Hipermenorreia: causas e tratamento

· 22 de fevereiro de 2018
A hipermenorreia é uma das alterações que a mulher pode sofrer no seu período menstrual. A seguir, vamos detalhar suas causas e seu tratamento.

Todas as mulheres, aproximadamente a cada dois anos, experimentam uma alteração no sangramento vaginal durante o período menstrual, que pode ser observado em maior ou menor medida.

A grande maioria das mulheres percebe, em algum momento de sua vida, um aumento no fluxo vaginal e isso é normal. No entanto, se esse aumento for excessivo e tiver ocorrido em mais de um ciclo menstrual, estamos falando de hipermenorreia.

Como se observa a hipermenorreia

O principal sintoma da hipermenorreia é o aumento do sangramento durante o ciclo menstrual. Os fatores que podem propiciar seu aparecimento são vários.

Como foi mencionado, a cada dois anos (em média) pode-se experimentar um aumento do sangramento durante a menstruação. No entanto, essa alteração não deve se prolongar. Por ter esse comportamento, estamos falando de uma sintomatologia básica de hipermenorreia.

As alterações no fluxo vaginal não devem ser analisadas superficialmente, mesmo se forem relativamente leves. Um aumento no sangramento menstrual pode resultar em uma alteração hormonal que pode, além disso, estar sendo causado por patologias graves que requerem uma revisão geral imediata por parte do ginecologista.

É preciso destacar que a hipermenorreia mantém um perfil independentemente de outras doenças relacionadas ao fluxo vaginal. Em primeiro lugar, a hipermenorreia se apresenta acompanhada do ciclo menstrual, diferentemente de outras doenças semelhantes em que o sangramento não segue o mesmo ritmo; ou então se apresenta também através de uma alteração no caráter temporário do surgimento da menstruação. Como dito anteriormente, é necessário que um médico especialista realize o diagnóstico específico.

Existe uma quantidade de sangramento dentro do patamar normal?

Não existe um dado quantitativo que nos indique se estamos tendo um sangramento vaginal dentro de um patamar normal. Como dito anteriormente, cada mulher mantém um nível de fluxo vaginal próprio, por isso não existe uma medida geral que possibilite uma medição objetiva.

Então, não existe uma quantidade determinada de sangramento menstrual que nos permita diagnosticar uma hipermenorreia. Apesar disso, como foi mencionado, as alterações hormonais exigem atenção. Por isso, embora o aumento do sangramento menstrual seja mínimo, é preciso procurar um médico quando esse padrão se apresentar em um segundo período menstrual consecutivo.

“As alterações no fluxo hormonal não devem ser consideradas superficialmente, mesmo se forem relativamente leves”

Esse aumento do excesso de fluxo vaginal nem sempre é perceptível de forma objetiva. Naqueles casos em que a mulher não tem certeza de que está experimentando sangramento anormal em seu período menstrual, existe uma forma de ajudar a constatar a presença desse aumento de maneira indireta. Isso pode ser observado, por exemplo, quando a mulher faz uso de mais de seis absorventes por dia.

Via de regra, todo aumento da higiene feminina que esteja relacionado com o sangramento menstrual pode nos ajudar a deduzir um padrão anormal de fluxo vaginal durante a menstruação.

Causas para a hipermenorreia

A hipermenorreia apresenta um amplo leque de possíveis causas, e o grau de gravidade delas pode ser também muito diferente. Algumas das mais comuns são:

  • Dificuldade do músculo uterino de se contrair. Isso faz com que o corpo tenha problemas para controlar a hemorragia durante o ciclo menstrual. Isso costuma ser causado por doenças como miomas intramurais ou adenomiose.
  • Várias gestações anteriores. As mulheres que pariram várias vezes podem apresentar um enfraquecimento dos tecidos do músculo uterino, e, então, ter sangramento abundante durante o ciclo menstrual.
  • Ampliação da superfície de sangramento do útero. Essa causa, por sua vez, pode ser provocada por doenças como pólipos uterinos, miomas submucosos ou hiperplasia do endométrio.
  • Síndrome da congestão pélvica. Provoca a dilatação das veias presentes na pélvis, promovendo um acúmulo de sangue que pode aumentar o sangramento durante o período menstrual.
  • Doenças do sangue. Algumas doenças de sangue ou o uso excessivo de remédios como a aspirina afetam a coagulação, provocando uma perda de sangue durante o ciclo menstrual maior do que em condições normais.
  • Câncer de útero. Pode ser um dos desencadeadores da hipermenorreia e, além disso, um dos fatores que indicam ser extremamente recomendável prestar atenção a um sangramento anormal durante o ciclo menstrual. O que foi explicado anteriormente não quer dizer necessariamente que a presença da hipermenorreia esteja associada com câncer de útero. Na maioria das vezes, os elementos que levam a sangramentos abundantes serão outros.

Procurar o médico se for detectada a hipermenorreia é fundamental, e até pode salvar a vida da mulher.

mulher com mão cabeça

Tratamento da hipermenorreia

A hipermenorreia pode não se apresentar exclusivamente através de um sintoma isolado que desencadeie o sangramento na menstruação. Cefaleia, astenia, dor muscular e outros sintomas também podem estar presentes.

Reconhecer e informar o seu ginecologista sobre os sintomas que você começou a perceber a respeito da hipermenorreia pode ajudá-lo a deduzir a origem do problema e, por fim, fazer um diagnóstico mais rápido e certeiro. Isso vai permitir que você comece mais rápido o tratamento adequado para aliviar esse problema.

Na maioria dos casos, a hipermenorreia pode ser causada por um músculo uterino que não se contrai de maneira suficiente para frear o sangramento ou então a uma congestão pélvica. Para esses casos mais comuns, o tratamento será quase sempre farmacológico. Seu ginecologista pode prescrever remédios voltados ao aumento da capacidade de contração uterina, assim como analgésicos para aliviar a dor que acompanha a hipermenorreia.

“Para os casos mais comuns, o tratamento para a hipermenorreia será quase sempre farmacológico”

Outros casos mais específicos deverão ser atendidos por seu ginecologista, recebendo o tratamento adequado, seja através de remédios diferentes aos mencionados para tratar a origem do problema, ou então, nos casos mais graves, mediante métodos cirúrgicos. A cirurgia poder aliviar tanto o sangramento abundante quanto a doença que está causando a hipermenorreia.