A herpes em crianças: os sintomas, as causas e o tratamento

· 16 de dezembro de 2017
A herpes é uma doença infecciosa muito incômoda, já que causa bolhas que coçam e doem. Além disso, uma vez adquirida, a carregamos no organismo para o resto da vida

A herpes em crianças é uma infecção muito mais comum do que parece, dado o alto grau de contágio que tem. Além disso, uma vez adquirida, a carregamos no organismo para o resto da vida. 

É uma doença infecciosa viral que causa o aparecimento de lesões na pele. Manifesta-se como um conjunto de vesículas pequenas envoltas por um círculo vermelho. Ela é causada pelo vírus herpes simplex ou vírus herpes hominis, de tipo 1 (VHS-1), que pode afetar o rosto, os lábios, e a parte superior do corpo; ou de tipo 2 (VHS-2), que aparece geralmente nas genitais.

O primeiro tipo é mais comum em crianças, embora também haja casos do segundo tipo entre os pequenos. Na herpes do tipo 1, a mais comum (talvez também a mais incômoda) é a labial.

Existe outro tipo denominada herpes zóster (também chamada de “cobreiro” ou “Fogo de Santo Antônio”), que se apresenta como consequência da permanência do vírus varicela. Ela afeta as células nervosas da pele e se manifesta com o aparecimento de bolhas em uma região específica do corpo, acompanhadas por ardência ou dor latejante e formigamento ou coceira.

A herpes não tem cura. Apesar disso, existem vários tratamentos para acelerar o processo de cura das lesões. Uma vez que ela passe, o vírus fica latente no organismo até que seja reativado. Seu local de “hospedagem” são os gânglios nervosos sensitivos.

bebê com herpes

Sintomas e aparecimento da herpes em crianças

O período de aparecimento da infecção pode durar entre 10 e 14 dias. No começo, nota-se uma vermelhidão na região afetada, geralmente, também acompanhada de coceira. Em seguida, aparecem bolhas cheias de líquido, que vão causar certa dor. Quando estouram deixam uma espécie de crosta que vai demorar alguns dias para desaparecer.

O bom disso? Não deixa marcas e, na grande maioria das vezes, não causa complicações maiores. De qualquer maneira, existem estudos que a relacionam com o aparecimento do Alzheimer em adultos.

Se aparecer pela primeira vez em uma criança, é muito provável que a herpes cause febre e inflamação dos gânglios linfáticos. De acordo com o que detalha a revista eletrônica Healthy Children, da Associação Americana de Pediatras, nos recém-nascidos o vírus da herpes pode causar complicações um pouco mais sérias, como doenças no cérebro, pulmões e fígado, assim como feridas na pele e olhos. Nos casos mais graves pode representar um risco para a vida do bebê.

O tipo herpes zoster se apresenta da mesma forma no começo. A diferença está no fato de as bolhas serem mais dolorosas. Além disso, esse tipo de herpes também pode vir acompanhada de dor abdominal, febre, calafrios, dores nas articulações e de cabeça.

“Nos recém-nascidos, o vírus da herpes pode causar sérias complicações”

Em ambos os tipos, o contato do líquido que as bolhas eliminam com uma área do corpo não infectada pode gerar o aparecimento da herpes também nesse lugar. É importante tomar as precauções necessárias para que isso não aconteça.

Causas da herpes em crianças

A principal é o contágio por parte dos adultos, já que entre 70 e 90 por cento deles portam o vírus. No entanto, também podemos identificar outras possíveis origens para o aparecimento da herpes.

  • Durante o parto: pode ocorrer se a mãe tiver a infecção ativa.
  • Contágio direto: por beijo ou contato com áreas afetadas. A herpes é uma infecção extremamente contagiosa.
  • Contágio indireto: através de toalhas, copos, brinquedos ou qualquer outro elemento que tenha entrado em contato com alguém infectado.
  • Transmissão sexual: essa é a forma de contágio em que se contrai a infecção por herpes genital.
  • Reaparecimento do vírus latente: às vezes, isso acontece como reposta a um resfriado, calor, febre, fatiga, estresse ou exposição à luz do sol.

Como a herpes pode ser curada?

No caso de infecções em recém-nascidos, eles devem ser internados e tratados no centro de tratamento intensivo (CTI), devido às possíveis consequências que o vírus pode causar.

mão da criança com herpes

O restantes das doenças costumam ser tratáveis em casa. Além disso, o uso de medicamentos antivirais pode acelerar o processo de cura e evitar que o vírus se propague mais. E também existem remédios naturais para tratar a herpes.

É importante levar em consideração alguns pontos no cuidado de uma criança com herpes:

1. Dar muito líquido para evitar a desidratação.

2. Não dar alimentos que possam causar irritação nas bolhas da pele.

3. Ficar de olho para que não apresentem febre, inflamação nos gânglios ou outro incômodo. Se isso acontecer, faça uma consulta com o pediatra.

Como dissemos anteriormente, a herpes não tem cura. Apenas é possível acelerar o seu tratamento, mas o vírus vai ficar inativo no organismo da pessoa portadora.

É possível prevenir a herpes em crianças?

Não há grandes mistérios em torno da prevenção da herpes em crianças. O mais recomendado é evitar o contato com qualquer pessoa que apresente as bolhas. Do mesmo modo, é aconselhável não levar a criança à escola se elas estiver com os sintomas.

Nos jovens e adultos em idade sexual, o uso da camisinha de látex ou a abstinência sexual são os melhores métodos para prevenir qualquer doença sexualmente transmissível, inclusive, a herpes.