Negligência emocional, o abandono afetivo das crianças

09 Setembro, 2018
A negligência emocional é considerada uma forma de maus-tratos ou abuso. Trata-se da omissão afetiva por parte dos pais.

A negligência emocional é a impossibilidade de notar, atender ou responder efetivamente às necessidades emocionais dos filhos. Geralmente, essa situação não é visível ou perceptível pelos pais.

O abandono afetivo se caracteriza por negligenciar muitas coisas que seriam importantes para a criança. Isso faz com que silenciosamente se produza um dano emocional nela. Crianças não recebem cuidado no âmbito emocional crescem com dificuldades para entender seus sentimentos e confiar em suas próprias emoções.

Esse tipo de maus-tratos infantil prejudica a relação social da criança e a torna um ser insatisfeito e vazio. Muitas crianças acham ou têm a sensação de que são diferentes das demais como se algo estivesse errado nelas. Em geral, é porque faltou o afeto dos pais em sua criação.

https://amenteemaravilhosa.com.br/carencia-emocional-devora-amor/

Como identificar a negligência emocional?

Considera-se que cometem negligência emocional aqueles pais que não se responsabilizam em cumprir as necessidades básicas das crianças. Da mesma maneira que falta o afeto, também falham em garantir às crianças elementos como a alimentação, higiene ou vestuário. Em grande parte, pode-se afirmar que não cumprem com o papel deles.

Nesse sentido, os pais sem se darem conta, descuidam emocionalmente de seus filhos, quer dizer, deixam de proporcionar aos filhos uma estrutura suficiente e regras para viver. Por exemplo, falta a disciplina, algo que todos deveriam ter. Isso é determinante no aprendizado das consequências de seus erros, porque os leva a tomar consciência de cada um dos atos cometidos por eles.

Consequentemente, os filhos que sofrem negligência emocional podem chegar a lutar com a autodisciplina como se fossem realmente adultos. Não têm o conhecimento suficiente para raciocinar as próprias dificuldades. Por essa razão, observa-se algumas crianças se culpando e com ausência de autoestima elevada.

Infelizmente, a negligência emocional passou despercebida, especialmente porque outros problemas a abafaram. Se não é observado o abuso infantil do tipo físico ou traumas visíveis, talvez não seja possível compreender que existe uma carência afetiva.

abandono afetivo

Por que acontece a negligência emocional?

Podem ser reconhecidas as principais causas que podem ser encontradas na negligência emocional no aspecto emocional dos filhos.

  • Carência de afeto. Pais que não demonstram seus sentimentos pelos filhos, um abraço, um beijo ou simplesmente não lhes prestam a devida atenção.
  • Falta de disciplina e regras. Podem chegar a ser permissivos demais, toleram das coisas que, na verdade, não deveriam ser permitidas. Raras são às vezes em que estabelecem regras de controle, evidenciando, assim, a falta de disciplina que faz com que as crianças sejam rebeldes. Isso faz com que deixem de respeitar os adultos por causa da falta de uma figura de autoridade que possa corrigi-los.

Conseguir intervir nesses casos é difícil, pois, no geral, os pais se negam a admitir o problema. Não conseguem assumir a responsabilidade por serem negligentes e buscam culpados. Eles têm um conceito na cabeça, que os leva a acreditar que são bons pais, já que pensam que cumprem com o papel deles normalmente. Contudo, o comportamento ou a prática deles são muito diferentes do que pensam.

Provavelmente, pode ser um problema herdado da própria infância dos progenitores. Talvez na infância, não foram capazes de desenvolver da melhor forma o afeto. Isso se evidencia na dificuldade de desenvolvê-lo na vida adulta, principalmente na relação com os filhos.

Por essa razão, é preciso rever a situação e criar estratégias de intervenção na relação entre filhos e pais. Deve-se levar em consideração que esses processos podem ser repetir geração após geração. Por isso, é importante tentar fazer o melhor possível para ser bons pais.

  • Azaola, E. (2006). Maltrato, abuso y negligencia contra menores de edad. Secretaría de Salud. Informe Nacional sobre Violencia y Salud. México, DF SSA.
  • Vega Sanz, M. (2018). Negligencia emocional en la niñez y trastornos de la conducta alimentaria.