Não se deve forçar as crianças a terminar o prato de comida

2 de maio de 2017

Como pais, sabemos da importância de uma alimentação saudável para as crianças. Entretanto, não se deve forçar os pequenos a terminar o prato de comida. Neste post damos algumas recomendações para você alimentar seu filho de maneira balanceada e para ficar tranquila.

É natural ficarmos preocupadas porque vemos crianças desnutridas todos os dias. Ou porque prestamos muita atenção aos comentários de terceiros como: “Que menino magro!”. “Você está alimentando direito essa criança? Parece que ela está doente.”. Claro, não podemos evitar de nos sentirmos mal ou de pensar que sim, que nosso filho está “muito magro”.

É preciso começar a afastar esse tipo de opinião da nossa mente. Pois esses pensamentos nos fazem querer controlar constantemente a alimentação das crianças, até o ponto de obrigá-las a “comer tudo”.

Se você está passando por esse problema, comece primeiramente por determinar se a criança está realmente com alguma desordem alimentar ou com alguma doença. Se este for o caso, certamente a criança deve ser tratada por um especialista.

Após ter em mãos um diagnóstico que talvez seja muito positivo ou em partes negativo, a ideia não é atormentar as crianças para que elas terminem toda a comida do prato.

Plano para que a criança coma espontaneamente

comida2

  • Determinar primeiramente quais são as comidas que a criança gosta. Isso ajudará a aumentar a vontade de ela de comer.
  • Se a criança come muitas guloseimas antes das refeições principais, isso pode ser uma das causas pelas quais ela não come a refeição completamente.
  • Tente apresentar um prato agradável de forma que ela sinta vontade de comer tudo. Entretanto, se ela está com vontade de comer apenas algumas colheradas, já é um avanço. Não a obrigue a comer mais!
  • Evite que ela se distraia no momento da refeição. Isto é, ela não deve se sentar para comer com brinquedos ao redor nem assistindo televisão. Esses tipos de distrações acabam por minimizar o apetite dela.
  • Não exagerar nas regras da mesa. Quando se sentar não diga “você deve comer tudo”, pois isso já as deixa descontentes. Nessas ocasiões é bom deixar que as crianças decidam um pouco.

Observar o estado de espírito da criança é muito importante. Muitas delas costumam não estar com apetite por causa de estresse, decepções e tristezas. Anime seu filho e em seguida ofereça o prato favorito dele!

O objetivo deste tema é mostrar que você não deve forçar as crianças a terminar o prato de comida. É natural reagir pensando “é a saúde e a alimentação do meu filho”. Isso é verdade, mas primeiro você deve tentar descobrir quais são as razões que o levam a não comer bem ou a sempre deixar comida no prato.

Leve em consideração alguns conselhos

comida3

  • No momento da refeição, mime seu filho com palavras motivadoras, como por exemplo:  “A mamãe preparou com muito amor uma comida muito gostosa para você. Ela vai contribuir para que você cresça forte  e saudável”.
  • Perguntar sobre a quantidade para a criança é uma boa técnica de tentar incorporá-las ao momento de servir os pratos. Comece perguntando: Você está com muita fome? Você gostaria de escolher o quanto vai comer? Você  gostou das coisas que eu preparei ou prefere escolher o que vai comer? A motivação é fundamental. Já a obrigação não é boa para os nossos pequenos.
  • Fazer companhia à mesa é muito necessário. Quando todos estão sentados em família, a criança poderá observar que o núcleo familiar termina toda a refeição, consequentemente ela vai aprender observando.
  • Dê os parabéns quando a criança terminar toda a comida. Isso vai motivar seu filho e criar uma sensação de satisfação.
  • É natural que um dia a criança não sinta vontade de comer suficiente por algum motivo qualquer. Nesse momento tente compreender e fazer a criança sentir que comer não é uma obrigação.
  • Não se deve forçar as crianças a terminar o prato de comida. Conseguir uma boa alimentação saudável é uma questão de tempo e paciência.
  • Acrescente no seu dia uma rotina de exercícios. Em primeiro lugar ajude as crianças a queimar calorias e exercitar o corpo. Depois para aprender novas habilidades. E, finalmente, para conseguir que cheguem em casa com muito apetite e queiram até repetir a refeição.

Também é preciso considerar que as coisas podem melhorar durante o crescimento da criança. Se elas são birrentas hoje, amanhã vão superar esse comportamento, ainda mais com a sua ajuda. Se o apetite da criança é muito grande tenha cuidado para evitar a obesidade dos seus pequenos. Por outro lado, se ela come em proporções adequadas não é ruim deixar alguns restos de comida no prato.