Mamadeira de plástico ou vidro: qual escolher?

Vamos contar aqui tudo o que você precisa saber para escolher entre uma mamadeira de plástico ou de vidro. Continue lendo.
Mamadeira de plástico ou vidro: qual escolher?

Última atualização: 22 fevereiro, 2022

Cada vez mais pais se perguntam se é melhor alimentar seus filhos com uma mamadeira de plástico ou de vidro. O mercado infantil oferece inúmeras opções de escolha e isso pode confundir os pais de primeira viagem.

Hoje esses utensílios não são usados apenas na hora de escolher amamentar com leite em pó. No momento da amamentação, a mamadeira também pode ser necessária para o retorno ao trabalho materno ou diante de dificuldades na interação boca-mamilo.

Portanto, além do tipo de leite, a compra de uma mamadeira pode ser necessária. E conhecer melhor as opções permitirá que os pais tomem melhores decisões sobre a alimentação do filho.

Características da mamadeira

Antes de optar por uma mamadeira de plástico ou vidro, você deve conhecer as características que as diferenciam. Entre suas qualidades distintivas, destacamos o seguinte:

  • Peso: as mamadeiras de plástico são mais leves e fáceis de manusear. Por outro lado, as de vidro são muito mais pesadas.
  • Resistência: a mamadeira de vidro é resistente a arranhões e fontes de calor. Por sua vez, o plástico pode rasgar onde os germes se acumulam e liberam toxinas quando aquecidos.
  • Cor: as mamadeiras de plástico e vidro se caracterizam por serem transparentes, embora as primeiras tendam a apresentar uma tonalidade mais opaca. É comum que o plástico escureça com o tempo e manche com alguns alimentos.
  • Cheiro: o plástico pode absorver odores, o vidro não.
  • Quebras: a mamadeira de plástico pode ser considerada inquebrável. A de vidro é bastante frágil e, se cair, provavelmente vai quebrar. Isso aumenta o risco de cortes e ferimentos.
  • Desgaste: o plástico se deteriora com o uso, especialmente quando submetido a fontes de calor, como a esterilização. O vidro, por outro lado, não se desgasta nem se altera com a temperatura.
  • Manutenção: as mamadeiras de plástico e de vidro podem exigir substituições frequentes. As plásticos precisam ser substituídas depois de um tempo devido à deterioração do uso diário. Aquelas feitas de vidro tendem a quebrar com mais frequência por acidente.
  • Impacto ambiental: o vidro é considerado um material muito mais ecológico do que o plástico.
  • Tamanho: as mamadeiras de plástico e de vidro são de tamanhos diferentes. Desde pequenas garrafas de 60 ou 90 mililitros para as primeiras semanas até outras de 150 e 300 mililitros para quando a criança crescer.
Bebê tomando mamadeira.

Diferenças entre mamadeiras de plástico e vidro

Como você viu, existem diferenças notáveis entre uma mamadeira de plástico e uma mamadeira de vidro. A escolha de uma ou outra será baseada nas necessidades do seu filho, em sua idade e suas próprias preferências.

A seguir, mencionaremos as características marcantes de cada um desses materiais.

A mamadeira de plástico

Esse material caracteriza-se por ser leve, transportável e resistente a choques e quedas. Por isso, é a opção mais cômoda quando para deslocamentos ou quando o pequeno já segura a mamadeira sozinho.

Hoje, a maioria das mamadeiras de plástico é feita de materiais seguros e adequados para a alimentação de bebês. Porém, o tempo de uso e a temperatura de esterilização as desgastam aos poucos.

É comum que a cor do frasco fique mais opaca, adquira certo odor e rasgue. Também podem acumular germes, e é por isso que fazemos questão de manter esses recipientes bem limpos.

O ideal é não colocá-las no micro-ondas para evitar sua deterioração e prolongar sua vida útil.

Um aspecto importante a considerar

Ao escolher uma mamadeira de plástico, você deve saber que existem normas para a fabricação desses utensílios. Por exemplo, a proibição do uso de bisfenol A (BPA) entre seus componentes.

Esse produto químico é comumente usado para a fabricação de diversos plásticos. Porém, o acúmulo dessa substância no organismo dos bebês pode ser bastante prejudicial. Entre algumas das doenças relacionadas ao BPA, foram descritas desordens metabólicas, hormonais, hepáticas e até tumorais.

