processo cognitivo evolui. Nesse sentido, uma vez que os pais consigam intervir de forma favorável no processo cognitivo dos filhos, obteremos como resultado um ser capaz de reconhecer e reproduzir um comportamento equilibrado.

O desenvolvimento adequado das habilidades básicas

Seguindo a abordagem de Piaget, o comportamento de um adulto é resultado de um processo evolutivo que lhe permitiu construir conscientemente uma certa interação com seu contexto desde criança.

Assim como o homem é capaz de atingir uma evolução afetiva, social e linguística, o pensamento também evolui como uma das áreas do desenvolvimento humano.

Em relação a esse fenômeno evolutivo, o indivíduo consegue desenvolver capacidades básicas que o ajudam a sobreviver em sociedade. Nesse sentido, para alcançar o desenvolvimento integral dessas capacidades, a criança deve começar a se organizar e se adaptar.

Um estado de equilíbrio: a adaptação

Na adaptação, dois processos de resultado efetivo ocorrem na criança, um no qual ela tenta se adaptar ao contexto e outro em que ela se adapta à influência desse contexto. Nesse sentido, se a adaptação a esses processos for inteligente, o resultado se traduzirá em um equilíbrio perfeito.

Portanto, quando vemos aquelas crianças cujo comportamento é um modelo a seguir, podemos falar que elas estão em um período de adaptação eficiente e livre de estímulos externos.

O processo adaptativo pode ser orgânico e funcional, sendo este último o de maior ação da inteligência da criança. A adaptação é tão avançada que é gerenciada pela inteligência de forma constante e ilimitada.

Demonstração de inteligência: a organização

Por meio do processo de organização, um indivíduo é capaz de colocar seu nível intelectual em perspectiva, sem o direito de discordar. Organizar-se é a primeira etapa para que a adaptação e outros processos sejam executados individualmente em relação a cada peça do sistema. Ou seja, a organização permite que a inteligência ordene cada elemento do processo cognitivo e o coloque para funcionar como um todo.

Consequentemente, se conseguirmos que nossos filhos alcancem a organização adequada para se adaptar, não estaríamos falando apenas de inteligência funcional, e sim de indivíduos que não precisam ser estimulados com recompensas ou punições.

menino-construção-casas

Estimule o desenvolvimento cognitivo e evite punições e recompensas!

A maioria dos pais não se convencerá facilmente de que é melhor evitar recompensas ou punições. Especialmente porque nós estamos acostumados a reforçar os comportamentos dos nossos filhos, tanto positiva quanto negativamente.

Porém, embora o reforço não seja uma técnica realmente obsoleta, devemos considerar que às vezes falhamos em sua execução ou na seleção do elemento de reforço. Nesse sentido, se o prêmio for muito acessível à criança, deixa de ser uma recompensa, uma vez que não há a valorização do esforço.

Por outro lado, quando o castigo fica só nas palavras ou é muito intenso, ele perde sua eficácia.

pai-ensina-filho

Se levarmos em consideração que o desenvolvimento cognitivo começa na primeira etapa, podemos entender que favorecer sua evolução no momento certo pode desencadear comportamentos inteligentes, adaptados e organizados.

Como promover o desenvolvimento cognitivo?

De acordo com o estágio de desenvolvimento da criança, é favorável atender o seguinte:

• Adapte-se ao pensamento do seu filho
• Fortaleça a exploração, a associação simbólica, a experimentação, a tentativa e o erro
• Certifique-se de que as ações tenham o mesmo resultado
• Execute esquemas mentais, como a repetição de um som
Forneça objetos concretos à explicação de conceitos abstratos
• Introduza gradualmente modificações breves e simples
• Ajude-os a associar preconceitos e aplicá-los a novas circunstâncias
• Dê-lhes espaço para raciocinar sobre os acontecimentos
• Proporcione momentos de identificação e questionamento

Pode interessar a você...
Desenvolvimento emocional dos 6 meses ao primeiro ano de vida
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Desenvolvimento emocional dos 6 meses ao primeiro ano de vida

O desenvolvimento emocional começa no momento em que os bebês nascem e evolui progressivamente conforme eles vão crescendo e interagindo com o mundo.



  • Aguirre, E., Montoya, L., & Reyes, J. (2006). Crianza y castigo físico. Diálogos, 4, 31-48. https://www.aacademica.org/eduardo.aguirre/8.pdf
  • Baumrind, D. (1996). The Discipline Controversy Revisited. Family Relations, 45(4), 405- 414.
  • McMahon, R. (1991). Entrenamiento de padres. En V.E. Caballo (ed.), Manual de técnicas de terapia y modificación de conducta, Madrid: Siglo XXI.
  • Tabares, X. (1998). El castigo a través de los ojos de los niños. Bogotá. D.C.: CES-Universidad Nacional de Colombia.