O modelo de ensino de Lawrence Stenhouse

15 de outubro de 2019
Neste artigo, vamos falar sobre o conceito de currículo e conhecer o modelo de ensino de Lawrence Stenhouse.

O modelo de ensino de Lawrence Stenhouse considera que o currículo é um poderoso elemento transformador do ensino, para o qual o papel dos professores é crucial, transformando-os em investigadores de sua própria experiência docente.

Lawrence Stenhouse nasceu em Manchester, na Inglaterra, em 1926, e se dedicou ao ensino em diferentes níveis, e ao estudo e à pesquisa do currículo durante a década de 1970.

O que é currículo?

Para entender melhor o modelo de ensino planificado por Lawrence Stenhouse, precisaremos, primeiramente, esclarecer a que tipo de currículo ele faz referência.

O currículo possui várias acepções. A primeira acepção faz referência ao curriculum vitae (a forma correta, nesse caso, escrita sem acento) como conjunto de conhecimentos e experiências laborais e acadêmicas um indivíduo tem.

Modelo de ensino de Lawrence Stenhouse

A segunda acepção considera que o currículo designa o plano ou programa de estudos usado por uma instituição educativa, seja escola ou universidade. Exatamente, o vocábulo provém do latim curriculum, que significa trajetória.

Portanto, o currículo serve para estruturar e fundamentar os conteúdos, as técnicas e as metodologias durante o processo de ensino.

Modelo de ensino de Lawrence Stenhouse

Para Stenhouse, o currículo é muito mais que uma simples lista de conteúdos ou mera prescrição de métodos e de objetivos.

Para ele, o currículo supõe todo um projeto educativo que concretiza as distintas concepções ideológicas, socioantropológicas, pedagógicas, epistemológicas e psicológicas, as quais determinam os objetivos a alcançar mediante o ensino.

Stenhouse dizia que, no currículo, está concretizada a intencionalidade que determinada sociedade tem a respeito do tipo de indivíduo que a compõe. Nele, está presente uma visão de conhecimento e do papel do professor, além de um conceito do processo de educação.

Nesse sentido, Stenhouse considera que o papel dos professores é fundamental na elaboração e implementação do currículo. Os professores são aqueles que devem conhecer quais mudanças tenta-se gerar nos alunos e decidir como ensinar a fim de atingir esses objetivos.

Com isso, a investigação permanente na prática de ensino é fundamental. A teoria e a prática devem estar intimamente unidas.

As ideias mais importantes do modelo de ensino de Stenhouse

A seguir, resumiremos algumas das ideias mais esclarecedoras do modelo de ensino de Stenhouse:

  • A participação dos professores na elaboração e no desenvolvimento do currículo é fundamental para decidir o que e como ensinar. Dessa forma, o modelo de ensino se torna flexível, aberto, criativo e inovador.
  • Os professores devem investigar e refletir acerca de sua própria atividade. E devem fazê-lo em concordância com as necessidades de seus alunos, aumentando, assim, a compreensão de sua própria prática para poder mudá-la, modificá-la e aperfeiçoá-la.
  • A escola deve ser crítica com as imposições externas, e esse modelo de ensino segue esse caminho. O aperfeiçoamento profissional de professores-pesquisadores lhes permitirá serem críticos com o tipo de aluno que se forma e para qual tipo de sociedade.
As ideias mais potentes do modelo de ensino de Stenhouse

  • O modelo de ensino proposto se concretiza em um modelo de ensino baseado no processo, considerando três elementos: o respeito à natureza do conhecimento e à sua metodologia; a consideração do processo de aprendizagem; e o foco coerente do processo de ensino com os pontos anteriores.
  • Nesse sentido, concebe-se de outra forma o processo de avaliação, já que, em um processo curricular entendido como pesquisa educativa, devem ser avaliadas as dinâmicas, e não os resultados.

Considerações finais

O modelo de ensino proposto por Lawrence Stenhouse defende que a investigação-ação supõe um caminho para a emancipação. Essa emancipação permite a autonomia dos professores, na medida em que rejeita a imposição e o autoritarismo que se impõe nas escolas e na sociedade.

  • Rojas, A. M. C., & Palacio, I. C. C. (2004). Análisis del concepto enseñanza en las teorías curriculares de Lawrence Stenhouse y José Gimeno Sacristán. Revista Educación y Pedagogía16(40), 141-152. Recuperado de http://aprendeenlinea.udea.edu.co/revistas/index.php/revistaeyp/article/view/6019/5426
  • Stenhouse, L. (1984). Investigación y desarrollo del currículum. Editorial Morata. Madrid.
  • Stenhouse, L. (1987). La investigación como base de la enseñanza. Editorial Morata. Madrid.