O que seu filho precisa saber antes de começar a ler?

24 de novembro de 2017

A maioria das pessoas pensa que as crianças começam a ler no dia em que aprendem a primeira lição do livro de leitura ou quando aprendem as letras do abecedário. A verdade é que o cérebro dos novos leitores começa a trabalhar muito antes disso. Você já se perguntou o que seu filho precisa saber antes de começar a ler?

Desenvolvimento da consciência fonológica

A consciência fonológica é a capacidade que nós temos de refletir sobre os sons da fala. Ou seja, a capacidade de poder saber como as letras “soam” separadamente e em que sequência se deve posicioná-las para formar determinada palavra. Em resumo, é a capacidade de segmentar uma palavra nos sons que a compõem. Então, a consciência fonológica é talvez o pilar mais importante que seu pequeno deve desenvolver antes do grandioso dia em que lê pela primeira vez a palavra “mamãe”.

Habilidades que compõem a consciência fonológica

A consciência fonológica é composta por várias habilidades que são desenvolvidas no jardim de infância. Aqui vamos listar algumas para que você possa brincar com elas em casa também.

1. Rimas

A habilidade para distinguir auditivamente sons similares é muito importante na hora de se preparar para a leitura. É por isso que na escola se aprende poesias, rimas e trava-línguas. Ensine rimas e poesias tradicionais e brinque com os trava-línguas, isso vai divertir seu filho. Além de proporcionar o desenvolvimento da consciência fonológica e de ser um meio maravilhoso para transmitir tradições culturais. Você pode começar a partir dos 3 anos de idade e manter essas práticas durante todo o processo de aprendizado. Assim, poderá ver que cada vez mais as crianças praticam melhor e aproveitam mais os momentos.

Vocês também podem brincar de procurar palavras que rimam. Por exemplo: o que rima com caminhão? Avião, sabão, perdão…

2. Distinguir o som inicial das palavras

As crianças devem ser capazes de escutar uma palavra e isolar o som inicial. Somente o som inicial, não a sílaba inicial. É sempre mais simples começar com palavras cujo som inicial são vogais e ao longo do tempo ir incorporando outras que começam com consoantes. Prefira consoantes com som evidente e forte como “r”, “s”, “m”, “f” e deixe para depois os sons que auditivamente são mais difíceis de isolar como “t” ou “b”. Por exemplo, para a palavra “água” as crianças devem dizer “a” e para “camisa”, o som /c/.

Você pode fazer jogos parecidos com o das rimas. Encontrar palavras que comecem com uma letra determinada ou falar uma palavra para que as crianças digam qual é o som inicial. Você pode brincar somente falando ou por meio de imagens.

 consciência fonológica

3. Distinguir o som final de uma palavra

Consiste em poder escutar e isolar o som final de uma palavra. Essa é uma habilidade um pouco mais complexa que a anterior. Mas que sempre é bastante divertida. Lembre-se de que as crianças devem isolar o som final, não a sílaba final. Assim, para “gato” o som final é /o/ e para mar o som final é /r/.

Vocês podem tentar atividades parecidas com as anteriores: adivinhar o som final dizendo uma palavra ou dando o som final para que as crianças pensem nas palavras.

Existe também um jogo muito divertido no qual o primeiro jogador fala uma palavra e o seguinte deve pensar em outra palavra que comece pelo som final daquela que o primeiro jogador disse e assim sucessivamente. Aqui vai um exemplo: casa – amor – roxo – olho – orar – rei – igreja…

4. Separar em sílabas

Mesmo que os pequenos ainda não saibam ler e escrever, eles podem separar em sílabas os sons que compõem as palavras. Podem fazer isso batendo palmas ou batendo sobre a mesa em cada sílaba. Também podem fazer pulando ou desenhando traços em cada sílaba.

5. Distinguir palavras curtas e compridas

É preciso que as crianças possam distinguir quando uma palavra “soa comprida” como “formiga” e quando “soa curta” como “osso”. Aqui é importante que você saiba que não deve mostrar a palavra escrita. As crianças devem chegar à resposta a partir daquilo que elas escutam. Pois essa é uma atividade auditiva, assim como todas as outras que servem para desenvolver as habilidades da consciência fonológica.

consciência fonológica

No começo você vai perceber uma coisa muito engraçada: as crianças associam o tamanho da palavra com seu referente na realidade. Assim, para eles no primeiro momento a palavra osso vai parecer mais comprida que formiga.

Quando estiver brincando você deve ser enfático e até exagerar um pouco no comprimento das palavras para fazer com que as crianças percebam com mais facilidade quais palavras são curtas e quais são compridas.

6. Tirar e substituir fonemas

Essa talvez seja uma das últimas habilidades que se aprende e costuma coincidir com o início formal do que conhecemos como processo de aprendizado da leitura. Consiste em ser capaz de eliminar um fonema de uma palavra e saber o que sobra. Por exemplo, pegamos a palavra “paleta”, se eu tirar o som /p/ sobra “aleta”. As crianças também devem ser capazes de adicionar novos fonemas. Ou seja, se colocar, por exemplo, um “m”, vai formar a palavra “maleta”.

É importante que as crianças tentem primeiramente fazer essa brincadeira com o fonema inicial, pois é mais evidente para elas. Em seguida, tentar com o fonema final e, inclusive, com os fonemas do meio da palavra.

Conhecer o abecedário

É extremamente importante que as crianças conheçam o abecedário e que saibam dizer o som de cada letra. Repetir os sons como uma música não serve de nada. Isso significa que, ao ver essa imagem “S”, as crianças devem saber que tem o som /ssssss/. É claro que é importante que elas saibam que a letra se chama “esse”, mas o principal é saber o som de cada letra. Elas devem fazer esse exercício com todas as letras do alfabeto.

Ortografia

Você deve saber que a consciência fonológica é uma habilidade que se desenvolve com o som das letras. Assim, é totalmente válido que as crianças classifiquem no grupo das palavras que começam com “e” a palavra helicóptero, ou que digam que “hotel” começa com “o”.