Hemorragias pós-parto: o que é importante saber?

29 de maio de 2019
Quando acontece uma perda de sangue de maneira repentina, devido a uma lesão interna ou externa, dá-se o nome de hemorragia. 

As hemorragias pós-parto são sangramentos que ocorrem após o parto, tanto no vaginal ou cesariano. Após o parto vaginal (ou natural), a perda de sangue pode chegar aos 500 mililitros, já após o parto por cesariana, 1.000 mililitros. Essa perda hemática é dramática e coloca a vida da mãe em risco.

Trata-se de uma condição delicada, já que, inclusive, pode ocorrer até 6 semanas depois de a mãe ter dado à luz, ou seja, durante o puerpério (também conhecido como resguardo). Nesses casos, o médico deve avaliar a aplicação de soluções cristaloides e transfusões de sangue. Daí a importância de que a mãe seja atendida desde o primeiro momento.

Fatores de risco para as hemorragias pós-parto

Existem alguns fatores de risco que podem influenciar a ocorrência de hemorragias pós-parto. Por exemplo, doenças ou lesões anteriores ao parto, condições especiais, como gravidez múltipla, entre outros. A seguir apresentamos uma lista mais detalhada:

  • Diabetes.
  • Anemia.
  • Lúpus eritematoso.
  • Curetagem uterina.
  • Hipertensão arterial.
  • Miomas no útero.
  • Gravidez múltipla.
  • Sinéquias (cicatrizes) uterinas prévias.
  • Idade maior que 35 anos.
  • Traumatismo abdominal.
  • Fraqueza ou hipotonia uterina.
  • Histórico de eclâmpsia.
  • Consumo de drogas, alcoolismo, tabagismo.
  • Hemorragias em gravidezes anteriores.

Incidência das hemorragias pós-parto

A incidência de hemorragia pós-parto é de 10% dos partos. E, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é uma das causas de morte mais comuns tanto em países desenvolvidos como em países em desenvolvimento. Mas quanto às causas, 75% dos casos se deve à fraqueza ou hipotonia uterina.

doutor analisando mulher com hemorragias pós-parto

Causas e tratamento das hemorragias pós-parto

1. Atonia uterina

Apresenta-se quando ocorre uma perda de tônus da musculatura uterina. O útero não consegue se contrair e atrasa sua involução após o parto. Por esse motivo, ocorre uma hemorragia. Para essa condição, existem dois tipos de tratamentos possíveis.

  • O primeiro e mais comum é fazer uma massagem (sempre com um especialista) para estimular e fazer com que ocorram as contrações.
  • O segundo tratamento consiste na administração de medicamentos uterotónicos como: a oxitocina, ergotaminas, methergin, carboprost e misoprostol.

2. Ruptura uterina

A ruptura uterina pode acontecer devido a traumatismos, feridas ou hematomas. A incidência de hemorragia pós-parto por essa razão representa 19% dos partos, tanto naturais como por cesariana. Conforme o caso, o médico deve decidir qual é a melhor maneira de tratar as lesões. Mas antes peça ao médico um ultrassom.

Em alguns casos, as hemorragias podem ser tratadas com antibióticos e o tamponamento da cavidade uterina com gaze. Dessa forma, o sangramento diminui graças à pressão da gaze.

3. Retenção de restos placentários

Outra das causas das hemorragias pós-parto é a retenção de restos placentários. Felizmente, isso ocorre apenas em 10% dos partos e seu pronto atendimento ajuda a garantir o bem-estar da mãe.

Quando resíduos de placenta ficam no útero, é necessária a sua remoção para estancar o sangramento. Para executar esse procedimento, o médico deve fazer a limpeza dos resíduos de forma manual e com uma gaze.

É claro que isso exige a prévia administração de analgésicos para a paciente, já que ela pode sentir algum tipo de desconforto durante a varredura.

4. Trombinas

Dentro das causas das hemorragias pós-parto, não podemos deixar de destacar as trombinas. As trombocitopenias tratam-se de coagulopatias de tipo congênito ou herdadas. Elas correm em casos de mulheres com anemia extrema. Esses casos representam apenas 1% dos partos.

Cada caso vinculado a trombinas deve ser previamente investigado através de exames clínicos e do histórico da paciente. Além disso, o seu tratamento pós-parto consiste, sobretudo, em transfusões de sangue, transfusões de plaquetas e plasma fresco congelado.

O acompanhamento médico é rigoroso e não se dá alta até que a paciente esteja completamente recuperada.

médicos unidos

Considerações finais

As hemorragias pós-parto podem ocorrer por diversas causas. No entanto, independentemente da origem, o acompanhamento e a assistência médica são imprescindíveis. É preciso ter em conta que, enquanto você estiver sendo tratada, deverá cuidar também da sua alimentação e hidratação para promover a sua recuperação.

Considera-se que há um caso de hemorragia pós-parto quando há uma perda hemática entre 450 e 1.200 ml. Os sintomas mais comuns são tonturas, desmaio, taquicardia e fadiga. A mulher deve se dirigir imediatamente ao centro de saúde mais próximo e procurar assistência médica. Não se deve adiar esse momento, em nenhuma circunstância.