A influência da enurese infantil na autoestima da criança

· 17 de dezembro de 2018
Vamos abordar de que maneira você pode resolver esse problema, desde o apoio à compreensão para recuperar a confiança e a rotina de ir ao banheiro.

Se você encontrar xixi na cama de seu filho, não o repreenda, trata-se de enurese infantil. Mesmo que seja algo normal, com certeza está afetando a autoestima dele.

Fazer xixi na cama pode ser algo natural para crianças, especialmente quando estão aprendendo sozinhas a controlar os esfíncteres.

No entanto, quando a enurese infantil continua depois dos 5 anos de idade e acontece com frequência, é hora de se preocupar e resolver esse problema.

A partir dos 5 ou 6 anos de idade, geralmente, a enurese infantil representa fraqueza emocional, estresse, frustração e vergonha para as crianças diante dos amiguinhos.

Isso muitas vezes afeta a autoestima, gerando ansiedade, baixo rendimento escolar e agravando ainda mais a situação. Nesse sentido, um tratamento adequado pode ajudar a melhorar o caso.

No entanto, é o apoio e a compreensão recebidos dos pais o que vai estimular a criança a reduzir seu mal-estar psicológico e ajudar a enfrentar de novo a ida desacompanhada ao banheiro.

Querida mamãe, as crianças por si só exigem muita atenção, ainda mais quando fazem xixi na cama. Assim, a melhor atitude é explicar com muita paciência e com grande carinho que qualquer criança da mesma idade pode passar por uma situação como essa.

Estudos comprovaram que a incapacidade de controlar os esfíncteres depois dos 5 anos de idade afeta por volta de 20% das crianças e tem maior incidência nos meninos.

Enurese: o que você não deve fazer

enurese infantil

É fundamental enfrentar o problema a tempo. Caso contrário, pode se refletir demais no estado emocional do seu filho. Por isso, é bom saber o que você deve fazer diante desse “pequeno acidente” para ser capaz de ajudá-lo a superar e a se sentir melhor.

Como boas mães, muitas vezes, cometemos o erro de nos preocuparmos ou nos alterarmos exageradamente diante de um problema dos nossos filhos.

No entanto, é importante controlar nossas emoções e tentar minimizar a ideia de que se trata de “algo errado”.

Como já dissemos anteriormente, trata-se de algo normal. Portanto, é bom evitar broncas, reprimendas, dramas, caras feias e, principalmente, castigos. Devemos nos lembrar de que são crianças e, provavelmente, elas não entendem o que está acontecendo.

Outra atitude que devemos evitar é acordar as crianças em diferentes horários para incentivá-las a urinar.

Embora possa dar bons resultados, possivelmente pode ocasionar outros problemas na hora de conciliar de novo o sono, como, por exemplo, insônia ou birras.

Faça elogios aos progressos alcançados e procure um especialista

enurese infantil

Então, não podemos deixar de lado a assistência de um especialista, tanto de um médico-pediatra quanto de um psicólogo.

Estes são os profissionais mais indicados para nos orientar a resolver a dificuldade e fortalecer a autoestima dos pequenos da casa.

Se por um caso a situação perdurar, não existe motivo para se preocupar. Hoje em dia, podemos recorrer a terapias e certos tratamentos (inclusive com medicamentos) para solucionar esse problema e recuperar a qualidade de vida das crianças.

Em casa, é bom elogiar os esforços realizados. Ou seja, incentivar a criança sempre que conseguir ir sozinha ao banheiro.

Além disso, podemos organizar um calendário de modo a motivá-la quando observar seus avanços, ajudá-la a trocar a roupa de cama e o pijama quando tiver acontecido esse “pequeno acidente” ou planejar exercícios para controlar a incontinência urinária, dentre outros métodos.

Todo o progresso alcançado pela criança para superar a enurese infantil que vier junto com elogios, demonstrações de aprovação, apoio e satisfação fará com que ela se sinta melhor e consiga ir trabalhando com todo o empenho para amenizar esse problema.

Fazer xixi na cama à noite é, sem dúvida, uma situação que afeta a autoestima das crianças e sua capacidade de se relacionar com outras crianças da mesma idade.

Mas os dois elementos essenciais para ajudá-las a recuperar a confiança são o apoio e a compreensão familiar.

Desse modo, a criança irá sozinha ao banheiro e a veremos pouco a pouco recuperar a capacidade de se relacionar com os amiguinhos de brincadeira sem sofrimento ou frustração.