O meu filho não me respeita. O que devo fazer?

10 de novembro de 2019
Se o seu filho não te respeitar, não se desespere. Alguns limites definidos e muita compreensão ajudarão a melhorar a situação.

Todos nós, pais, desejamos ter uma relação agradável e harmoniosa com os nossos filhos. Todavia, vão surgindo tensões e conflitos no dia a dia. Em algumas ocasiões, chegamos mesmo a sentir que a situação escapa do nosso controle. Se você sente que o seu filho não te respeita, aqui damos algumas dicas para reverter esse quadro.

Disciplina e amor

Ao contrário do que se pensa, o respeito aos pais não é algo inato. É um valor que deve ser transmitido e moldado desde bem pequenos nos filhos. Além da personalidade da criança (que pode ser temperamental em menor ou maior grau), o ponto-chave para criar um vínculo de respeito é a disciplina e o amor.

Embora pareçam conceitos opostos, a firmeza e a ternura podem e devem ser elementos complementares na educação. As crianças precisam ter limites, normas claras e coerentes que as ajudem a se desenvolver. Uma criança que careça dessas diretrizes essenciais crescerá em meio ao caos, e será muito mais difícil regular o comportamento dela.

Contudo, é igualmente imprescindível que a relação com os nossos filhos seja baseada no amor e na compreensão. Dificilmente uma criança aprenderá a respeitar os pais se não receber o mesmo trato da parte deles.

Por outro lado, é muito mais provável que a criança não sinta necessidade de desafiar os pais se os perceber como uma fonte de amor e proteção.

Disciplina e amor

O meu filho realmente não me respeita?

Em primeiro lugar, é necessário definir o que é desrespeito. Às vezes, podemos acabar esquecendo que as crianças são seres humanos com emoções próprias, com dias bons e ruins. Como todas as pessoas, elas passam por momentos em que se sentem cansadas, de mau humor ou sem saber como lidar com a frustração.

Se os comportamentos inadequados dos filhos ocorrem de forma esporádica, tente se sentir como se estivesse no lugar deles. Fale com eles e busque entender o que está acontecendo para, assim, funcionar como contenção e ajudá-los a se expressar de outra maneira.

Por outro lado, se esse comportamento ocorrer com frequência e intensidade, será necessário intervir. Algumas das ações sobre as quais é preciso prestar atenção são:

  • Se os seus filhos desafiam você continuamente. De modo deliberado desobedecem você para pôr a prova a sua autoridade, gerando uma luta de poderes.
  • Se exigem que você realize as vontades deles de forma imediata, ignorando se você se negar a fazê-lo.
  • Se manifestam aborrecimento, jogando ou quebrando objetos, na tentativa de impor a vontade deles.
  • Se gritam ou usam palavras agressivas quando você tenta estabelecer alguma norma.

O que devo fazer se o meu filho não me respeitar?

Sirva de exemplo

O ponto-chave principal para incutir um comportamento respeitoso nos seus filhos é ser um modelo dessa conduta. Não é um assunto fácil, pois requer a vontade de manter a calma diante de qualquer situação de conflito. É imprescindível não perder o controle dos nervos com os seus filhos e, é claro, nunca agir com agressividade física ou verbal.

Além disso, precisamos ter a integridade necessária para pedir desculpas aos nossos filhos quando errarmos. Ao normalizarmos esse comportamento, evidenciamos um perfil mais humano e mostramos que o arrependimento é um importante comportamento interpessoal.

Estabeleça limites definidos

É realmente importante, como pais, estabelecermos algumas normas de comportamento. As crianças normalmente não têm a percepção de quais tipos de ações são totalmente inaceitáveis e quais são apenas indesejáveis. Do mesmo modo, deverão estar cientes de que ultrapassar tais limites acarretará consequências para elas.

Estabelece limites definidos

Com relação à aplicação dessas normas, é importante considerar que deve ser feita de modo coerente. Ou seja, devemos ter certeza de que sempre serão respeitadas. Se abrirmos uma exceção, perderemos credibilidade e consistência.

Também é importante que as consequências decorrentes de não respeitar as normas sejam aplicadas o quanto antes após a ocorrência do comportamento inadequado. Desse modo, a associação se estabelece mais facilmente.

O meu filho não me respeita: escute-o e dialogue com ele

Essas consequências não devem ser, de modo algum, uma forma de vingança ou de castigo, mas sim una forma carinhosa de ensinar que as ações têm desdobramentos. Busque estar sempre presente e disponível para os seus filhos. Pergunte às crianças sobre os sentimentos delas e expresse os seus próprios. Tente chegar a um acordo com elas.

O melhor caminho para chegar aos seus filhos será sempre o amor e o respeito incondicionais. Embora não seja a via mais rápida ou mais simples, é, sem dúvida, a que criará um laço emocional saudável entre todos.