O que seu filho precisa saber antes de começar a ler?

O que seu filho precisa saber antes de começar a ler?

Última atualização: 24 Novembro, 2017

A maioria das pessoas pensa que as crianças começam a ler no dia em que aprendem a primeira lição do livro de leitura ou quando aprendem as letras do abecedário. A verdade é que o cérebro dos novos leitores começa a trabalhar muito antes disso. Você já se perguntou o que seu filho precisa saber antes de começar a ler?

Desenvolvimento da consciência fonológica

A consciência fonológica é a capacidade que nós temos de refletir sobre os sons da fala. Ou seja, a capacidade de poder saber como as letras “soam” separadamente e em que sequência se deve posicioná-las para formar determinada palavra. Em resumo, é a capacidade de segmentar uma palavra nos sons que a compõem. Então, a consciência fonológica é talvez o pilar mais importante que seu pequeno deve desenvolver antes do grandioso dia em que lê pela primeira vez a palavra “mamãe”.

Habilidades que compõem a consciência fonológica

A consciência fonológica é composta por várias habilidades que são desenvolvidas no jardim de infância. Aqui vamos listar algumas para que você possa brincar com elas em casa também.

1. Rimas

A habilidade para distinguir auditivamente sons similares é muito importante na hora de se preparar para a leitura. É por isso que na escola se aprende poesias, rimas e trava-línguas. Ensine rimas e poesias tradicionais e brinque com os trava-línguas, isso vai divertir seu filho. Além de proporcionar o desenvolvimento da consciência fonológica e de ser um meio maravilhoso para transmitir tradições culturais. Você pode começar a partir dos 3 anos de idade e manter essas práticas durante todo o processo de aprendizado. Assim, poderá ver que cada vez mais as crianças praticam melhor e aproveitam mais os momentos.

Vocês também podem brincar de procurar palavras que rimam. Por exemplo: o que rima com caminhão? Avião, sabão, perdão…

2. Distinguir o som inicial das palavras

As crianças devem ser capazes de escutar uma palavra e isolar o som inicial. Somente o som inicial, não a sílaba inicial. É sempre mais simples começar com palavras cujo som inicial são vogais e ao longo do tempo ir incorporando outras que começam com consoantes. Prefira consoantes com som evidente e forte como “r”, “s”, “m”, “f” e deixe para depois os sons que auditivamente são mais difíceis de isolar como “t” ou “b”. Por exemplo, para a palavra “água” as crianças devem dizer “a” e para “camisa”, o som /c/.

Você pode fazer jogos parecidos com o das rimas. Encontrar palavras que comecem com uma letra determinada ou falar uma palavra para que as crianças digam qual é o som inicial. Você pode brincar somente falando ou por meio de imagens.

 

consciência fonológica

3. Distinguir o som final de uma palavra

Consiste em poder escutar e isolar o som final de uma palavra. Essa é uma habilidade um pouco mais complexa que a anterior. Mas que sempre é bastante divertida. Lembre-se de que as crianças devem isolar o som final, não a sílaba final. Assim, para “gato” o som final é /o/ e para mar o som final é /r/.

Vocês podem tentar atividades parecidas com as anteriores: adivinhar o som final dizendo uma palavra ou dando o som final para que as crianças pensem nas palavras.

Existe também um jogo muito divertido no qual o primeiro jogador fala uma palavra e o seguinte deve pensar em outra palavra que comece pelo som final daquela que o primeiro jogador disse e assim sucessivamente. Aqui vai um exemplo: casa – amor – roxo – olho – orar – rei – igreja…

4. Separar em sílabas

Mesmo que os pequenos ainda não saibam ler e escrever, eles podem separar em sílabas os sons que compõem as palavras. Podem fazer isso batendo palmas ou batendo sobre a mesa em cada sílaba. Também podem fazer pulando ou desenhando traços em cada sílaba.

5. Distinguir palavras curtas e compridas

É preciso que as crianças possam distinguir quando uma palavra “soa comprida” como “formiga” e quando “soa curta” como “osso”. Aqui é importante que você saiba que não deve mostrar a palavra escrita. As crianças devem chegar à resposta a partir daquilo que elas escutam. Pois essa é uma atividade auditiva, assim como todas as outras que servem para desenvolver as habilidades da consciência fonológica.

consciência fonológica

No começo você vai perceber uma coisa muito engraçada: as crianças associam o tamanho da palavra com seu referente na realidade. Assim, para eles no primeiro momento a palavra osso vai parecer mais comprida que formiga.

Quando estiver brincando você deve ser enfático e até exagerar um pouco no comprimento das palavras para fazer com que as crianças percebam com mais facilidade quais palavras são curtas e quais são compridas.

6. Tirar e substituir fonemas

Essa talvez seja uma das últimas habilidades que se aprende e costuma coincidir com o início formal do que conhecemos como processo de aprendizado da leitura. Consiste em ser capaz de eliminar um fonema de uma palavra e saber o que sobra. Por exemplo, pegamos a palavra “paleta”, se eu tirar o som /p/ sobra “aleta”. As crianças também devem ser capazes de adicionar novos fonemas. Ou seja, se colocar, por exemplo, um “m”, vai formar a palavra “maleta”.

É importante que as crianças tentem primeiramente fazer essa brincadeira com o fonema inicial, pois é mais evidente para elas. Em seguida, tentar com o fonema final e, inclusive, com os fonemas do meio da palavra.

Conhecer o abecedário

É extremamente importante que as crianças conheçam o abecedário e que saibam dizer o som de cada letra. Repetir os sons como uma música não serve de nada. Isso significa que, ao ver essa imagem “S”, as crianças devem saber que tem o som /ssssss/. É claro que é importante que elas saibam que a letra se chama “esse”, mas o principal é saber o som de cada letra. Elas devem fazer esse exercício com todas as letras do alfabeto.

Ortografia

Você deve saber que a consciência fonológica é uma habilidade que se desenvolve com o som das letras. Assim, é totalmente válido que as crianças classifiquem no grupo das palavras que começam com “e” a palavra helicóptero, ou que digam que “hotel” começa com “o”.

Pode interessar a você...
10 benefícios de ler uma história antes de dormir
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
10 benefícios de ler uma história antes de dormir

Era uma vez um menino que todas as noites escutava belas histórias acompanhado pela mãe e o pai. Essas histórias enchiam seus pensamentos de incrív...



  • Aguirre, R. (2004). La lectura y la escritura en la escuela. En J. Peña González y S. Serrano de Moreno (Comps.), La lectura y la escritura en el siglo XXI (pp. 70-79). Mérida. Venezuela: CDCHT – ULA.
  • Cassany, D. (1996). Describir el escribir. Cómo se aprende a escribir. Barcelona, España: Pai-dós Ibérica S. A.
  • Fons, M. (2001). Enseñar a leer y a escribir. En Didáctica de la lengua en la educación infantil. Monserrat, Bigas y Monserrat Correig (Edits.) pp. 179-212. Madrid: SÍNTESIS, S. A.
  • Villalobos, J. (2006). La lectura y la escritura como herramientas para el desarrollo del cono-cimiento y aprendizaje. En J. Peña González y S. Serrano de Moreno (Comps.), La lectura y la escritura. Teoría y práctica (pp. 33-58). Mérida. Venezuela: Consejo de Desarrollo Científico Humanístico y Tecnológico y Consejo de Estudios de Postgrado Universidad de Los Andes.
  • Vygotsky, L. (1979). El desarrollo de los procesos psicológicos superiores. Barcelona: Grijalbo.