Fases da sexualidade infantil

21 Novembro, 2020
Como seres sexuados que somos, expressamos a nossa sexualidade. E, em cada fase da vida, a sexualidade se expressa e se manifesta de maneira diferente.

É importante que a família e a escola levem em consideração alguns aspectos do desenvolvimento sexual das crianças. Quanto mais informações tivermos a esse respeito, melhor poderemos educar as nossas crianças e adolescentes para uma sexualidade respeitosa, saudável e satisfatória.

Por isso, a seguir, veremos as diferentes fases da sexualidade infantil e quais são os comportamentos apresentados pelas crianças em cada uma delas. Continue lendo para saber mais!

Importância de saber como as crianças manifestam a sexualidade

Em primeiro lugar, a sexualidade requer um ambiente de afeto e respeito. Dessa forma, a criança aprenderá a conhecer e valorizar o seu corpo e a sua intimidade. Da mesma forma, ela também vai aprender a respeitar os outros e a sentir carinho por eles.

Devemos saber que a sexualidade infantil é motivada por comportamentos e manifestações muito diferentes dos da puberdade, da adolescência e dos adultos. Assim, a sexualidade infantil é caracterizada por:

  • Ser autoerótica, baseia-se na exploração e observação do próprio corpo.
  • É motivada pela curiosidade e pelo jogo.
  • Não existe objeto sexual.
  • Não é focada no coito.
Fases da sexualidade infantil

Portanto, não devemos interpretar ou atribuir significados à sua sexualidade a partir da nossa experiência como adultos. E muito menos repreender as crianças por sua maneira de expressá-la.

Reprimir e repreender a criança quando ela expressa e reproduz sensações de prazer pode ter uma influência negativa no seu desenvolvimento psicossexual.

Dessa forma, esses aspectos são importantes, mas também devemos conhecer as fases e os comportamentos sexuais que ocorrem em cada uma delas. Assim, poderemos compreender as crianças e ensiná-las a viver sua sexualidade de forma satisfatória.

Fases da sexualidade infantil: comportamentos mais frequentes

A seguir, vamos falar sobre as diferentes fases da sexualidade infantil e sobre os comportamentos mais frequentes, desde o nascimento da criança até a puberdade.

Desde o nascimento até os dois anos

Durante o primeiro ano de vida, a fonte de prazer de meninos e meninas está localizada na boca. Essa é a parte do corpo que proporciona satisfação, prazer e proximidade com a mãe. Por isso, as crianças gostam de ser amamentadas, gostam de sugar, de chupar os dedos e de colocar objetos na boca.

A partir do primeiro ano, as crianças começam a brincar com os próprios órgãos genitais quando estão nuas, encontrando prazer dessa forma. Esse ato é fruto da curiosidade. Elas estão explorando e descobrindo o próprio corpo.

Dos dois aos cinco anos

Entre os dois e os três anos, a criança começa a tomar consciência da sua identidade. Primeiramente da identidade de gênero e, então, da sexual. Aos três anos, ela já se identifica como menino ou menina.

No final do terceiro ano, as crianças começam a sentir curiosidade e a fazer perguntas sobre o próprio corpo e sobre o corpo dos outros. Elas têm interesse ​​em saber o nome dos órgãos genitais e suas funções. É importante não evitar suas perguntas e adaptar as explicações à sua idade.

Nessa idade, elas descobrem que os órgãos genitais são uma fonte de sensações prazerosas. Existem crianças que podem até mesmo se masturbar. Da mesma forma, elas se interessam ​​e perguntam sobre as reações e sensações de prazer que experimentam.

Por outro lado, as crianças passam a se comparar com os adultos e se identificar com os papéis de acordo com o sexo. Surgem jogos que recebem um certo sentido sexual e exploratório. Elas brincam de papai e mamãe, médico, casinha…

Por volta dos quatro ou cinco anos, elas não permitem que sejam vistas nuas por estranhos e começam a manifestar o pudor. Outra curiosidade dessa idade é saber de onde vêm os bebês. Às vezes, essas perguntas surgem mais cedo se um novo irmãozinho chegar à família.

Dos cinco anos à puberdade: última fase da sexualidade infantil

Durante essa fase, as crianças continuam a demonstrar interesse pelo próprio corpo e pelo corpo dos outros como fonte de prazer. Elas gostam de olhar e observar outras pessoas quando estão nuas.

Fases da sexualidade infantil

Da mesma forma, elas continuam a manter jogos com conteúdo sexual baseados na imitação. Seus jogos são mais ocasionais e associados a ideias de “namorar”, tocar e beijar ou “fazer amor”. Elas continuam a buscar sensações de prazer, masturbam-se e até mesmo têm fantasias sexuais.

Por volta dos nove ou dez anos, elas falam sobre os órgãos genitais e assuntos que consideram privados. Se perceberem que a sexualidade é um assunto tabu, vão esconder sua expressão e parar de fazer perguntas para os adultos. No entanto, entre elas, vão falar e fazer piadas sobre o sexo e a sexualidade.

Comportamentos sexuais inadequados em crianças

Vimos que certos comportamentos sexuais em crianças pequenas são normais e fazem parte do processo evolutivo. Além disso, existem comportamentos que não devemos inibir ou reprimir. No entanto, devemos estar atentos a certos comportamentos que já não seriam considerados tão normais. Os comportamentos aos quais devemos prestar atenção são:

  • Masturbação pública e compulsiva.
  • Manifestações e comportamentos de sedução.
  • Comportamentos típicos da sexualidade adulta.
  • Interesse sexual por meninos ou meninas mais jovens.
  • Conhecimento sobre sexualidade impróprio para a idade.
  • Interesse excessivo por pornografia.
  • Linguagem sexual explícita típica de adultos.

Para ter em mente sobre as fases da sexualidade infantil

Vimos as diferentes fases da sexualidade infantil e os comportamentos considerados normais para o desenvolvimento da criança. Assim, devemos ter consciência de que as motivações sexuais nessas idades são o conhecimento, a exploração, a curiosidade e a imitação. Portanto, não devemos reprimir nem repreender as crianças por expressarem sua sexualidade. No entanto, devemos nos manter atentos diante de certos comportamentos inadequados.