O que é a fase da dequitação?

· 16 de novembro de 2016

A dequitação é a última fase do trabalho de parto. Compreende o período que vai desde o momento de nascimento do bebê até a expulsão total da placenta e das membranas. Costuma ser um processo espontâneo e indolor.

A gravidez, o parto e a dequitação são momentos que correspondem a mudanças importantes. São processos naturais de mudanças no corpo e representam uma mudança de vida, tanto no nível individual como no nível familiar. Você irá se acostumar a esses processos pouco a pouco.

A dequitação, no geral, é um processo espontâneo e indolor

Durante essa fase, que é a última do parto, o útero se contrai e expulsa a placenta do corpo em alguns minutos.

Essa etapa pode durar 30 minutos ou um pouco mais. É possível que o médico que está acompanhando o parto massageie o fundo do seu útero e lhe ajuda a expulsar a placenta.

Segundo o Guia Prático para Pais, divulgado pela Associação Espanhola de Pediatria, há uma tendência atual de injetar ocitocina a fim de estimular para que a placenta saia mais rapidamente.

A finalidade dessa ação é diminuir o sangramento materno com o objetivo de minimizar as chances de anemia pós-parto. Caso a placenta não saia os médicos realizam a extração manual. Para isso, se a mãe não tomou a anestesia epidural será preciso tomar, pois a extração manual é um processo incômodo.

“É importante entender esse período como um momento único e especial pelo qual você deve passar. Quando acontecer você irá se sentir eufórica e plena, pois é uma etapa na qual os vínculos com o recém-nascido são estreitados. Confie em sua própria capacidade para enfrentar cada situação com sucesso e segurança.”

-Associação Espanhola de Pediatria, Guia Prático para Pais-

dequitação do bebê

O que é o puerpério?

Depois da dequitação se inicia outro processo denominado puerpério. Trata-se do período entre o final do parto até a recuperação do estado dos órgãos genitais e o retorno da menstruação. Apresenta duração aproximada de 6 a 8 semanas e se divide em três fases ou etapas. A primeira, o puerpério imediato, corresponde às duas primeiras horas após o parto.

Em seguida, há o puerpério intermediário ou mediato que consiste nos 10 dias seguintes ao parto. E, finalmente, o puerpério tardio, que vai desde o final do puerpério intermediário até a primeira menstruação.

Essa última etapa, pode demorar mais tempo para passar. Até 6 meses caso a mulher continue amamentando nesse período. Durante as duas últimas fases mencionadas a mulher deve contar o acompanhamento de um obstetra – às vezes uma enfermeira – para a avaliação da recuperação pós-parto.

E mais…

Após o parto acontece um sangramento chamado “lóquios”. Esse sangramento se parece com uma menstruação e, apesar de ser mais abundante no início vai diminuindo ao longo dos dias.

Além disso, podem surgir alguns incômodos. Por exemplo, dores na zona do períneo, principalmente se foram dados pontos no local devido a uma episiotomia ou uma incisão durante o parto.

Você também poderá se sentir cansada e até exausta, o que normalmente melhora depois o devido descanso.

Da mesma maneira, você pode sentir dores abdominais causadas pela contração normal do útero nessa etapa, na qual ele estará voltando ao tamanho original.

É possível que sinta algumas cólicas pós-parto devido à secreção de ocitocina durante a amamentação. Um anestésico poderá ajudar a aliviar esses incômodos.

Não fique nervosa após o nascimento do seu filho. Tente se adaptar à nova situação com o apoio de sua família e com a tranquilidade de quem é capaz de enfrentar as mudanças emocionais, psicológicas, familiares e sociais que estão acontecendo na sua vida.