O meu primeiro objetivo quando eu me tornar mãe

· 4 de novembro de 2018
Mesmo quando os contratempos do destino me impedem de avançar, ameaçando todas as minhas forças tanto físicas quanto emocionais, não existe apoio que não seja suficiente ou nenhuma arma que eu não possa brandir quando se trata de me recompor, lutar e seguir em frente.

Meu primeiro objetivo quando eu me tornar mãe é o bem-estar do meu filho, sua saúde e sua felicidade.

Não há nada no mundo que me incentive a lutar e me motive mais do que o meu bebê.

A missão da minha vida está focada em construir um caminho para que meu filho possa seguir seguro.

O meu desejo é poder disponibilizar o melhor que posso dar e educá-lo com integridade.

O meu plano é dar todo o meu amor, proteger e ajudar sempre que ele precisar. Depois de ter me tornado mãe, não consigo ter outras prioridades.

Por mais que existam tantas outras coisas com o que me preocupar, como trabalho, negócios, investimentos, economia e dinheiro, pode ser que os hormônios ou os genes tenham feito com que me eu me prenda a alguém que ainda estou conhecendo, mas por quem faria qualquer sacrifício.

Meus dois objetivos mais importantes

me tornar mãe

Já comentei sobre o meu primeiro objetivo quando eu me tornar mãe: meu filho e tudo o que estiver relacionado com o bem-estar físico e emocional dele.

O segundo objetivo sou eu mesma. Não digo como uma pessoa independente e totalmente egocêntrica. Mas, sim, como mãe em relação à necessidade que tenho de transformar os defeitos que me caracterizam.

Eu tenho o objetivo de evitar que meu filho possa desenvolver essas falhas. Ou, ainda, que ele sofra com elas durante a nossa convivência.

Minha regra número dois é também me educar intelectualmente e adquirir o conhecimento necessário para tentar responder às suas perguntas mais singulares quando esse momento chegar.

Neste objetivo, também incluo minha superação pessoal e emocional.

Quero ser uma mulher modesta sem a apatia e a competitividade que a vida do mundo de negócios me trouxe.

Eu preciso aprender a não olhar para os outros por cima do ombro, nem considerar como iguais apenas aqueles que me superam.

Eu tenho que levar a minha vida de maneira mais humana. Ouvir atentamente meus interlocutores, não querer impor o meu ponto de vista, me comportar perante divergências com respeito e parar de olhar de cima as pessoas ao meu redor.

Eu quero aprender a não mentir, não invejar e perdoar. Eu preciso eliminar os pensamentos ruins e essa mentalidade negativa que me fazem pensar sempre mal dos outros.

Para isso, eu tenho que me preparar o quanto antes. Sei que vou precisar de muito tempo para que me tornar uma pessoa melhor, a mãe que meu filho merece.

Meu terceiro objetivo quando me tornar mãe

me tornar mãe

Depois de me tornar mãe, tudo ficou mais complicado. Se antes do seu nascimento eu pensava que estava preparada para suportar a dor do parto e empurrar o bebê para trazê-lo ao mundo, depois eu descobri que aquelas horas de dor das contrações, na verdade, eram o de menos.

O caminho difícil, o esforço e a perseverança são as diretrizes que marcam verdadeiramente a carreira de mãe. E isso só acontece depois que o filho nasce.

Mas tudo tem recompensa. Depois que me tornei mãe eu conheci o significado do amor à primeira vista e a entrega total a alguém que mal se conhece.

Por isso, a minha terceira e última regra é garantir que esse pequeno ser, que eu amamento, acaricio, cuido e mimo, saiba que eu sou sua mãe.

Quero que ele saiba que em mim encontrará uma mão estendida, um ombro disposto, palavras de apoio, o perdão, o incentivo para continuar e tudo que ele precisar, não importa o momento que ele estiver vivendo.

Sem dúvida, ninguém no mundo vai me fazer mudar de ideia. Pois sigo fielmente o meu caminho com empenho, coragem e todo o meu coração.

Meu primeiro, segundo e terceiro objetivos é defender com unhas e dentes o relacionamento com o meu filho. Contra todos que estiverem no nosso caminho.