Fases das relações sexuais durante a gravidez

A vida sexual do casal mudará durante a gravidez, pois vários fatores terão alguma influência nessa fase.
Fases das relações sexuais durante a gravidez

Última atualização: 28 Outubro, 2018

Se tudo correr bem durante a gravidez, vocês poderão ter relações sexuais tranquilamente até o final.

As fases das relações durante a gravidez

Primeiro trimestre

Quando querem conceber, geralmente os casais têm relações sexuais com mais frequência do que o habitual.

Mas uma vez que concebem, muitas mulheres evitam ter relações sexuais nos primeiros meses. Principalmente porque a notícia do bebê mexe muito com suas emoções.

Além disso, podemos somar problemas típicos da gravidez precoce, como o cansaço e as náuseas, por exemplo.

Outras mulheres simplesmente não conseguem conceber os conceitos de gravidez e sexo juntos porque ainda há muitos mitos e tabus sobre o assunto.

Geralmente, os casais têm medo de que o sexo possa prejudicar a gravidez. Mas para a surpresa de alguns, é exatamente o oposto.

No início da gravidez os órgãos pélvicos estão melhor irrigados, o que é bom para o desejo e seguro para a atividade sexual. Inclusive, muitas mulheres chegam ao orgasmo mais facilmente neste período.

Além disso, o sexo neste momento é mais relaxado particularmente para casais que têm se esforçado para conceber. Por isso, a primeira etapa da gravidez pode se tornar um momento de intenso prazer.

Segundo trimestre

relações sexuais

No início da semana 16 até, mais ou menos, a semana 30, muitas mães se sentem particularmente bem, pois o corpo já se acostumou com a nova condição.

O corpo também fica mais feminino, já que os seios crescem e as formas ficam mais arredondadas. A pequena barriga não tem nenhuma interferência.

Tudo isto resulta em boas condições para uma vida de prazer. Geralmente, quando as mães sentem o bebê pela primeira vez, começam a surgir dúvidas do tipo “Como será que o bebê fica na hora do sexo? Será que incomoda?”.

Os pais também sentem como se houvesse um terceiro elemento na cama. Às vezes, os homens têm a impressão de que a mulher só se preocupa com o bebê e eles ficam para o segundo plano.

Os médicos afirmam que o orgasmo feminino ocorre no útero e durante um curto período de tempo a placenta fornece menos sangue para o bebê.

No entanto, isso é um treino para a circulação sanguínea e não vai prejudicar o pequeno de forma alguma. Ele está protegido pelo líquido amniótico e pela parede muscular do útero.

Você também não deve ter medo de que o bebê possa ser ferido durante o sexo. O tampão mucoso fecha a entrada do colo do útero e impede que o sêmen chegue lá.

Último trimestre

relações sexuais

A maioria dos homens acha a barriga redonda de mulheres grávidas algo muito erótico.

Entretanto, a partir da semana 30 será cada vez mais difícil encontrar uma posição em que a barriga não atrapalhe. Por exemplo, a posição papai e mamãe pode ser difícil.

As contrações uterinas que ocorrem com o orgasmo são muito leves e não são capazes de adiantar o parto.

Embora durante o orgasmo se produza prostaglandina, hormônio que relaxa o músculo uterino e o prepara para as contrações, a quantidade é tão pequena que não terá nenhuma influência.

A verdade é que o sexo antes do parto tem muitos benefícios. Entre outras coisas, também é uma boa maneira de acalmar o bebê, pois faz a mãe relaxar e proporciona bom humor e tranquilidade.

Pode interessar a você...
Sexo durante a gravidez: pratique e aproveite!
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Sexo durante a gravidez: pratique e aproveite!

Estar grávida não significa que você deve deixar de lado sua vida e os prazeres dela. Fazer sexo durante a gravidez é recomendado. Pratique e aprov...



  • Arbués, E. R., & León, M. R. (2013). Características y evolución del patrón sexual de la mujer embarazada. Enfermería Global, 12(4), 362-370. https://revistas.um.es/eglobal/article/view/eglobal.12.4.181521
  • Byrd JE, Hyde JS, DeLamater JD, Plant EA. (1998). Sexuality during pregnancy and the year postpartum. J Fam Pract. 1998 Oct; 47(4):305-8.
  • González Labrador, I., & Miyar Pieiga, E. (2001). Sexualidad femenina durante la gestación. Revista cubana de medicina general integral, 17(5), 497-501. http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-21252001000500015
  • Richard P. (1984). Sexualidad durante el embarazo. Clin Obstet Ginecol Norteam 1984;3:904-16.