Como fazer a massagem perineal para prevenir lacerações no parto?

A massagem perineal pode ser feita por você mesma ou seu parceiro pode ajudá-la. Aqui você aprenderá como fazer esse tipo de massagem.
Como fazer a massagem perineal para prevenir lacerações no parto?

Última atualização: 16 janeiro, 2022

Durante o processo de dilatação e expulsão do bebê, os músculos do assoalho pélvico são tensionados ao máximo. Isso favorece a ocorrência de lacerações, principalmente em mulheres que dão à luz pela primeira vez. A massagem perineal ajuda a prevenir esse trauma do nascimento e é extremamente útil durante os estágios finais da gravidez.

Embora a episiotomia funcione para alargar a cavidade vaginal e prevenir alguns resultados indesejados, ela também traz riscos. Por exemplo, disfunções na área perineal durante o pós-parto.

Por tudo isso, hoje vamos mostrar em que consiste e como colocar em prática essa técnica de massagem gestacional. Anote!

Massagem perineal: em que consiste?

A massagem perineal é uma das técnicas mais utilizadas para preparar os músculos do assoalho pélvico. No início pode ser um pouco desconfortável manipular essa área, mas a sensação vai melhorar com as repetições sucessivas. O segredo é reconhecer e massagear suavemente os músculos que circundam a abertura da vagina.

Por outro lado, a massagem perineal se concentra em tornar os músculos do assoalho pélvico mais flexíveis para prevenir o trauma perineal durante o parto. Por outro lado, ajuda a mulher a distender o canal natural e, assim, evitar a necessidade de uma episiotomia.

Massagem perineal para prevenir lacerações: em que consiste?

Benefícios da massagem perineal durante a gravidez

Um bom condicionamento para o parto inclui a preparação física e emocional da gestante. Isso pode ser feito por meio de alguns exercícios e informações adequadas.

Os benefícios da massagem perineal são cada vez mais reconhecidos e os compartilhamos a seguir:

  • Aumentam a circulação sanguínea local: como todas as massagens, ao melhorar a irrigação do músculo perineal, aumenta-se a oxigenação dessas estruturas.
  • Melhoram a elasticidade dos músculos do assoalho pélvico.
  • Favorecem o esquema corporal da gestante: ajudam a grávida a compreender algumas mudanças que ocorrem durante a gravidez e o parto.
  • Reduzir o risco de trauma pélvico no parto: devido à diminuição da resistência muscular durante o esforço máximo, esses exercícios limitam a necessidade de episiotomias.

Como fazer essa massagem corretamente?

A partir da 32ª semana, você pode começar a apalpar a área e reconhecer seu próprio corpo. É muito útil usar um espelho para entender melhor sua anatomia e suas modificações.

A partir da 34ª semana, é importante que você comece a massagear a região perineal com uma frequência diária ou em dias alternados. Você pode fazer isso sozinha ou seu parceiro pode ajudá-la, se você quiser.

Tudo começa com o reconhecimento da área e depois passamos progressivamente a fazer a massagem com o passo a passo que preparamos para você.

Automassagem

Em primeiro lugar, fique em uma posição confortável com as pernas afastadas o suficiente e as costas apoiadas. Pode ser na sua cama, na banheira ou sentado no vaso sanitário. Essa é uma grande oportunidade de reconhecer seu assoalho pélvico e sentir como são esses músculos.

Limpe as mãos e passe um agente deslizante para suavizar a massagem. Existem óleos adequados para áreas íntimas ou você pode usar qualquer lubrificante genital.

Quando estiver pronta, comece a sentir os músculos ao redor dos esfíncteres com os polegares. Esse é o seu assoalho pélvico. Em seguida, insira os polegares na abertura da vagina, não mais do que 3 ou 4 centímetros. Massageie suavemente as bordas na direção do púbis e depois na direção oposta.

