A inteligência matemática nas crianças

13 de janeiro de 2020
A inteligência matemática envolve uma série de habilidades básicas para o desenvolvimento na vida cotidiana. A seguir, vamos explicar mais sobre esse tema.

A aprendizagem e o treinamento da inteligência matemática por parte das crianças é fundamental para o desenvolvimento cognitivo. De fato, a competência matemática é aquela necessária para descrever e analisar:

  • Quantidades.
  • Espaço.
  • Formas.
  • Mudanças.
  • Relações.
  • A incerteza e o acaso.

Portanto, ela está muito presente em todos os aspectos da vida das pessoas. É por isso que as crianças, desde pequenas, devem aprender a encarar e compreender essas habilidades.

“A matemática é onde o espírito encontra os elementos pelos quais ele mais anseia: a continuidade e a perseverança”.

-Jacques Anatole France-

A inteligência matemática nas crianças

De acordo com Howard Gardner, a inteligência lógico-matemática é a capacidade de usar os números de maneira efetiva e de raciocinar adequadamente. Isso inclui as seguintes habilidades:

  • Analisar situações de uma maneira lógica.
  • Solucionar problemas matemáticos.
  • Utilizar e representar sistemas de quantificação numérica.
  • Encarar desafios baseados em descobertas.
A inteligência matemática nas crianças

Para adquirir essas competências, é necessário que as crianças se sintam confortáveis com os números e as tarefas que estão relacionadas ao seu uso. Da mesma forma, é indispensável que elas aprendam a entender a informação que é apresentada em termos matemáticos.

Assim, segundo María del Carmen Chamorro, as dimensões da capacidade matemática que as crianças devem aprender durante a etapa escolar são as seguintes:

  • Compreensão conceitual de noções, propriedades e relações matemáticas.
  • Desenvolvimento de destrezas procedimentais.
  • Pensamento estratégico: formular, representar e resolver problemas.
  • Habilidades de comunicação e de argumentação matemática.
  • Atitudes positivas em relação a situações matemáticas.
  • Consciência das próprias capacidades matemáticas.

Ensino de matemática na escola

No sistema educativo atual, o ensino da matemática tem uma abordagem rotineira e repetitiva, de modo que são realizados exercícios de cálculo e aritmética de forma contínua até se conseguir a sua automatização.

Portanto, as atividades matemáticas que são propostas no colégio se baseiam na memorização de uma série de passos para conseguir chegar à solução. Assim, em muitos casos, as crianças resolvem as tarefas de forma mecânica, sem chegar a empregar a reflexão e o raciocínio lógico para encontrar a resposta correta do exercício.

Para remediar tal problema, os professores devem abandonar a metodologia tradicional de ensino e aplicar outra mais prática. Ou seja, os alunos têm que aprender matemática por meio de atividades realistas que exemplifiquem a utilidade dos conhecimentos numéricos.

Nesse sentido, dentro da educação baseada em competências estão incluídos vários elementos inovadores, como, por exemplo:

  • Potencializar uma atitude ativa no processo de aprendizagem da matemática.
  • Fomentar a satisfação e a diversão em relação à matemática por meio de tarefas lúdicas.
  • Desenvolver a criatividade na solução de problemas.
  • Promover a manipulação de objetos matemáticos.
  • Refletir sobre a aquisição do pensamento lógico.
  • Fomentar a confiança em si mesmo.
  • Potencializar a transferência dos conhecimentos matemáticos para a vida cotidiana.
  • Desenvolver a capacidade de utilizar de maneira eficaz as novas tecnologias.
A inteligência matemática nas crianças

A importância de desenvolver a inteligência matemática

Desenvolver a inteligência matemática é fundamental para viver na cultura e na sociedade atuais, já que essa capacidade intelectual permite poder entender horários, mapas, gráficos, tabelas, análises etc. Da mesma forma, ela proporciona as habilidades básicas para realizar compras, vendas, pagar faturas, viagens, fazer receitas etc.

Ou seja, graças ao fato de conhecer e compreender a lógica e o cálculo numérico, você pode realizar muitas das tarefas com as quais se depara no dia a dia. Por outro lado, a inteligência matemática fomenta o pensamento crítico e divergente, que é indispensável para:

  • Realizar debates e discussões defendendo as ideias com certo critério.
  • Selecionar e compreender a informação que os meios de comunicação fornecem, especialmente se ela estiver relacionada com aspectos matemáticos.
  • Procurar padrões e relações entre ideias e conceitos.
  • Prestar atenção nos detalhes.

Nesse sentido, cabe destacar a seguinte reflexão que é exposta no Manual de Matemáticas y su Didáctica para Maestros (Manual de matemática e a sua didática para professores) da Universidade de Granada:

“Um dos fins da educação é formar cidadãos cultos, mas o conceito de cultura é variável, e se amplia cada vez mais na sociedade moderna. Cada vez mais se reconhece o papel cultural da matemática e a educação matemática também tem como fim proporcionar essa cultura.”

-Godino, Batanero y Font-

  • Cardoso, E. y Cerecedo, M. (2008). El desarrollo de las competencias matemáticas en la primera infancia. Revista iberoamericana de educación47(5), 1-11.
  • Chamorro, M. (2003): La didáctica de las matemáticas para primaria. España: Síntesis Educación.
  • Gobierno Vasco. (2010). Decretos curriculares para la Educación Infantil, Básica y Bachillerato de la Comunidad Autónoma del País Vasco. País Vasco: Departamento de Educación, Universidades e Investigación.
  • Godino, J. D., Batanero, C., y Font, V. (2003). Fundamentos de la enseñanza y el aprendizaje de las matemáticas para maestros. Granada: Universidad de Granada.