O enema no parto

Durante a gravidez, as futuras mamães geralmente têm muitas perguntas e preocupações. Entre elas estão o famoso enema no parto.

Quando o momento do nascimento se aproxima, as expectativas se concentram em como vai ser o parto. E também nos possíveis riscos que a mãe pode correr, na saúde do bebê, nos mitos e nas crenças, além de vários outros temas.

Um dos medos das mães que vão dar à luz proximamente é a aplicação do enema no parto. É necessário ou não?

O que é um enema?

Também chamado de lavagem, é um laxante que se administra introduzindo líquidos por via anal para esvaziar o cólon. Faz efeito em aproximadamente 20 minutos.

As dúvidas da mãe

Não existem preocupações pequenas para uma mulher que está prestes a ter um bebê. Uma delas costuma ser defecar durante o parto.

É comum supor que o esforço de empurrar vai levar à expulsão de fezes.

O simples fato de pensar em defecar durante o parto pode ser constrangedor e desconfortável para muitas mulheres. Imaginar esse cenário na presença da equipe médica (constituída na maioria das vezes por pessoas desconhecidas) pode ser uma verdadeira fonte de estresse para a mulher.

Apesar disso, todas as pessoas que estão acostumadas a presenciar um parto, como médicos e parteiras, por exemplo, estão preparadas para tudo o que acontece durante esse processo.

enema no parto

A fase inicial do parto

Quando chegar a hora do parto, é provável que o corpo manifeste a necessidade de evacuar como um mecanismo de preparação natural.

Se isso acontecer na fase inicial do parto, não há nenhum problema. As primeiras contrações vão estimular a vontade de ir ao banheiro e a mãe poderá fazer isso normalmente.

Além disso, se a mãe tiver hábitos regulares de evacuação, o enema não será necessário.

O enema no parto até alguns anos atrás era uma prática comum

Administrar um enema na chegada a um hospital no momento de ter um bebê era uma prática normalizada. O motivo era a prevenção de infecções.

enema no parto

Supunha-se que se a mulher evacuasse no momento do parto e o bebê entrasse em contato com as fezes, ambos correriam risco de se contaminar.

Também se pensava que a aplicação do enema estimulava o parto e reduzia o tempo do processo.

Quando utilizar o enema no parto?

  • Quando a mãe sofre de prisão de ventre ou quando a quantidade de fezes acumuladas for muito grande, o que pode dificultar o parto.
    • A maneira de descobrir isso é através do toque. Se o médico ou a parteira conseguirem sentir as fezes retidas através da parede posterior da vagina, é recomendável aplicar o enema.
  • O enema no parto também é recomendado nos casos em que o medo de evacuar da mãe for tão grande que acabe provocando estresse e a impeça de viver esse momento tranquilamente.

A mãe deve saber que o enema não é obrigatório, a menos que o obstetra afirme o contrário. Ela deve se informar o máximo que puder.

É preciso lembrar que o parto é um evento natural no qual podem ocorrer acontecimentos poucos agradáveis, mas completamente normais.

A raspagem dos pelos pubianos

Junto com a prática da aplicação do enema no parto, era comum realizar a raspagem dos pelos ao redor da vagina.

A razão principal era que se pensava que a eliminação dos pelos diminuía os riscos de infecção durante a episiotomia.

A episionomia consiste em uma incisão que o médico realiza na região do períneo, na parte inferior da vulva em direção ao ânus. É uma prática cirúrgica que tem como finalidade ampliar o canal do parto para evitar que a pele se rasgue e facilitar o processo tanto para o bebê quanto para a mãe.

Tanto a aplicação do enema quanto a raspagem dos pelos estavam diretamente ligados à episiotomia. Entretanto, estudos sobre o assunto durante as últimas décadas vêm questionando essas três práticas, provocando a redução contínua das três.

Os argumentos são que não apresentam grandes benefícios para a mãe ou para o bebê. Não evitam doenças, não melhoram o tempo de recuperação nem diminuem outros tipos de riscos.

Por isso, só é preciso realizar essas práticas em casos que elas sejam realmente necessárias. A mãe deve ter absoluta confiança no profissional que a acompanhará no parto. Pois será quem a ajudará a se sentir à vontade e segura.

Recomendados para você