Explicação simples da formação da Terra

19 Janeiro, 2020
A origem do universo ainda é um mistério que, provavelmente, a ciência jamais poderá resolver. A formação da Terra é apenas mais uma conjectura, embora a hipótese que vamos apresentar hoje pareça ser a mais precisa.

A nossa querida mãe Terra nasceu há 4.470 milhões de anos. Muita coisa mudou desde então, quando ela não passava de um conglomerado de rochas e gases. Altas temperaturas e pressões, explosões… Vamos tentar resumir de uma maneira simples como se acredita que a formação da Terra ocorreu.

Acredita-se que, há cerca de 13,8 bilhões de anos, houve uma terrível explosão conhecida como ‘Big Bang’, na qual uma grande quantidade de matéria foi projetada em todas as direções. Com o tempo, essa matéria foi se agrupando para formar sóis, estrelas, planetas, nebulosas… até formar as galáxias.  

Como os planetas se formaram

Pois bem, a partir dessa mesma nuvem de poeira estelar, foram formados o nosso planeta e o Sol. A força da gravidade exercida sobre eles fez com que, primeiramente, se aglomerassem em pequenos asteroides e, posteriormente, em rochas maiores que, quando fundidas, deram origem aos planetas primitivos. E, como se fosse um jogo de bolinhas de gude cósmicas, eles começaram a colidir.

Explicação simples da formação da Terra

A energia emitida pelos choques e os elementos formadores dos planetas primitivos fizeram a temperatura interna subir, fundindo as rochas. Com o tempo, as camadas mais externas da Terra começaram a esfriar, embora o seu núcleo permanecesse incandescente.

Localizada a uma distância apropriada do Sol para permitir esse resfriamento, a Terra ainda era um planeta inóspito e enfurecido. Sem atmosfera gasosa, banhada por rios de lava e semeada com erupções vulcânicas. Mas essa lava não fez nada além de contribuir para o aumento da crosta terrestre.

Como resultado das erupções vulcânicas, os gases primordiais que dariam origem à atmosfera foram liberados na superfície, embora naquele momento ela fosse composta de hidrogênio, hélio, metano, amônia, gases nobres e algumas partículas perdidas de oxigênio.

A partir desse oxigênio incipiente e do hidrogênio atmosférico sujeito às condições ideais de pressão e temperatura, a preciosa molécula de água que possibilitou a vida em nosso planeta foi condensada. De fato, atualmente, não concebemos a vida sem a presença da água.

Terra, mar e ar lutaram por um tempo até que cada um encontrasse o seu lugar e se organizasse em camadas. Um núcleo líquido incandescente, crostas marítimas e terrestres e uma atmosfera gasosa fazem da formação da Terra um exemplo, a priori, único, por causa da sua organização em estratos.

Camadas da formação da Terra

A estrutura da Terra é o que faz com que ela seja tão especial. A formação característica do nosso planeta em 4 camadas, com suas subcamadas, e a interconexão entre todas elas, não só possibilita a vida, como também ela mesma está viva e em constante transformação.

Explicação simples da formação da Terra

A geosfera é a camada que se estende desde o centro da Terra, seu núcleo, até sua superfície, com nada mais e nada menos do que um raio de 6.356 km. Ela é formada por subcamadas: núcleo, interno e externo, manto inferior e superior, zona de transição e as crostas oceânicas e continentais.

Biosfera

A biosfera é a camada da terra que abriga o grupo de seres vivos que habitam o nosso planeta. Rios, mares, montanhas, lagos, desertos… Desde 1 km de profundidade até 10 km acima do nível do mar, é onde podemos encontrá-los.

Hidrosfera

A hidrosfera é a camada da Terra que coleta a água acima e abaixo da crosta terrestre: mares, lagos, rios, oceanos, calotas polares, vapor de água e aquíferos. Cobre 70% do planeta, embora apenas 3% da água líquida seja doce, e está imersa em um ciclo constante de três estados: líquido, sólido e gasoso.

Atmosfera

A atmosfera é a camada de gás que, como se fosse uma cúpula, culmina a formação da Terra. Ela a protege da incidência dos raios solares, de pequenos asteroides e permite um ambiente ideal para a vida graças à sua composição rica em O² (21%).

Essa porcentagem gasosa varia de acordo com o estrato, dividindo a atmosfera em subcamadas: troposfera, estratosfera, mesosfera, ionosfera e exosfera, com um raio total de 10.000 km.

“Por maiores que sejam as maravilhas da natureza, sempre há razões físicas que podem explicá-las”.

Julio Verne, Viagem ao centro da Terra– 

  • Capas de la tierra. (última consulta octubre 2019). Formación de La Tierra [artículo en web]. Recuperado de: www.capasdelatierra.org
  • Capas de la tierra. (última consulta octubre 2019). Capas de la Tierra [artículo en web]. Recuperado de: www.capasdelatierra.org
  • Astronomía. (última consulta octubre 2019). Cómo se formó La Tierra [artículo en web]. Recuperado de: www.astronomia.com