O peso da grávida: elemento-chave nos partos prematuros

· 11 de setembro de 2018
As causas dos partos prematuros continuam sendo, de acordo com os especialistas, uma grande incógnita. A maioria dos partos prematuros tem causa desconhecida, ainda que algumas circunstâncias possam favorecer sua ocorrência.

Entre as circunstâncias que podem influenciar a ocorrência de um parto prematuro, podemos citar a idade da mãe, histórico de parto prematuro, de gestações múltiplas, de estresse físico ou psíquico, de alcoolismo, de vício em drogas ou de tabagismo, a desnutrição materna ou doenças ao longo da gravidez como pressão alta ou infecções.

Mas muitas mães não chegam a saber quais foram as causas específicas do parto prematuro. Existem muitos partos prematuros de mães jovens e sem problemas associados ao caso.

Durante a gestação, uma das grandes preocupações que todas as grávidas têm é a possibilidade de que seu filho nasça antes do tempo. Considera-se que um bebê é prematuro quando nasce antes de 37 semanas de gestação. Embora cada criança prematura seja diferente uma da outra, nascer antes do tempo pode trazer um alto risco para o bebê e para a mãe.

peso da grávida

O parto prematuro

Uma gravidez é considerada terminada quando passa de 37 semanas de gestação. Sendo, portanto, um parto normal aquele realizado entre a 37ª semana e a 42ª semana. Quando o bebê nasce antes de 37 semanas de gestação, ele é chamado de “prematuro ou pré-termo”, segundo nos explicam a APREM, a Associação Nacional de Pais de Prematuros.

O bebê prematuro “não nasce com seus órgãos já formados”, o mesmo acontece com os sistemas respiratório, o controle de temperatura, o digestório e o metabolismo. Essas circunstâncias fazem com que o bebê prematuro fique mais vulnerável a doenças por causa da falta de defesas e mais sensível a agentes externos, como a luz e o barulho.

Nem todos os bebês prematuros vão apresentar os mesmos problemas. Dessa forma, cada um deverá ser avaliado por um grupo de especialistas para determinar qual tratamento integral deve seguir. Normalmente, bebês nascidos com menos de 35 semanas de gestação devem permanecer um tempo internados em Unidades de Neonatologia.

Os bebês considerados muito prematuros, ou seja, bebês que nascem com menos de 32 semanas ou com peso inferior a um quilo e meio, passarão um período maior no hospital e terão um risco maior de apresentar problemas no desenvolvimento.

Há anos, tenta-se prevenir os partos prematuros, já que dispararam nos últimos tempos no mundo todo. Se houvesse um trabalho para prevenir os fatores de risco, seria possível prevenir significativamente os nascimentos prematuros e a mortalidade infantil no mundo todo.

peso da grávida

O peso da grávida

Há alguns anos, uma das linhas de pesquisa dos especialistas e pesquisadores é tentar descobrir as causas de um parto prematuro. Um dos sintomas que foram estabelecidos recentemente como possível causa dos partos prematuros, segundo os especialistas, é o índice de massa corporal da grávida.

De acordo com um estudo realizado pelo Cincinnati Children’s Hospital Medical Center do estado de Ohio, nos Estados Unidos, constatou que 25 por cento dos nascimentos prematuros poderiam estar ligados ao índice de massa corporal da mãe antes do parto e ao peso durante a gestação.

Os pesquisadores descobriram que os principais riscos para um nascimento prematuro estavam nas mulheres com baixo peso que ganharam pouco peso durante a gravidez ou que aumentavam de peso apenas em curtos períodos de tempo ao longo da gestação.

Além disso, foi descoberto que o aumento de peso excessivo nas mulheres obesas aumenta o risco de parto prematuro. Portanto, é importante manter o peso recomendado pelo médico e procurar o especialista se notarmos que nosso peso está abaixo ou acima do que seria considerado adequado.

A pesquisa

O grupo de especialistas estudou as certidões de nascimento em Ohio desde 2006 até o ano de 2011, incluindo quase 400.000 casos, e se focaram nas mães que tiveram apenas um parto por vez. Ou seja, não levaram em consideração os nascimentos de bebês múltiplos.

O trabalho científico também verificou que aspectos como a questão do baixo peso aconteciam em 90 por cento das mães que tiveram filhos de maneira prematura. Além disso, observaram que menos da metade das mulheres começa a gravidez com um peso normal e somente 32 por cento consegue ganho de peso ideal durante a gestação.

A pesquisa concluiu, portanto, que as mães devem prestar atenção especial em ganhar o peso apropriado antes da gravidez e ter uma nutrição adequada para obter o aumento de peso necessário durante a gestação.