O efeito IG na adolescência

06 Agosto, 2020
O Instagram encabeça a lista das redes sociais que apresentam maiores riscos, seguido pelo Snapchat e pelo Facebook. O Twitter e o Youtube são as mais bem avaliadas. De qualquer forma, é importante ter atenção diante de pessoas desconhecidas ou em relação às sensações geradas por essas práticas.

Angústia, depressão e ansiedade. O efeito IG na adolescência, um termo que vem da palavra Instagram, pode ser muito prejudicial, não apenas pelos riscos a que os jovens estão expostos, mas também pelos sentimentos que essa rede social incentiva.

Uma rede que cresce a cada dia

O crescimento acelerado do Instagram não tem freios. A possibilidade de compartilhar imagens que apaixona os adolescentes, mesmo que isso envolva sacrificar a privacidade. Essa famosa rede social permite que os jovens mostrem em um só lugar tudo o que quiserem divulgar.

Trata-se de uma rede para promover os relacionamentos interpessoais, com todos os riscos que isso implica. Na prática, essa plataforma é um lugar para se expressar. E é isso que seus fazem usuários, a maioria com idades entre 16 e 30 anos.

A valorização ou o reconhecimento externo são essenciais para o adolescente. Alguns confundem afeto com likes (‘curtidas’) em suas fotos, outros os vinculam com a popularidade. Assim, se o número de likes for baixo, eles preferem excluir a foto em vez de admitir que ela não foi eficaz.

Esse lugar também é reconhecido como um espaço para buscar a própria identidade e fornecer apoio emocional. Assim, são criados relacionamentos em diferentes comunidades, mas os riscos são exponencialmente maiores.

Bullying, um risco do efeito IG na adolescência

O bullying pode ser uma das consequências da exposição de aspectos da vida nessa rede social. A angústia e a ansiedade, que podem desencadear a depressão, são outros riscos quando a intimidade é mostrada diante de tantas pessoas. Surge o medo das críticas, e o desconforto aumenta.

As novas funcionalidades do IG aumentam o problema. O ato de compartilhar histórias nos perfis dos usuários atrai mais seguidores a cada dia. E é exatamente isso que os jovens valorizam: o número de seguidores que eles têm e o número de likes que suas fotos recebem.

O efeito instagram na adolescência

As fotos com mais likes 

O adolescente também avalia qual tipo de foto recebe mais likes, que nada mais são do que sinais da aprovação dos outros usuários. Se forem aquelas nas quais ele aparece sozinho, isso denota reconhecimento, mas também uma atitude narcisista. Se forem as fotos de eventos ou reuniões, elas proporcionam mais representatividade.

Cuidado com estranhos

A cada dia, cresce o número de adolescentes que aceitam seguidores que não conhecem. O que importa para eles é aumentar o número. Muitos jovens têm um grande número de seguidores, gerando, assim, um compromisso de manter as atualizações. Contudo, isso pode desencadear episódios de angústia.

O risco está no objetivo desses estranhos: quem são e o que estão procurando são perguntas que deveriam ser obrigatórias. Já houve casos em que as fotos postadas na rede social acabaram sendo usadas para outros fins, muitas vezes para o cyberbullying, que afeta um grande número de adolescentes no mundo.

“A possibilidade de compartilhar imagens é algo que apaixona os adolescentes, mesmo que isso envolva sacrificar a privacidade.”

Depressão batendo à porta

Um jovem pode experimentar uma depressão profunda se suas fotos forem expostas de forma degradante. Uma vez que o conteúdo se torna viral, não há mais como pará-lo. Alguns adolescentes consideram até mesmo medidas drásticas (tais como autoflagelação ou vícios) como uma maneira de escapar dessa realidade.

A maneira ideal de diminuir o efeito IG na adolescência é a orientação familiar e até mesmo profissional para os adolescentes que sofrem bullying ou experimentam sentimentos de grande angústia por estarem imersos nessa rede social.

Saúde mental em risco

A cada ataque no IG, o bem-estar e a saúde mental podem estar em risco. Essa é uma fase da vida complexa por causa das vulnerabilidades dos adolescentes. Se o jovem passa mais de duas horas nessa rede social, ele fica mais propenso a condições psicológicas, principalmente a sofrer de ansiedade, angústia e até mesmo depressão.

O efeito instagram na adolescência

As horas de sono diminuem significativamente, a autoestima é afetada e o questionamento sobre a imagem corporal aumentaEntão, uma visão muito pessimista da vida começa a emergir.

Para evitar rejeições ou críticas, muitos jovens editam suas fotos e incluem filtros para melhorar sua imagem. Também aumenta o medo de perder o reconhecimento, e o medo de ser vítima de cyberbullying sempre está latente.

O efeito IG na adolescência pode ser muito prejudicial se não houver consciência da forma como deve ser abordado. A garantia de preservação da intimidade é uma maneira de evitar maiores inconvenientes. Além disso, o tratamento com pessoas conhecidas ou com credibilidade na rede é outra recomendação.

  • Aydn, B. y Volkan Sar, S. (2011). Internet addiction among adolescents: the role of self-esteem.Procedia Social and Behavioral Sciences, 15, 3500–3505.
  • Bringué, X. y Sádaba, C. (2011). Menores y redes sociales. Madrid: Foro generaciones interactivas.
  • Calderón, C. A., López, M., & Peña, J. (2017). El efecto condicional indirecto de la expectativa de rendimiento en el uso de Facebook, Google+, Instagram y Twitter por jóvenes. Revista Latina de Comunicación Social, (72), 590-607. https://www.redalyc.org/pdf/819/81952828031.pdf
  • Mattei, M. M. (2015). El divismo en tiempos de# Instagram. CIC. Cuadernos de Información y Comunicación, 20, 95-107. https://www.redalyc.org/pdf/935/93542537009.pdf
  • Wang, N. y Yongqiang, S. (2015). Social influence or personal preference? Examining the determinants of usage intention across social media with different sociability. Information Development (2015): 0266666915603224.