Não existe nada como o cheirinho de bebê. Mas por que é tão agradável?

19 Agosto, 2018
Esse cheirinho de baunilha, a pureza e o mais doce encanto têm uma explicação científica. Descubra neste artigo!

Poucas coisas são tão agradáveis quanto o cheirinho de bebê. É uma realidade que todas as mães sabem e que, na verdade, pouco tem a ver com nossa “paixão pessoal” pelos nossos filhos.

Há quem diga que essa fragrância inconfundível está relacionada com o pó do talco ou inclusive com o sabão suave que usamos para lavar a roupa dos bebês. Isso não é verdade. O cheirinho de bebê é algo que estará presente ao longo de vários anos. Além disso, é um aspecto nos ajudará a fortalecer o vínculo com nossos filhos.

De fato, é possível que você não saiba, mas o olfato é possivelmente o sentido mais poderoso no ser humano. Basta se lembrar de uma característica fascinante: a estrutura nervosa que constitui o canal olfativo no nosso cérebro se conecta também com nossa parte emocional. É por isso, que, às vezes, ao cheirar uma determinada fragrância vem à nossa mente uma emoção.

Um tema fascinante que hoje queremos compartilhar com você aqui no blog Sou Mamãe

O cheirinho de bebê, algo que você nunca vai esquecer

O cheirinho de bebê é algo muito real e do qual, sem deixar espaço para dúvidas, você vai se lembrar para sempre. A explicação do porquê disso é muito simples: as glândulas sudoríparas dos bebês ainda não estão ativas. Os mecanismos de transpiração dos pequenos não funcionam como nos adultos. Portanto, os bebês não suam como nós.

cheirinho de bebê

As glândulas apócrinas que nós, adultos, temos produzem substâncias que exalam muito odor. Elas são responsáveis por esse odor característico e incômodo nas zonas das axilas, por exemplo. Basicamente, aquele odor que tentamos amenizar todo dia com desodorantes. Pois bem, os bebês transpiram, desde pequenos. Mas a secreção sebácea deles é muito menor que a nossa e continuará sendo assim por alguns anos ainda.

Normalmente, quando chegam à puberdade a coisa começa a mudar. Em consequência disso, e embora a fragrância de sua pele vá mudando bem lentamente, continuaremos desfrutando dessa fragrância excepcional durante um bom tempo.

E se o meu bebê exalar um mal cheiro corporal?

  • Esse dado é importante. Se você perceber que seu bebê transpira de forma anormal e que esse suor tem um cheiro desagradável, marque uma consulta de imediato com o pediatra porque pode ser o sintoma de um problema hormonal.
  • Da mesma forma, se o seu bebê transpira mesmo sem ter muitas camadas de roupa sobre a pele dele, procure um médico porque não é algo normal nas crianças muito pequenas. Pode ser um alerta para nós sobre algum problema cardíaco.

Nós, mulheres, adoramos o cheirinho de bebê

Esse dado é, sem dúvida alguma, curioso. Segundo um estudo publicado na revista “Frontiers of Psichology” tanto as mulheres que são mães quanto as que não são reconhecem como agradável o odor característico de bebê. Muitas o definem como algo tão agradável como cheirar um bolo de chocolate.

cheirinho de bebê

É possível que, ao ler isso, você tenha se surpreendido. Mas, na verdade, tudo tem uma explicação científica:

  • Cheirar a cabecinha de um bebê estimula uma série de neurotransmissores que imediatamente secretam dopamina. Em poucos segundos, sentimos uma sensação muito prazerosa.
  • É como se o cérebro nos recompensasse por experimentar esse odor. Porque é interpretado como algo bom. É algo que nos fortalece como “espécie” porque ativa nossa necessidade de cuidado, atenção e amor para com essa criança pequena.

Podemos ver como nossa natureza está muito bem preparada. Por isso que o olfato é um dos sentidos mais poderosos. O odor corporal de um bebê age como “catalisador”, como mecanismo para fortalecer o vínculo entre uma mãe e um filho. Além disso, não precisa ser “mãe de uma criança” para sentir esse mesmo prazer e sentir que devemos cuidar dela, ter afeto por ela.

Seu cheiro também é algo que seu filho nunca vai esquecer

Nós não esqueceremos nunca o cheiro do nosso bebê. Mas os pequenos também terão “gravado” no cérebro o cheiro da pele da mãe de forma quase instintiva.

  • O sentido mais desenvolvido dos bebês é o olfato. Graças a ele, são capazes de se “arrastar” às escuras em seus braços para encontrar seu peito.
  • O odor de sua pele traz segurança e bem-estar ao bebê. Isso explica porque encontram alívio quando os acolhemos nos braços, quando os abraçamos e tentamos acalmá-los de noite quando acordam chorando.
  • Se o seu bebê for muito pequeno, procure não usar perfumes, nem sabonetes fortes. Os bebês se incomoda com isso. Tanto que é comum, por exemplo, que preferem um seio “não lavado” ou lugares da pele em que não tenhamos passado sabonete.
cheirinho de bebê

Como dado final, é importante destacar que muitos papais também identificam e gostam do cheirinho de bebê. De acordo com um estudo do cientista Joahan Lundstrom do Centro Químico Monell, nos Estados Unidos, eles também desenvolvem esse vínculo tão íntimo com os pequenininhos da mesma forma que as mamães.