Pode acontecer que você sinta desconforto e até alguma dor no início. Seja paciente e ouça o seu corpo! Não é uma carícia, e sim uma prática de flexibilidade muscular. Dependendo de quão tensa a área estiver e da sua sensibilidade basal, as sensações vão variar.

Ajuda do parceiro

Depende de cada mulher se ela prefere fazer a massagem sozinha ou se é mais confortável para ela que o parceiro a realize.

Quando o parceiro ajuda, melhoramos a comunicação e o entendimento do outro quanto às modificações na gravidez. Além disso, assim são oferecidas mais ferramentas para otimizar o acompanhamento da gestante.

Antes de começar, explique que é um contato físico com um objetivo claro, que deve ser feito de forma lenta e progressiva para poder regular a sensação de desconforto que você pode perceber no início. A técnica é a mesma, você usará apenas o dedo médio e o indicador (ou o anular, dependendo do seu conforto).

Depois que seu parceiro aprender a técnica, você provavelmente será capaz de relaxar progressivamente durante a prática.

Algumas dicas para realizar massagem perineal

Grávida segurando óleo para a massagem perianal

Se você nunca praticou massagem perineal, não desista ao primeiro desconforto. É importante que você tenha calma e confiança nesse momento, pois é um benefício realizar o parto com mais harmonia.

A seguir, apresentamos algumas dicas para fazer isso da melhor maneira:

  • Não se apresse nem se antecipe: a massagem pode ser feita da 32ª à 34ª semana de gestação. Em qualquer caso, consulte seu obstetra antes de começar a aplicá-la.
  • Evacue o intestino antes da massagem: sentir vontade de ir ao banheiro durante a massagem é incômodo e dificulta o relaxamento. Reserve um tempo para evacuar tranquilamente antes de começar.
  • Termine com um banho quente: ajuda a aprofundar o efeito relaxante.
  • Mantenha uma constância: é essencial para alcançar o efeito desejado, então tente fazer isso por alguns minutos todos os dias.

Essa técnica é uma preparação abrangente adaptada para o nascimento do seu bebê, por isso recomendamos que você a implemente. Nesse sentido, a consulta com um fisioterapeuta especializado em assoalho pélvico pode ser de grande ajuda para avaliar o estado da sua musculatura e proporcionar as ferramentas para chegar em melhores condições ao parto.

This might interest you...
Laceração perineal durante o parto
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Laceração perineal durante o parto

A laceração perineal é algo muito comuns durante o parto. A seguir, vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.



  • Biana, Camilla Benigno, et al. “Terapias no farmacológicas aplicadas en el embarazo y el parto: una revisión integradora.” Revista da Escola de Enfermagem da USP 55 (2021).
  • Coca, S. Gómez, Elena María Villamor Ruiz, and S. Ortiz Fernández. “Evidencia científica del masaje perineal y periné integro.” Trances: Transmisión del conocimiento educativo y de la salud 9.2 (2017): 131-142.
  • Ferreira-Couto, Cristina Manuela, and Marinha do Nascimento Fernandes-Carneiro. “Prevención del trauma perineal: una revisión integradora de la literatura.” Enfermería Global 16.47 (2017): 539-575.
  • Santamarina, E. Moral, et al. “Trauma perineal en el parto eutócico y su correlación con la estrategia de descenso progresivo de la tasa de episiotomía en nuestro medio.¿ Necesitamos reflexionar?.” (2021).
  • Chicaiza, Jorge Victoriano Mejía, Cristian Andrés Gualán Cartuche, and Adrián Marcelo Mejía Calle. “PREVALENCIA DE EPISIOTOMÍA Y FACTORES ASOCIADOS, EN PACIENTES DEL CENTRO OBSTÉTRICO DEL HOSPITAL VICENTE CORRAL MOSCOSO, CUENCAECUADOR. 2014.” Revista de la Facultad de Ciencias Médicas de la Universidad de Cuenca35.1 (2017): 61-67.