O bruxismo na adolescência

8 de agosto de 2019
Entre os distúrbios que aparecem na fase juvenil, está o bruxismo. Alguns bons hábitos são essenciais para evitar o seu aparecimento. Mas, uma vez que ele tenha aparecido, pode ser eliminado com um tratamento adequado prescrito por um especialista.

O bruxismo na adolescência é um dos distúrbios mais frequentes. Geralmente afeta de 20% a 30% das crianças e adolescentes aproximadamente, embora possa aparecer em qualquer idade. Mas quais são as causas do bruxismo? O que os pais e especialistas podem fazer para evitar o desenvolvimento desse distúrbio a longo prazo?

O que é o bruxismo?

O bruxismo é um dos distúrbios mais comuns relacionados à saúde bucal. Embora possa aparecer em qualquer fase da vida, é muito mais comum na infância e adolescência.

As razões ainda não são completamente conhecidas, mas o que se conhece são as causas que dão origem a esse transtorno e o tratamento para eliminá-lo ou, caso isso não seja possível, reduzi-lo.

Em uma análise conceitual, o bruxismo é um hábito que se desenvolve inconscientemente – geralmente enquanto a pessoa dorme – no qual os dentes são apertados com força. Como resultado, a pessoa acorda com fortes dores nos músculos faciais e até mesmo com dor de cabeça.

Uma das piores consequências do bruxismo é que os dentes ficam frouxos. Em casos muito graves, eles podem ser pulverizados ou cair. Isso também pode desencadear outros problemas de saúde, tais como a síndrome da articulação temporomandibular.

Sintomas de bruxismo

Existem certos sintomas que são essenciais para determinar se uma pessoa sofre de bruxismo. Nesta linha, o sinal mais evidente é o ranger dos dentes durante o sono. Mas também pode-se citar como sintomas: amanhecer com dor de cabeça, dores no rosto e até mesmo no pescoço.

O bruxismo também pode ser descoberto pelo dentista em uma consulta de rotina. Neste caso, o especialista notará um desgaste significativo nos dentes ou o esmalte fraturado. Esse diagnóstico é importante para prescrever as medidas corretivas o mais rápido possível.

Bruxismo e estresse

Bruxismo na adolescência: o que fazer?

O bruxismo na adolescência deve ser observado cuidadosamente. Se as medidas apropriadas não forem tomadas, pode se tornar um problema que vai acompanhar a pessoa até mesmo na sua vida adulta. Durante a adolescência, o aparecimento do bruxismo é bastante comum e está frequentemente relacionado ao estresse.

Para que o especialista possa determinar o tratamento mais adequado, é necessário definir a origem do problema. Em primeiro lugar, doenças de natureza neurológica devem ser descartadas, assim como qualquer outro tipo de patologia associada.

Em uma segunda fase da análise, outras causas devem ser estudadas, como o estresse ou hábitos associados ao desenvolvimento dessa condição, tais como: roer as unhas, consumir gomas de mascar, entre outros.

Além do tratamento indicado pelo especialista, o adolescente deve eliminar ou, no mínimo, reduzir todos os hábitos que auxiliam no aparecimento do bruxismo.

“O bruxismo é um hábito que se desenvolve inconscientemente – geralmente enquanto a pessoa dorme – no qual os dentes são apertados com força.”

Em relação ao tratamento em si, o especialista pode prescrever alguns relaxantes musculares, bem como analgésicos, durante o tempo que considerar adequado. Esses medicamentos sempre devem ser utilizados sob vigilância rigorosa.

Por outro lado, também pode recomendar ao adolescente a aplicação de outras medidas caseiras para melhorar o problema. Por exemplo, compressas quentes podem ser aplicadas para relaxar os músculos.

As recomendações também pode incluir um tratamento para melhorar a forma de morder, assim como a prescrição de placas para usar na hora de dormir, que é uma das medidas mais comuns.

Bruxismo e estresse

Como vimos, as causas do bruxismo ainda não são completamente conhecidas. No entanto, sabe-se que existe uma estreita relação entre esse transtorno e a ansiedade, o estresse e os problemas do sono.

Estudos indicam que os casos de bruxismo estão aumentando rapidamente, principalmente nas grandes cidades. Esses dados podem estar associados aos altos níveis de estresse da vida moderna.

Sintomas de bruxismo

No caso específico dos adolescentes, existe uma relação entre os jovens que sofrem de bruxismo e o bullying. Foi comprovado que crianças entre 13 e 15 anos que sofrem assédio verbal têm até quatro vezes mais chances de desenvolver bruxismo.

Por todo o exposto, fica clara a importância de se determinar as verdadeiras causas desse distúrbio. Nesse sentido, os pais desempenham um papel fundamental para descobrir se os filhos estão sofrendo algum tipo de assédio físico ou verbal.

Em suma, o bruxismo na adolescência é muito mais comum do que se pensa. O mais importante é determinar a sua origem e tomar as medidas necessárias para eliminar esse hábito o mais rápido possível.