Ferimentos por água-viva em crianças

18 Novembro, 2020
Os ferimentos por água-viva são comuns no mundo todo e podem afetar qualquer pessoa. Vamos falar sobre o que fazer e o que não fazer caso venham a acontecer.

Agora que o verão está chegando e a temporada de praia começa, os ferimentos por água-viva ganham protagonismo. Geralmente, as crianças as mais afetadas por esse tipo de ferimento, muitas vezes porque são ingênuas quanto aos danos que esses animais, que parecem inofensivos, podem realmente causar.

Esses ferimentos podem arruinar até mesmo o mais divertido dia de praia. Por isso, vamos contar como aliviar os sintomas e tudo o que você precisa saber sobre os ferimentos por água-viva em crianças.

Como a água-viva ataca?

As águas-vivas são seres muito primitivos e não são encontradas apenas em uma área específica, pois vivem nos mares do mundo todo. Existem diferentes tipos de água-viva que se diferenciam tanto por suas características morfológicas quanto pela severidade dos ferimentos que causam.

A água-viva ataca por meio dos seus tentáculos. Esses animais não perseguem as pessoas ou outras presas. No entanto, quando entram em contato com a pele de uma pessoa, seus tentáculos liberam milhares de minúsculos ferrões que cravam na pele e começam a liberar veneno.

Ferimentos por água-viva em crianças

O veneno liberado por esses ferrões é tóxico. Isso significa que ele ativa uma forte resposta imunológica no corpo, produzindo lesões semelhantes à urticária. Essas lesões são vermelhas e podem ser palpadas, visto que se elevam acima da pele saudável. Além disso, causam dor, queimação e coceira.

Dependendo da resposta imunológica do corpo ou do número de lesões, a criança pode ser mais ou menos afetada. Por exemplo, em alguns casos, pode haver náuseas, tonturas, vômitos, febre ou dor de cabeça. Porém, isso não é o mais comum, pois, normalmente, costuma resultar em um quadro leve que só produz desconforto local.

O que fazer em caso de um ferimento causado por uma água-viva?

O mais importante, como sempre, será manter a calma e tentar tranquilizar a criança se ela estiver muito agitada, pois, geralmente, apesar da dor, não é um quadro grave. Então, devemos lavar a lesão com soro fisiológico ou água salgada rapidamente. Assim, conseguimos remover da pele os possíveis restos de veneno e ferrões para que o veneno não continue sendo inoculado.

Em seguida, podemos aplicar frio sobre a lesão, o que vai ajudar a aliviar a queimação e a coceira. Devemos nos lembrar de que, no caso de aplicar o frio usando gelo, teremos que utilizar um saco plástico ou um tecido, e não aplicá-lo diretamente sobre a pele.

Se houver restos de água-viva na pele da criança, teremos que retirá-los. Isso pode ser feito com cuidado usando uma pinça ou um pedaço de plástico como, por exemplo, um cartão. Nunca devemos usar as mãos para isso, pois a água-viva se sentirá atacada novamente e voltará a liberar veneno.

Se estivermos em uma praia com serviços de emergência, podemos ir ao posto de salva-vidas. Às vezes, eles têm medicamentos usados de forma ​​tópica que podem ajudar a aliviar os sintomas mais rapidamente.

Embora não seja o caso mais comum, se notarmos algum sintoma ou sinal de alerta em nosso filho, ou se percebermos que a reação alérgica está começando a ficar fora de controle, é fundamental procurar um pronto-socorro rapidamente para que seja iniciado o tratamento contra um ataque de alergia. Em uma minoria de casos, podem ocorrer reações anafiláticas.

O que nunca devemos fazer diante de ferimentos por água-viva?

Existem ações ou crenças populares relativas a esses ferimentos que, muitas vezes, estão longe do que realmente precisa ser feito. Alguns dos erros cometidos com relação a esses ferimentos são:

Ferimentos por água-viva em crianças

  • Lavar com água doce. Nunca devemos lavar o ferimento com água doce. A água doce faz com que os restos de ferrão que ficam na pele liberem, mais bruscamente, o veneno que ainda possuem. Isso causa mais dor e queimação no ferimento. Por esse mesmo motivo, também não devemos aplicar o gelo, que geralmente é feito de água doce, diretamente sobre o ferimento.
  • Esfregar o ferimento ou colocar areia sobre ele. Há uma falsa crença de que isso vai aliviar a dor. No entanto, vamos conseguir o mesmo efeito causado pela água doce. Se isso for feito, vamos espalhar os restos de ferrão e seu correspondente veneno em mais áreas da pele, agravando a situação.
  • Remover uma água-viva aparentemente morta da areia ou da água com as mãos, mesmo que seja apenas um pedaço de um tentáculo. Esses animais continuam a inocular veneno ao serem tocados, mesmo quando não estão mais vivos. Por isso, é importante alertar as crianças para não brincar com elas ou com pedaços delas, pois elas continuarão causando ferimentos.

Sobre os ferimentos por água-viva em crianças, devemos saber que…

Geralmente, será um quadro leve que não deixará nenhum tipo de sequela no pequeno. No entanto, esses ferimentos desagradáveis podem estragar o dia de praia dos nossos filhos. Por isso, é importante agir rapidamente e de forma adequada para tentar aliviar, na medida do possível, os sintomas que ocorrerem.

Além disso, diante de qualquer reação excessiva ou sinal de alerta, devemos ir ao pronto-socorro rapidamente para que o quadro seja tratado e não se transforme em algo grave.