Mudanças no comportamento da criança diante da chegada de um irmão

22 Setembro, 2020
As crianças são quem têm mais dificuldade para se adaptar à chegada de um irmão. Por isso, os pais são fundamentais para minimizar as mudanças no seu comportamento.

Quando chega um novo membro na família, todos se enchem de alegria, embora também ocorram grandes mudanças, tanto na organização quanto na rotina da família. Quando já temos um filho e chega um novo irmãozinho, ocorrem mudanças no comportamento da criança, e isso é completamente normal.

Esse novo integrante trará mudanças nos hábitos familiares existentes até então, além de novas necessidades a serem atendidas, novos horários adaptados ao bebê recém-chegado… E isso altera um pouco o ritmo que mantínhamos até então. As crianças são as que mais percebem essa mudança nas rotinas, e podem surgir mudanças no seu comportamento.

Mudanças no comportamento da criança com a chegada de um irmãozinho

A chegada de um novo bebê em casa envolve muitas mudanças para o irmão. Ele se torna o mais velho, não é mais o único e precisa aprender a compartilhar os pais com o novo bebê, tanto na atenção quanto no afeto.

Essas mudanças podem afetar o comportamento dos irmãos e pode surgir o ciúme do novo irmãozinho. Isso pode fazer as crianças regredirem aos estágios anteriores que já haviam dominado. Os pais não devem se alarmar, pois isso é totalmente normal e irá desaparecer gradualmente, com o tempo e com a ajuda dos pais.

Quais mudanças no comportamento da criança podem ser observadas?

Mudanças no comportamento da criança diante da chegada de um irmão

Elas começam a precisar de nós para algumas atividades que já faziam sozinhas

  • Querem ser alimentadas, sendo que já comiam sozinhas.
  • Pedem para dormir conosco, sendo que já dormiam sozinhas no próprio quarto.
  • Voltam a fazer xixi na cama, sendo que isso não acontecia há bastante tempo.

Essas regressões são inconscientes. A criança pensa que, já que o bebê recebe atenção ao ter esses comportamentos, se ela se comportar como ele, receberá mais atenção.

Falar com uma linguagem mais infantil

Diante da chegada de um bebê, as crianças voltam a falar como se fossem pequenas novamente como uma forma de chamar a atenção dos pais.

A chegada de um irmão: pode surgir uma personalidade mais irritável

A criança pode ficar com raiva com mais facilidade, pode ficar mais sensível e chorar sem motivo. Tudo isso é consequência da pressão emocional que ela está sofrendo no momento e com a qual não consegue lidar porque não sabe como fazer isso.

Às vezes, a criança não quer que um dos pais cuide dela

Talvez ela não queira que a mãe a coloque na cama, e sim o pai, ou ao contrário, quer fazer tudo com a mãe.

Incomodar o bebê

Podem surgir comportamentos para incomodar o bebê, tais como tirar a chupeta dele, acordá-lo ou até mesmo repreendê-lo como se fosse a mãe ou o pai.

Todos esses comportamentos são tentativas de chamar a atenção e não precisamos nos preocupar com isso. É uma fase natural e vai se normalizar conforme a criança for se adaptando à nova situação. No entanto, é muito importante que os pais ajam de forma adequada para que esses comportamentos não se agravem.

O que podemos fazer para ajudar a criança diante da chegada de um irmãozinho?

Mudanças no comportamento da criança diante da chegada de um irmão

Deixar a criança participar desde o primeiro momento em que descobrirmos que seremos pais novamente

Devemos deixar que ela nos ajude a preparar tudo o que for necessário para o novo integrante, escolhendo alguma roupa de que goste ou um brinquedo. Além disso, também devemos ignorar o mau comportamento e sempre reforçar o bom comportamento.

Manter as rotinas do filho mais velho, sempre que possível

Se antes de o irmão nascer costumávamos ler uma história para ele à noite, isso deve continuar a ser feito, pois, caso contrário, a criança vai culpar o irmão por esse fato.

Não precisamos romantizar as vantagens de ter um irmão

Se dissermos “você vai ter um irmão com quem brincar, um confidente e um amigo”, faremos a criança pensar que isso vai ser imediato. Na verdade, vai demorar muito para que isso aconteça, porque o bebê tem que crescer e, a princípio, não vai acompanhá-lo nas brincadeiras.

Precisamos dedicar horários exclusivos a ele

Na hora do banho do bebê, podemos brincar com nosso filho mais velho enquanto o pequeno fica com o outro pai. Ambos os pais devem se revezar para passar um tempo com o primogênito.

Envolver as crianças no cuidado do irmão mais novo

Assim, conseguimos mostrar que a sua ajuda é muito útil e muito importante para nós.

Não comparar os irmãos sob nenhuma circunstância

Isso vai fazer com que a criança fique contra o irmão e tenha ainda mais ciúmes. Cada criança é do jeito que é, e elas não precisam se parecer em nada.

Sobre as mudanças no comportamento da criança

Essas são algumas das mudanças que ocorrem no comportamento da criança diante da chegada de um irmão e como podemos ajudá-la a lidar com essa situação da melhor maneira possível. É uma fase pela qual é necessário passar e que, com a ajuda dos pais, certamente será mais fácil de lidar.