Qual é o melhor momento para deixar as papinhas de lado?

Aprenda a entender os sinais do seu bebê e tire todas as suas dúvidas sobre a introdução dos alimentos em pedaços antes de começar.
Qual é o melhor momento para deixar as papinhas de lado?

Última atualização: 06 Agosto, 2021

Você acha que chegou a hora de deixar as papinhas de lado? Então é provável que você tenha dúvidas sobre a mudança para uma alimentação mais consistente.

Além disso, seu bebê tem que aprender a mastigar, uma atividade à qual ele não está acostumado. Então seja paciente e fique sempre por perto para que ele não engasgue. Tente também começar com alimentos moles e cozidos.

Confira a resposta para a pergunta a seguir e muitas outras. Não perca as informações que vamos dar aqui!

Quando saberei se meu bebê está pronto?

Você lembra que esperou até que seu pequeno conseguisse ficar em pé na cadeira para lhe dar comida de bebê? Bem, agora espere que ele comece a pegar os alimentos com as mãos para desenvolver a ideia de que ele pode começar a comer sozinho. Em geral, isso acontecerá por volta do sexto mês de vida.

A princípio você perceberá que será um pouco complicado, mas com a prática seu filho dominará mais essa atividade. Inclusive é esperado que ele se suje além da conta, mas isso também faz parte do aprendizado, então escolha roupas confortáveis e simples para esses momentos.

Bebê comendo sozinho com as mãos.

Outro aspecto a ser levado em consideração é o surgimento dos dentes. Na maioria dos casos, isso ocorre a partir dos 4 meses, mas depende de cada criança. Os dentes não precisam ter nascido completamente para que a alimentação com pedaços seja iniciada.

Lembre-se de que, quando os dentes irrompem, geralmente causam dor, portanto, evite alimentos de muita consistência nesse momento. Também é aconselhável oferecer pratos frios, pois proporcionam uma sensação de alívio maior do que os quentes.

Como introduzir alimentos sólidos no dia a dia do bebê?

Assim que seu pequeno tiver experimentado uma grande variedade de alimentos triturados, você pode tentar oferecê-los inteiros.

Aconselhamos você a oferecer primeiro aqueles que forem mais facilmente digeríveis e estejam bem cozidos. Por exemplo, uma batata ou cenoura cozidas. Contudo, frango desfiado também pode ser uma boa opção.

Depois, quando o bebê já mastigar com desenvoltura, você pode começar a adicionar alguns alimentos crus, como uma banana.

Para garantir alimentos macios, recomendamos que você os cozinhe no vapor, fervidos ou com molho. Assim o pequeno poderá engoli-los facilmente e a experiência será agradável.

Dependendo do caso, é possível adicionar um fio de azeite na hora de servir ou uma colher de chá de ervas aromáticas.

Lembre-se de oferecer as frutas descascadas e retirar todos os ossos das carnes e os espinhos dos peixes.

Dúvidas frequentes sobre o momento de deixar as papinhas de lado

Como faço para cortar os alimentos?

Isso depende de cada alimento. Os vegetais cozidos podem ser consumidos em buquês, tiras ou fatias, ou em cubos do tamanho de um dedo. O mesmo vale para queijos e batatas.

Já no caso das frutas, é sempre melhor oferecê-las em pedaços grandes ou em quartos e totalmente descascada.

Para as carnes, é sempre melhor oferecê-las na forma de almôndegas ou hambúrgueres. A partir dos 9 meses você pode servir em pedaços ou picadas juntamente com outros alimentos, como vegetais.

Lembre-se de sempre cozinhar a carne inteira primeiro e cortá-la ou moê-la depois de cozida. Dessa forma, evitamos o risco de intoxicações alimentares.

Por fim, as leguminosas podem ser oferecidas partidas na metade, na forma de almôndegas ou hambúrgueres, ou até ligeiramente amassadas com o garfo.

Devo dar a comida na boca ou é melhor deixar a criança usar as mãos ou os talheres?

Até agora era você quem decidia quando e quanto comer. Você só tinha que prestar atenção na boca aberta ou nos tapas na colher afastando a comida. Porém, mais cedo ou mais tarde a criança terá que aprender a usar os talheres.

