Meu filho não dorme bem, será que ele tem terrores noturnos ou pesadelos?

· 9 de outubro de 2017

Seu filho dorme mal durante a noite e você não sabe qual o motivo? Ele acorda gritando ou não acorda, mas se levanta da cama e parece que está tendo um pesadelo? Durante o sono tanto os adultos como as crianças passam por diferentes fases e podem ter pesadelos ou terrores noturnos. Mas, como diferenciar um do outro? É importante conhecer a diferença para saber como tratá-los no momento certo.

Os terrores noturnos são misteriosos, são transtornos inexplicáveis que acontecem quando seu filho está num sono profundo, mas sem estar sonhando. Isso acontece quando de repente o seu filho começa a chorar ou inclusive se levanta da cama. Existe a possibilidade dos seus olhos estarem abertos e pareça que está acordado, mas na verdade está dormindo (não está consciente do que está acontecendo ao seu redor).

O terrores noturnos não são muito comuns e  acontecem apenas numa pequena porcentagem durante a infância, unicamente entre 3% a 6% das crianças do mundo. Ainda que algumas crianças também possam sofrer desse mal aos 18 meses de vida, a maioria delas começa a experimentar esses problemas noturnos ao redor dos 4 ou 5 anos, convertendo-se num problema familiar quando se tornam frequentes.menino na cama se escondendo sob os lençóis com medo

 

Diferenciar se são terrores noturnos ou pesadelos

Ainda que possam parecer terrores noturnos, em muitas ocasiões tratam-se apenas de pesadelos. Os dois na verdade são problemas do sono bastante diferentes. Os pesadelos acontecem durante o Movimento Rápido do Olho ou a fase REM do sono, que é também quando a criança está sonhando. 

Se o seu filho tem um pesadelo, o mais provável é que se lembre exatamente o que sonhou e o que causou medo (quando aprende a falar e pode comentar o caso, claro)

Os terrores noturnos, por outro lado, ocorrem fora da fase REM do sono. Uma criança pode experimentar os terrores noturnos quando está numa fase de transição no sono, pode durar segundos ou vários minutos. Devido ao fato do sono no estado não REM ser a etapa profunda do sono, seu filho não saberá o que está acontecendo e não lembrará de nenhuma imagem ou sensação no outro dia porque, não está na fase do sonho.

Quais são as causas e o sintomas dos terrores noturnos nas crianças pequenas?

Causas dos terrores noturnos

Os terrores noturnos do seu filho podem ser causados por diferentes motivos, alguns deles são:

  • Estar doente ou ter febre
  • Eventos estressantes na vida
  • Não dormir bem ou sofrer de falta de sono
  • Anestesia administrada para uma cirurgia recente
  • Medicamentos que podem ter efeitos no cérebro ou no sistema nervoso central.

Sinais de que se trata de terrores noturnos

Os terrores noturnos são mais comuns em crianças em idade pré-escolar. Você pode observar que geralmente ocorrem durante a parte mais profunda do sono do seu filho, normalmente em algum momento próximo do começo da noite. Você pode saber se o seu filho está passando por um terror noturno se atentar para os diferentes sinais:

  • Choro incontrolável
  • Bate, grita ou chuta
  • Tem uma expressão confusa
  • Parece que luta
  • Tem sacudidas, sua, ou respira rapidamente
  • Não lhe reconhece ainda que tenha os olhos abertos
menino deitado na cama, acordando assustado

Os terrores noturnos podem durar vários minutos, os episódios mais longos podem durar 45 minutos, ainda que isso seja pouco comum. Também é provável que depois do terror noturno o seu filho volte a dormir tranquilamente, e quando acordar pela manhã não lembrará nada do que aconteceu. Por outro lado, se ele tiver um pesadelo lembrará do sonho perturbador e muito provavelmente demorará a voltar a dormir, por temer os pesadelos.

No caso dos pesadelos é preciso que o seu filho sinta que você está do seu lado e que tudo era um sonho, que já passou. Quanto aos terrores noturnos é importante que você vá em sua ajuda, mas sem querer despertá-lo e, sobretudo, tirando as coisas que podem atrapalhar os seus movimentos para evitar que se machuque durante esse episódio.