Mãe tigre, golfinho ou água-viva: qual você é?

Os diversos modelos parentais se devem a diferenças na forma de aplicar a disciplina com as crianças. Você quer descobrir qual deles caracteriza melhor seu estilo?
Mãe tigre, golfinho ou água-viva: qual você é?

Última atualização: 19 Setembro, 2021

A forma como criamos nossos filhos é um fator determinante para o futuro deles. Através dessa forma, colaboramos com o desenvolvimento de sua personalidade, sua autoestima e sua formas de se relacionar com os outros.

Todos nós queremos o melhor para os nossos filhos, mas às vezes não percebemos os erros que podem afetá-los. É preciso tomar consciência da educação que lhes proporcionamos e seguir o estilo parental que mais nos representa.

Você é daquelas que quer que seu filho se destaque em tudo, mesmo que isso não o faça feliz, ou permite que ele faça tudo o que quiser, para que aprenda a viver por si mesmo? A seguir, vamos explicar as diferenças entre as mães tigre, golfinho e água-viva.

O que são estilos parentais e por que são importantes?

Os estilos parentais são as maneiras pelas quais os pais respondem às emoções e ações dos filhos. É uma diretriz de ação que inclui comportamentos, atitudes, emoções e pensamentos que surgem ao criar os filhos.

Seu aspecto mais importante é que ele determina a base sobre a qual as crianças constroem seu desenvolvimento emocional e social, em busca do bem-estar presente e futuro. A criação determina como as crianças se sentem sobre si mesmas e os outros.

Isso é essencial para alcançar uma interação social adequada e estabelecer relações sólidas de afeto com os outros.

Existem quatro estilos parentais clássicos: democrático, autoritário, permissivo e indiferente. Dependendo de qual você escolher, pode se colocar em um dos três tipos de mãe que apresentaremos a seguir.

Mãe tigre, golfinho ou água-viva: com qual você se identifica?

Todos os humanos são diferentes. Portanto, assim como existem diferentes tipos de filhos, também existem vários tipos de mães. E isso depende da forma como elas aplicam a disciplina e, também, da atitude que apresentam em relação às atividades dos filhos.

Mãe tigre

Esse tipo de mãe se caracteriza por ser excessivamente rígida e totalmente contra a permissividade extrema.

Ela garante que seus filhos façam os deveres de casa perfeitamente, seja na escola ou em casa. Limita o tempo livre e prioriza o aprendizado, para que seus filhos tirem as melhores notas.

Mãe repreendendo a filha por seu mau comportamento.

Embora esse tipo de educação tenha muitas vantagens, não podemos esquecer as consequências negativas que isso acarreta. Como por exemplo, os medos, a repressão de emoções e a baixa autoestima dos filhos.

A seguir, listaremos algumas das características de destaque da mãe tigre:

  • Faz uso frequente de ameaças: “Se você não guardar os brinquedos, vou jogá-los fora”.
  • Impõe regras estritas e rígidas.
  • Está sempre observando e lembrando seus filhos do que precisam fazer.
  • Seu amor maternal é condicionado pela atuação dos filhos: “Me parte o coração você não ter tirado boas notas”.

Mãe água-viva

Esse tipo de mãe faz alusão às partes moles de uma água-viva. Por isso, caracterizam-se pela falta de autoridade e firmeza, e por serem excessivamente permissivas.

Essas mães permitem que seus filhos enfrentem as situações da vida sem estabelecer limites ou regras. Elas geralmente não aplicam disciplina e não deixam claro o que esperam de seus filhos. Elas acreditam que as crianças podem aprender por meio de suas próprias ações, sem mediação por parte dos adultos.

Compartilhamos mais algumas características da mãe água-viva:

  • Tem dificuldade de falar com os filhos com clareza para explicar o que deseja que eles mudem.
  • Seus filhos sempre fazem o que querem. Pelo menos a maior parte do tempo.
  • Elas se permitem ser manipuladas por seus filhos por meio de acessos de raiva ou birras.
  • Geralmente cedem às demandas e exigências de seus filhos.
  • Tem pouco controle sobre as crianças e permite que elas quebrem suas rotinas diárias com muita frequência.

Mãe golfinho

Esse estilo de criação é o mais equilibrado e resulta da mistura entre a mãe água-viva e a mãe tigre.

A mãe golfinho está ciente do que acontece ao redor de seus filhos, mas não reage imediatamente a nenhum evento.

Ela permite que seus filhos tomem decisões sobre suas próprias ações e os ajuda a serem autossuficientes. É um estilo equilibrado entre regras e independência, brincadeira e trabalho.

Esse estilo parental estabelece bons limites e atribui aos filhos responsabilidades adequadas à idade. Permite que eles façam escolhas, mas com consciência de suas ações. Essas mães dão grande importância a certas habilidades, como pensamento crítico, criatividade, colaboração e comunicação.

Outras características típicas da mãe golfinho são as seguintes:

  • Estabelece uma comunicação clara, firme e flexível com seus filhos.
  • Prioriza a saúde emocional e a automotivação dos pequenos.
  • Permite uma aprendizagem autônoma e valoriza muito a criatividade. Não apenas as regras.
  • Promove o aprendizado a partir dos erros e das falhas.

Sobre a mãe tigre, golfinho ou água-viva podemos dizer…

Agora que você conhece os três tipos de mãe, está pronta para refletir e se identificar com um deles.

É claro que cada mãe ou pai decide como vai criar seus filhos. Mas é importante considerar que para se obter determinado resultado é necessário escolher o caminho mais adequado. Cada estilo de educação traz consequências diferentes para as crianças, por isso é essencial saber quais são as aspirações e como agir para atingi-las.



  • Jorge, E., & González, M. C. (2017). Estilos de crianza parental: una revisión teórica. Informes Psicológicos, 17(2), 39-66. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7044268
  • Escrivá, M. V. M., García, P. S., Porcar, A. M. T., & Díez, I. (2001). Estilos de crianza y desarrollo prosocial de los hijos. Revista de psicología general y aplicada: Revista de la Federación Española de Asociaciones de Psicología, 54(4), 691-703.
  • Rangel, J. V. (2003). Estilos de crianza, estilos educativos y socialización:¿ Fuentes de bienestar psicológico?. Acción pedagógica, 12(1), 48-55. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2972859