A mamadeira de vidro

O frasco de vidro é frequentemente recomendado por ser um dos mais fáceis de limpar e esterilizar. As características do material evitam que os germes adiram às paredes do recipiente.

Portanto, as mamadeiras de vidro são consideradas mais seguras para a saúde do bebê quanto ao risco de infecção.

Além disso, o desgaste desse material é quase nulo: não muda com o tempo, não mancha, não adquire qualquer cheiro ou sabor e não se deteriora com a temperatura. Isso o torna adequado para aquecimento direto no micro-ondas, pois não elimina qualquer toxidade com o calor.

Por fim, é um material transparente, duro, impermeável, não poroso e com grande resistência a arranhões. Esses recursos proporcionam grande durabilidade, a menos que caia e se quebre.

Em qualquer caso, o vidro é um material mais ecológico e em caso de quebra pode ser reciclado.

Uma das desvantagens é o peso, que pode ser um problema no transporte.

Outra desvantagem é sua fragilidade. Portanto, não é um objeto recomendado para ser manipulado pela criança por conta própria.

Mamadeiras de vidro.

Uma escolha pessoal…

Como você viu, a escolha de uma garrafa de plástico ou de vidro depende muito das preferências e necessidades de cada família. Cada um dos materiais tem suas vantagens e desvantagens, mas respondem melhor a diferentes situações.

As mamadeiras de vidro podem ser úteis nos primeiros meses do bebê. Mas quando se trata de usar fora de casa ou quando o bebê quer segurar sua mamadeira, as de plástico são mais leves e seguras.

Para escolher uma garrafa de plástico ou vidro, é melhor pensar nos horários em que a garrafa será usada, na idade da criança e nas preferências familiares. Ambas as opções têm seus benefícios e você e seu bebê poderão encontrar a que melhor se adapta às suas necessidades.

Pode interessar a você...
O que são as mamadeiras anticólicas?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O que são as mamadeiras anticólicas?

As mamadeiras anticólicas chegaram ao mercado para resolver um problema que atormenta muitas crianças há anos. A seguir, mais detalhes



  • Cerpa Sáenz, E. J. (2019). Determinación de bisfenol a en mamilas y biberones comercializados en la ciudad de Cartagena de indias utilizando cromatografía de gases acoplado a espectrometría de masas (GC/MS) (Doctoral dissertation, Universidad de Cartagena).
  • Siddique, S., Zhang, G., Coleman, K., & Kubwabo, C. (2021). Investigation of the migration of bisphenols from baby bottles and sippy cups. Current Research in Food Science, 4, 619-626.
  • Ortega-García, J. A., Aguilar-Ros, E., Ares-Segura, S., Agüera-Arenas, J. J., Pernas-Barahona, A., de Pipaón, M. S., … & i Tortajada, J. F. (2021, April). Exposiciones laborales, dieta y envasado: recomendaciones para reducir los contaminantes medioambientales en la lactancia materna. In Anales de Pediatría (Vol. 94, No. 4, pp. 261-e1). Elsevier Doyma.
  • Sinuco, D., Castillo, E., Rodríguez, R., & Durán, C. (2019). Migración específica de bisfenol a (BPA) en biberones fabricados en Colombia. Informador Tecnico, 83(2), 30-34.
  • Martínez, A. P. G. (2020). ¿ Y tú, das pecho o biberón? Narrativas, identidad de género y lactancia materna. Desacatos: Revista de Ciencias Sociales, (63), 104-121.
  • Torres Sánchez, M., Santacruz Guerra, M., & Rendón Rojas, C. M. (2018). Análisis de la toxicidad del Bisfenol A en la salud humana: Una aproximación conceptual (Doctoral dissertation, Corporación Universitaria Lasallista).
  • Barasona, M. I. (2018). Estudio de los efectos del bisfenol A como disruptor endocrino en la regulación iónica en zebrafish (Danio rerio), a través del estudio de células adenohipofisarias y branquiales.
  • Beal, J. A. (2018). Baby bottles and bisphenol A (BPA): still a parental concern. MCN: The American Journal of Maternal/Child Nursing, 43(6), 349.