A importância do teste de Apgar em recém-nascidos

· 8 de janeiro de 2017

Embora as mães esperam ansiosamente para ter seus filhos em seus braços elas compreendem a importância desse detestável atraso para mimar o bebê após o parto, pois desde a sua concepção a saúde do bebê a preocupa. Justamente para examinar o recém-nascido, os médicos geralmente o submetem ao chamado “teste de Apgar”.

Deste modo, sob o olhar atento dos pais, médicos e enfermeiros vão realizar essa avaliação minuciosa no pequeno, onde consideram-se inúmeros fatores para descartar a necessidade de uma possível atenção especial perante um eventual problema de saúde.

Saiba o que é e em que consiste este diagnóstico rápido conhecido como teste de Apgar. Quando se faz e como se executa? Continue lendo porque neste artigo você encontrará todas as respostas para suas perguntas.

O que é o Teste de Apgar?

Os primeiros dez minutos de vida de um bebê são críticos. Por isso, os médicos realizam imediatamente o Teste de Apgar, um exame rápido do estado de saúde do recém-nascido. É realizado na hora, passados cinco minutos e por vezes, passados os dez minutos.

Através deste ponto são avaliados cinco parâmetros que são: a respiração, o pulso ou a frequência cardíaca, atividade e tônus muscular, irritabilidade ou resposta reflexiva e aparência ou cor da pele. Cada fator, segundo a vitalidade do bebê, tem uma pontuação de 0 a 2, que será somada para formar a pontuação.

O teste de Apgar inicial serve para saber como o bebê tolerou o processo de parto, enquanto o complementar indica a adaptação do bebê à vida fora do útero, por isso é considerado mais relevante como preditor da saúde da criança.

Desta maneira, o exame é uma ferramenta fundamental das neonatologias para determinar de forma rápida e pouco incômoda se o recém-nascido precisa de ajuda respiratória, apresenta problemas cardíacos ou se por falta de oxigênio adquiriu sequelas neurológicas.

O que se observa?

Desde já, o teste de Apgar não é nenhum exame ou classificação que excede a saúde e os cuidados do recém-nascido no momento imediato de seu parto, atendendo, por exemplo ao estado da criança durante a avaliação, o quão adormecido ou acordado está, se tem de reflexos, etc…

Se a pontuação do teste varia entre 8 e 10, o recém-nascido passou pelo parto de forma ótima e se adapta corretamente ao mundo exterior. Se o resultado varia de cinco a sete o bebê sofreu uma deficiência de oxigênio durante o parto, então deverão lhe aplicar uma fonte próxima de oxigênio.

Muito poucos bebês obtêm uma pontuação inferior a 5, estes em geral são os prematuros ou os nascidos por cesariana de emergência, enfrentaram dificuldades durante o parto, ou têm possibilidade de sofrer de problemas respiratórios ou cardíacos, exigindo maior intervenção profissional.

Avaliação de indícios

Durante cada teste de Apgar o pediatra irá avaliar uma série de características às quais serão dadas uma pontuação que varia de 0 a 2 e cuja somatória será entre 0 e 10, percebendo o estado em que se encontra o bebê após sua chegada ao mundo.

  • Ritmo cardíaco. Colocando dois dedos sobre o cordão umbilical que ainda pulsa ou através de um estetoscópio, se avalia a frequência cardíaca do recém-nascido, considerando que esta nos bebês geralmente é mais elevada do que a dos adultos. Segundo os pediatras, este é o parâmetro avaliado mais importante teste de Apgar. Se a criança não apresenta ritmo cardíaco é pontuada com zero; se tiver menos de 100 batimentos por minuto, isso corresponde a 1 e se for superior a 100 durante este mesmo intervalo de tempo, a pontuação 2.
  • Respiração. O esforço respiratório denota a maturidade e a saúde dos pulmões, ou seja, como o pequeno respira, para isso se observa atentamente os movimentos do tórax ao inalar e exalar. Quando a criança não respira, se coloca zero; se a sua respiração é lenta ou irregular, tem 1 ponto; e se apresenta uma respiração correta ou está chorando, soma 2 pontos.
  • Tônus muscular. Aqui é considerada a força dos movimentos e a flexão das extremidades do recém-nascido. Um bebê tem bom tônus muscular quando tem as extremidades flexionadas e consegue movimentos ativos, obtendo então um 2 como pontuação, enquanto o tônus muscular pobre é percebido em casos de extremidades esticadas e flácidas, cuja pontuação será zero.
  • Reflexos. Se trata da reação automática e involuntária do recém-nascido perante determinados estímulos externos relativamente incômodos. Avalia-se principalmente o reflexo de irritabilidade (choro, sorriso, tosse, espirros, birras, etc…) Uma ausência de resposta, corresponde a zero; se apresenta caretas e gestos leves, ganha 1, se chorar, tossir ou espirrar, pontua-se com 2.
  • Cor da pele. Esta variável reflete o grau de oxigenação do bebê e varia de acordo com a pigmentação da criança já que, em meninos de pele negra são observadas a cor das mucosas da boca, a córnea, os lábios, as palmas das mãos e as solas dos pés. Se é um bebê de pele branca, irão considerar a aparência da sua pele em geral, e o contraste com o estado das mãos e pés.