Guia de alimentação para gestantes

21 de junho de 2019
Se você está se perguntando o que deve comer durante a gravidez, encontrará recomendações importantes a seguir.

A nutrição adequada para gestantes e para mães que deram à luz garante a saúde e o crescimento do bebê. Não devemos nos esquecer de que aquilo que a mulher come e bebe é fonte de nutrição para os pequenos. É por isso que é tão importante escolher opções corretas de alimentos, a fim de fornecer ao organismo os elementos de que precisa.

Uma mulher grávida precisa de grandes quantidades de cálcio, ferro, proteína e ácido fólico. A razão para isso é que esses nutrientes ajudam a prevenir distúrbios cerebrais, deficiências na formação óssea, falta de oxigênio no sistema circulatório e deficiências nos tecidos musculares.

“Um estado nutricional inadequado, tanto antes de conceber quanto durante a gravidez, terá um impacto negativo na capacidade de prosseguir com essa gravidez e na saúde da mãe e do filho. Em contrapartida, uma dieta correta ajudará a reduzir o risco de baixo peso ao nascer, prematuridade e inadequações nutricionais da mãe e do feto.”

– Ministério da Saúde da Argentina –

Alimentação para gestantes. O que você deveria comer?

  • Iogurte grego. Esse laticínio é especialmente benéfico para as gestantes porque contém mais cálcio do que todos os outros derivados do leite. Além disso, também contém probióticos que ajudam a melhorar a saúde digestiva e prevenir infecções.
  • Leguminosas, tais como lentilhas, ervilhas, feijões e amendoim. Esses alimentos contêm fibras, folato e muitos outros nutrientes que previnem doenças na mãe e no bebê.
  • Ovos. Contêm um pouco de cada nutriente de que você precisa para uma dieta saudável. Um desses elementos é a colina, uma molécula que facilita o desenvolvimento do cérebro, tanto no aspecto físico quanto no funcional.
  • Carnes magras. A carne bovina, suína e o frango são excelentes fontes de proteína, ferro, colina e vitaminas do complexo B.
  • Bagas e frutas vermelhas. Esses pequenos alimentos são repletos de água, carboidratos saudáveis, vitamina C, fibras e antioxidantes. Além disso, também são ideais para acalmar a ansiedade sem multiplicar o consumo de calorias.
Alimentação para gestantes

  • Abacate. É uma fruta incomum devido ao seu alto teor de ácidos graxos saudáveis para o corpo. Também contém vitaminas B, K, E e C, além de potássio e cobre. Todos estes são nutrientes que ajudam a aliviar as cãibras nas pernas, que são frequentes durante a gravidez.
  • Oleaginosas. São ideais na dieta durante a gravidez porque, apesar de serem pequenas no tamanho, são densas em nutrientes.

Tipos de alimento

Cada tipo de alimento tem benefícios na alimentação para gestantes:

  • Os grãos são ideais para suprir a necessidade de uma fonte de energia.
  • Por sua vez, as frutas e os legumes contêm quantidades abundantes de antioxidantes. Também são ricos em fibras e complexos vitamínicos.
  • Carnes, oleaginosas e vegetais têm as proteínas, o ácido fólico e o ferro de que o corpo precisa.
  • Os laticínios de diferentes tipos são fontes de cálcio e vitamina D. Um dos mais convenientes para o organismo da mãe é o iogurte.

Quais alimentos ou bebidas devem ser limitados na alimentação das gestantes?

  • Bebidas com cafeína. O limite considerado seguro é inferior a 200 mg por dia, o equivalente a 350 ml. No entanto, se você puder evitá-las completamente, será mais conveniente para a sua saúde e a do bebê.
  • Salmão e sardinha são ricos em ácidos graxos ômega três e proteínas. Mas há outros peixes, como a albacora, por exemplo, que têm grandes quantidades de mercúrio e, consequentemente, devem ser limitados na dieta.
  • Bebidas alcoólicas. O álcool que está na corrente sanguínea da mãe passa diretamente para o bebê através do cordão umbilical. Essa substância, em um organismo tão pequeno, pode causar problemas físicos, cognitivos e comportamentais no futuro.
  • Laticínios não pasteurizados. As gestantes são mais suscetíveis a parasitas e bactérias encontrados em alimentos que não contaram com uma manipulação adequada.
Salmão e sardinha são ricos em ácidos graxos ômega três e proteínas

Outro aspecto a ter em mente é que não são apenas os alimentos saudáveis que fazem a diferença em uma boa dieta. Além deles, o corpo também precisa de um bom suprimento de água e dos suplementos vitamínicos que possam ser necessários. Muitos nutrientes não são abundantes nos alimentos e, por isso, fontes alternativas devem ser procuradas.

Ao pensar sobre a melhor dieta para gestantes, devemos saber que, durante a gravidez, as necessidades nutricionais mudam. Contudo, a ideia não é aumentar o tamanho das porções. O que precisa ser garantido é a ingestão dos micro e macro nutrientes que são necessários para o desenvolvimento saudável da mãe e do bebê.

  • Asociación Argentina de Dietistas y Nutricionistas-dietistas. (2006). Guías alimentarias para la población argentina. República Argentina.