Como mudar de escola afeta as crianças?

14 Março, 2020
Mudar de escola não precisa ser uma experiência difícil para as crianças. A seguir, vamos revisar todos os pontos principais sobre esse assunto que tanto preocupa pais e professores.
 

Existem várias etapas na vida de nossos filhos que geralmente causam apreensão, uma vez que não sabemos exatamente como a criança responderá. Sem dúvida, a questão da educação e a chegada a uma nova escola é uma das que leva a um maior número de dúvidas. Se o seu filho teve que mudar de escola, você certamente está se perguntando: como mudar de escola afeta as crianças?

A resposta, sem dúvida, tem vários ângulos, uma vez que vários fatores entram em jogo, tais como a idade da criança, as características da nova instituição ou se a transferência de escola também é para outro país. Sem dúvida, a personalidade da criança também tem muito a contribuir.

Pensando em todos esses fatores, vamos analisar cada uma dessas situações para então oferecer dicas úteis a fim de que a transição para a nova escola não seja uma experiência negativa.

O relacionamento da criança com a escola

A vida social das crianças é dividida em duas áreas: o contato com os familiares em casa e os vínculos com as outras crianças e os professores na escola. É necessário partir do princípio de que as crianças passam pelo menos 6 horas por dia na escola, enquanto as horas da tarde são usadas para fazer as tarefas de casa. Somente com esses dados já fica claro que a escola possivelmente representa o principal eixo de suas vidas. 

Sem dúvida, a força do vínculo que a criança tem com a escola dependerá de diversos fatores. Um dos mais importantes é a idade, uma vez que uma criança que está no jardim de infância não é igual a uma criança de 10 ou 12 anos, cujos traços de personalidade e empatia em relação aos outros já estão mais definidos.

 
Crianças na escola

Por outro lado, não há dúvida de que, durante a idade escolar, as crianças desenvolvem a maioria das habilidades sociais que definirão o seu caráter e como elas vão se relacionar com os outros. É durante essa fase que também será reforçada a sua autoestima, a capacidade de acreditar em si mesmas e um vínculo saudável com a sociedade.

No entanto, vale a pena se perguntar o que acontece quando a criança precisa enfrentar uma mudança radical naquilo que representa um dos pontos nevrálgicos da sua vida.

Como mudar de escola afeta as crianças?

Existe um pensamento generalizado de acordo com o qual se acredita que as crianças sejam capazes de se adaptar rapidamente a qualquer situação, sem que isso realmente afete a sua estabilidade emocional. No entanto, não há nada mais distante da realidade. Os pequenos podem sentir angústia emocional, ansiedade em relação ao desconhecido e medo.

No caso dos adolescentes, por exemplo, a situação se torna ainda mais difícil, pois, além de terem que se adaptar a ser o aluno novo da sala ou, em casos extremos, sofrer ataques de bullying, se a transferência for para outra cidade ou país, eles perdem completamente todo o seu círculo social.

 

“As crianças passam pelo menos 6 horas por dia na escola, enquanto as horas da tarde são usadas para fazer as tarefas de casa. Portanto, a escola possivelmente representa o principal eixo de suas vidas”.

No entanto, nem todas as experiências são negativas. Muitas crianças pedem e até mesmo agradecem por mudar para uma escola nova. O grau em que a criança será afetada dependerá de que ela se sinta confortável com o apoio dos pais, que devem encontrar previamente as estratégias para controlar as consequências de mudar de escola.

Estratégias para minimizar os efeitos de mudar de escola

As crianças poderão se adaptar com sucesso à sua nova escola se tiverem o apoio constante dos pais, que, por sua vez, devem tomar certas medidas com antecedência para preparar a criança para essa nova aventura que ela irá enfrentar. Estas são algumas das recomendações para esse momento:

  • Conversar com o pequeno e explicar os novos planos. Os motivos da mudança e os seus benefícios devem ser detalhados com total sinceridade.
Mãe conversando com o filho sobre mudar de escola

  • A criança deve ser levada para a sua nova escola com antecedência para que ela possa se familiarizar com o seu novo centro de aprendizagem.
 
  • Incentivar a criança a se matricular em atividades extracurriculares dentro ou fora da escola. Isso a ajudará a socializar com diferentes grupos de crianças com interesses semelhantes aos dela, com as quais ela poderá fazer amizades rapidamente.

Como recomendação final, é importante que os pais sejam pacientes, tolerantes e ouçam os seus filhos, para que eles possam expressar as suas preocupações e sentimentos em relação à nova mudança em suas vidas.