Não faça para os outros o que você não quer façam para você

28 Maio, 2018
Não faça para os outros o que você não quer que façam para você. É um conselho simples, mas que todos deveríamos ter em mente. Vamos rever o seu profundo significado.

“Não faça para os outros o que você não quer que façam para você” é uma frase que nos incutiram desde que passamos a fazer uso da razão. Alguns dizem que quem a disse pela primeira vez foi Confúcio; outros, que ela está em um versículo da Bíblia. A verdade é que dessa frase nasce uma regra de ouro, da qual emergem códigos morais, éticos e legais.

Inclusive, os direitos humanos a tomaram para agir de acordo com os seus princípios. Alguns veem como superficial a regra de não fazer para os outros o que você não quer que façam para você, mas esta regra consiste, basicamente, no respeito para com o outro.

Aplicamos essa teoria em nossa vida diária?

Se nos fizéssemos uma pergunta como essa sem olhar de perto, responderíamos que sim. No entanto, quando meditamos um pouco sobre o que ela realmente significa e avaliamos objetivamente nosso modo de agir, percebemos que muitas vezes fazemos o contrário.

Um exemplo disso ocorre quando estamos em uma fila muito longa e temos pouco tempo, mas alguém na nossa frente se descuida e tomamos o seu lugar; resolveremos assim a nossa falta de tempo, sem nos importar com o respeito e o direito da outra pessoa. Nesse exemplo, vemos algo que, caso nós é que fôssemos os afetados, iríamos censurar a pessoa e até criticá-la com raiva.

Infelizmente, isso se tornou um comportamento repetitivo e comum entre as pessoas. Com nossas ações, quase sempre tentamos atropelar os direitos, valores e sentimentos do outro; como consequência, acabamos fazendo o que não gostamos que fizessem para nós.

Deve-se incutir o respeito nas crianças

Não fazer o que você não quer que façam para você: uma questão de respeito

O que é o respeito? O respeito é um valor que devemos cultivar a partir do núcleo familiar e que deve ser incutido nas crianças. Ele aparece – ou pelo menos deveria – constantemente em nosso relacionamento com a sociedade.

Passa por ter consideração com o próximo, e torna-se necessário para ter uma convivência saudável entre os cidadãos; ele permite que a harmonia exista na sociedade.

Infelizmente, é um valor que está se perdendo por causa da decadência moral que está crescendo dia a dia. Tudo isso por querermos colocar nossos interesses acima dos outros; isso se reflete desde as grandes elites até os estratos sociais mais baixos.

Alguns veem como superficial a regra de não fazer para os outros o que você não quer que façam para você, mas essa regra consiste, basicamente, no respeito para com o outro.

Podemos viver em uma sociedade onde não prevaleça o respeito?

Ao valorizar os sentimentos dos outros e ter empatia, nos tornaremos pessoas melhores. Nós também criaremos um clima mais harmonioso e a vida cotidiana terá um aspecto mais agradável e amigável.

Por outro lado, se agirmos ao contrário disso, estaremos promovendo a ignorância para com o próximo e a discórdia, e semeando o abuso, o desrespeito e a anarquia. Desta forma, não poderíamos conviver, ou pior ainda, sobreviver.

O melhor exemplo de uma sociedade em crescimento ocorre quando nela se manifesta o respeito, começando pelo respeito próprio e o refletindo sobre o outro. Assim, se cria uma humanidade justa, nobre, solidária e forte; isso se tornará nossa bandeira de senso ético e de pertencimento.

Podemos viver em uma sociedade onde não prevaleça o respeito?

Como você pode fazer isso?

Cada um deve contribuir com um grãozinho de areia para melhorar a sociedade em que vivemos. Se tivermos consideração pelo outro, esse outro terá consideração para conosco. Um clima de tolerância e aceitação se formará e alcançaremos um mundo melhor. Juntos, podemos tornar nosso ambiente mais do que um simples meio de vida.

Podemos fazer do mundo um espaço de satisfação; é hora de aproveitar o tempo para cultivar os valores que nos foram ensinados desde pequenos, começando por respeitar todas as pessoas. Temos que começar a valorizar quem está ao nosso lado e com quem nos encontramos pelo caminho todos os dias. Com respeito, podemos lidar com as diferenças e até aprender alguma coisa com o outro.

Devemos ter em mente que nós e apenas nós somos responsáveis por criar um ambiente saudável para a vida e a convivência. Mas, acima de tudo, é muito importante incutir os valores corretos em nossos filhos.

Se fizermos isso, no futuro eles serão cidadãos funcionais da sociedade, trabalhando para criar um mundo melhor. Lembre-se: “Não faça para os outros o que você não quer que façam para você”. É uma expressão que deve se tornar uma verdadeira filosofia de vida.