Por que as crianças gostam de chamar a atenção?

· 7 de março de 2019
Se você sente que o seu filho quer ser o centro das atenções através de choros, gritos e mau comportamento, as seguintes possíveis explicações para essa atitude podem te interessar. Confira!

Em algum momento, muitos pais se perguntam por que as crianças gostam de chamar a atenção. Cenas de birra, crianças interrompendo conversas de adultos ou então se comportando mau de propósito são o dia a dia de muitas casas.

Existem vários fatores que podem ser usados para definir o que está acontecendo com a criança quando ela toma essa atitude. No entanto, quase todos os psicólogos infantis concordam que as crianças que tentam chamar a atenção de seus pais insistentemente o tempo todo escondem um medo de serem abandonadas.

Além disso, afirmam que, em suas mentes, elas criaram um elo entre perturbar os pais e a resposta imediata às suas necessidades.

Por que as crianças gostam de chamar a atenção?

Crianças de pouca idade são programadas quase de forma inata para chamar a atenção dos pais para que as suas demandas sejam atendidas.

Essa condição instintiva permitiu que, durante séculos, os bebês da espécie humana pudessem sobreviver graças à comunicação por meio de gritos e do choro, na ausência do entendimento racional e da capacidade de falar.

O que acontece, como consequência, é que à medida que a criança vai crescendo, ela continua a associar que chorar, falar com um tom de voz mais alto ou então gritar faz com que seus pais prestem atenção a ela da mesma maneira que ela fazia quando ainda era um bebê. Dessa forma, ela consegue se sentir protegida e cuidada.

Dicas para lidar com a situação

A partir disso, entende-se que as crianças gostam de chamar a atenção quando precisam de amor, compreensão ou até mesmo alguma recompensa.

Basicamente, existem quatro situações que ilustram as necessidades das crianças e sua ligação com o comportamento de chamar a atenção:

  • A criança percebe que, quando levanta a voz e interrompe uma conversa, os pais ou outras pessoas podem notar a sua presença. Dessa forma, ela consegue se sentir integrada.
  • A criança manipula com o seu comportamento e percebe que, quando ela faz birra na rua, por exemplo, consegue que os pais lhe deem o que ela quer apenas para acalmá-la. Então, ela frequentemente recorre à birra como uma forma de domínio.
  • As crianças que têm irmãos muitas vezes se sentem ofuscadas por eles e procuram chamar a atenção de seus pais, principalmente para se posicionarem em primeiro lugar na hora de receber amor.
  • As crianças que expressam seus sentimentos, mas sentem que não têm uma resposta dos pais, tomam medidas extremas, tais como se comportar mal para demonstrar sua insatisfação e aborrecimento de uma forma mais direta.

Dicas para lidar com a situação

Diante do exposto anteriormente, pode-se deduzir que, quando a criança tenta chamar a sua atenção excessivamente, ela está mostrando uma forma de domínio e de impor suas demandas de uma forma impaciente.

A maneira mais correta de lidar com a situação será através de uma comunicação eficaz e de uma revisão dos papéis de liderança em casa.

As crianças que tentam chamar a atenção de seus pais insistentemente o tempo todo escondem um medo de serem abandonadas.

Evidentemente, levar a criança a expressar suas preocupações, afetos e necessidades de outra maneira não é nada fácil. Os pais devem ter muita paciência, pois a melhor maneira de mudar essa atitude é não ceder aos chamados da criança, e sim buscar imediatamente por um diálogo entre as partes.

É muito provável que, nos primeiros testes, a criança fique ainda mais exaltada ao se sentir repreendida. No entanto, os pais devem manter sua autoridade com firmeza para garantir que a criança possa se comunicar de maneira educada, mantendo o respeito e no momento certo.

Autoexame dos pais

Autoanálise dos pais

Deve ficar bem claro que existe uma diferença entre as crianças que chamam a atenção para obter um benefício imediatamente, como uma forma de manipulação, e as crianças que querem chamar a atenção porque sofrem da chamada síndrome da criança abandonada.

É por essa razão que os pais devem fazer uma autoanálise do tempo que passam com os filhos. Dessa forma, devem avaliar se esse é um tempo de qualidade no qual proporcionam afeto à criança ou se há um abuso verbal ou físico ao dirigir-se à criança.

Por outro lado, também deve ser considerado se a criança tem a supervisão apropriada. Em todos esses casos, chamar a atenção será uma consequência de múltiplas carências das crianças.

Por isso, como recomendação final, é importante que você analise a sua interação com a criança, mas não hesite em pedir ajuda se sentir que o comportamento do seu filho está ficando fora de controle.