Portanto, coloque o prato na frente do seu filho e uma colher ou garfo adaptados à sua idade. Ele saberá o que fazer depois de já ter visto você comer tantas vezes. Transmita confiança e incentive seu bebê a tentar.

 

Como deixar as papinhas de lado?

Quais são os alimentos desaconselhados?

Como mencionamos antes, existem alimentos que, devido ao seu formato arredondado ou cilíndrico, é melhor evitar. Ou podem ser tão duros que dificilmente as crianças os mastigam. Como consequência, isso aumenta o risco de asfixia. Portanto, ao menor sinal, tome ações rápidas e peça ajuda.

A seguir, listamos os alimentos que não são recomendados para essa fase:

  • Oleaginosas e sementes inteiras. Você pode triturá-las e usá-las em preparações caseiras, como patê de legumes ou um bolo saboroso.
  • Balas, chicletes e doces em geral até os 5 anos.
  • Grão-de-bico, ervilha, frutas vermelhas, uvas, azeitonas ou cerejas inteiras.
  • Salsichas.
  • Maçã, abacaxi e cenoura crua.
  • Pipoca e salgadinhos como batata frita.
  • Frutas desidratadas sozinhas e inteiras.
  • Biscoitos ou bolachas.
  • Carne com pele ou em cubos grandes.
  • Vegetais crus.

Recomendações sobre quando deixar as papinhas de lado

Resumindo, a própria criança avisa quando está pronta para começar a comer alimentos sólidos. E como você vai saber? Observando seus sinais, como curiosidade para tocar, pegar e experimentar a comida do seu prato. Além disso, o bebê tentará chamar sua atenção imitando você ou olhando encantado para os pedaços de comida!

Lembre-se de fazer tentativas progressivas, começando pela refeição do meio-dia ou pelo café da manhã. E assim que seu pequeno se acostumar, apresente-o ao jantar. Dessa forma, você garante que seu filho comerá o suficiente e pode observar suas reações. Por que não tentar agora mesmo?

Pode interessar a você...
Dieta mole para crianças: alimentação sem alimentos sólidos
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Dieta mole para crianças: alimentação sem alimentos sólidos

A dieta mole para crianças é produto da incapacidade de consumir alimentos sólidos. Trata-se de uma dieta de proteção gástrica.



  • Boulanger, A M; Vernet, M (2018) Introduction of new food textures during complementary feeding: Observations in France. Arch Pediatr, 25(1): 6-12.
  • Fewtrell, M; Bronsky, J; Campoy, C; Domellöf, M; Embleton, N; Filder Mi, N et al (2017) Complementary feeding: A position Paper by the European Society  for Pediatric Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition (ESPGHAN) Committee on Nutrition. JPGN, 64(1): 119-32.
  • Campoy, C; Campos, D; Cerdó, T; Diéguez, E; García-Santos,  JA (2018) Complementary Feeding in Developed Countries: The 3 Ws (When, What and Why?). Ann Nutr Metab, 73(1): 27-36
  • Yu, C; Binns, C W; Lee, A H (2019) The Early Introduction of Complementary (Solid) Foods: A Prospective Cohort Study Of Infants in Chengdu, China. Nutrients, 11(4): 760.
  • ASPCAT. (2016) Recomendaciones para la alimentación en la primera infancia (de 0 a 3 años).
  • Fangupo,  L J; Heath, AM L; Williams, S M; Erickson Williams, Morison, B; Fleming, E et al (2016) A Baby-Led Approach to Eating Solids and Risk of Choking. Pediatrics, 138 (4)
  • Daniels, L; Heath, AM L; Williams, S M, Cameron, S; Fleming, E; Taylor, B J et al (2015) Baby-Led Introduction to SolidS (BLISS) study: a randomised controlled trial of a baby-led approach to complementary feeding. BMC Pediatr, 15:179.
  • Huffingtonpost. Kids choking hazards: Hard candy tops list foods that send children to the ER. https://www.huffpost.com/entry/kids-choking-hazards-hard-candy_n_3672125