Durante a infância, os dias são longos e os anos muito curtos

· 18 de julho de 2017

Durante a infância, os dias são longos, as noites eternas, no entanto os anos são muito curtos. Não sabemos muito bem como acontece, mas quase sem perceber nossos pequenos descem do nosso colo para começar a andar, e nosso corpo deixa de ser o refúgio tão importante, mas nosso coração sempre vai ser o lar disponível, nosso coração vai bater todos os dias por eles e pela felicidade dos pequenos.

Os especialistas dizem que nossa percepção do tempo costuma mudar na medida em que crescemos e nos tornamos mais velhos. Para as crianças, uma tarde pode parecer eterna. Para um adulto, um ano pode passar num piscar de olhos. Por que isso acontece? O simples fato de ter muitas responsabilidades, e de ter  uma vida com alto nível de estresse faz com que muitas vezes o tempo passe muito mais rápido no nosso cérebro.

No entanto, durante a infância ocorre um fenômeno tão curioso quanto contraditório. Por um lado, vivemos uma dessas fases da nossa existência na qual o “aqui e agora” não consegue ser mais físico, mais intenso, emotivo e caótico.  Os dias podem ser sem dúvidas muito longos. No entanto, mesmo que tudo pareça complicado, essa felicidade faz com que a percepção do tempo também se dissolva como um torrão de açúcar num copo d’água.

Às vezes, basta piscar os olhos para descobrir que nosso pequeno já anda, corre, vai ao banheiro sozinho e reclama quando tentamos pegá-lo no colo para dar um beijo. É como se a infância dos nossos pequenos fosse quase como um suspiro e isso às vezes nos assusta, provoca certa tristeza… Se você está passando por isso, temos certeza de que podemos te ajudar.

A infância é dura, sim, mas também é o reflexo do nosso amor

rápido

Você passou por medos que só você sabe. O medo de não poder proporcionar leite em quantidade suficiente. Medo de que o pequeno estivesse com dor e você não soubesse. Medo de machucá-lo ao deitar na cama junto com ele. Medo de não ser uma mãe à altura quando lhe falaram sobre o quanto a maternidade e a criação de um filho são complicadas.

No entanto, hoje, depois de infinitos dias e infinitas noites em claro você percebeu que todos esses medos foram motivações para se superar à cada dia.  Foram tantos desafios superados que aquelas horas de choro, inquietações, mamadeiras, fraldas, termômetros e canções de ninar são sem dúvidas uma das melhores lembranças da sua vida.

Como o tempo passou tão rápido, sendo que houve instantes que pareceram eternos? Esse pensamento, essa ideia de que os anos passam muito rápido se deve basicamente à felicidade. Quando as coisas vão bem e vemos nossos pequenos felizes e radiantes, a sensação de calma não nos permite ter uma consciência fixa do tempo. O tempo passa voando porque tudo está em equilíbrio.

No entanto, o verdadeiro problema acontece quando algo não está bem. Muitas mães e muitos pais que passaram por um momento difícil com seus filhos, sem dúvidas, perceberam que nessas horas o tempo parece parar. É como um peão que parou de rodar, uma porta que não se fecha, uma página do livro que não é lida. A dor, a inquietação, e a tristeza são elementos que fazem o tempo parar.

Assim, lembre-se de que se a infância passou voando é porque tudo correu bem. Porque você está agindo da maneira correta.

rápido

Um dia seu pequeno vai andar mais rápido e você deve deixá-lo ir…

Nós sabemos que pensar que nosso pequeno vai crescer e vamos precisar deixá-lo ir nos assusta, nos deixa tristes e, inclusive, nos preocupa. No entanto, esse é o fim último da infância: oferecer ao mundo crianças independentes, pessoas bonitas, corajosas, livres, capazes e felizes que possam abrir seus próprios caminhos.

No entanto, você não deve ter medo ou antecipar as coisas. O ideal é sempre aproveitar o “aqui e agora” do que se está vivendo, onde o principal objetivo é construir lembranças inesquecíveis, âncoras cheias de magia, amor e carinho que consigam perdurar para sempre na sua mente e na do seu filho.

Aproveite enquanto você ainda pode carregá-lo nos braços, aproveite esses momentos em que ele ainda procura sua mão quando vocês estão passeando, em que ele quer dormir com a mamãe, em que ri às gargalhadas quando você o beija e faz cócegas. Idealize na sua mente momentos inesquecíveis com sua presença e seu carinho, porque o amor de hoje vai ser sua inspiração de amanhã.

A infância que você proporciona agora, baseada no apego e no afeto sábio e intuitivo vai ser a luz que transformará seu pequeno, pouco a pouco, em uma pessoa excepcional e, acima de tudo, FELIZ.