O que determina o funcionamento do nosso metabolismo?

28 Maio, 2018
Um metabolismo lento fornece menos energia para que nosso organismo funcione bem. Ainda que não possamos mudar o metabolismo com que nascemos, é possível mudar nossos hábitos para acelerar seu funcionamento e, como consequência, viver melhor.

Quando falamos em dietas para perder peso, é inevitável mencionar o metabolismo. É comum ouvir conceitos como metabolismo acelerado ou lento, mesmo que nem todo mundo saiba a que esses termos se referem. De que se trata? Podemos acelerar nosso metabolismo para emagrecer?

Metabolismo: o conceito

Basicamente, o metabolismo é a reação química que se produz no organismo para assimilar todos os nutrientes dos alimentos. Ativa-se com a digestão e é o responsável pela absorção e transformação dos alimentos na energia que o corpo precisa para funcionar melhor.

O metabolismo divide-se em dois processos complementares:

  • O anabolismo, que é responsável pelo crescimento celular e cuidado e conservação de tecidos.
  • O catabolismo, que produz a energia que o organismo precisa, assimila moléculas complexas e ajusta a temperatura corporal.

Ambos os processos têm que estar em equilíbrio. Disso depende a quantidade de calorias que uma pessoa gasta diariamente, o que afetará seu peso corporal. A alimentação, o estilo de vida, a idade, o sexo e a genética, entre outros fatores, condicionam a velocidade com que o metabolismo realiza esses processos.

Um metabolismo lento gera menos energia para manter em funcionamento o organismo. O que sobra, portanto, se armazena nos tecidos em forma de gordura.

Em geral, os homens têm um metabolismo mais rápido do que as mulheres. Por isso para uma mulher é mais difícil emagrecer do que para um homem.

Ainda que nosso metabolismo inato não possa ser condicionado, é possível mudar hábitos de vida para acelerá-lo e se manter em forma; isso pode ser feito com uma dieta apropriada, exercício físico, além de alguns conselhos recomendados por especialistas.

Dicas para acelerar nosso metabolismo

1.- Tomar café da manhã

Está comprovado que a maioria das pessoas que têm sobrepeso não comem bem pela manhã; é importante não deixar passar mais de uma hora após levantar da cama para fazer essa refeição.

A primeira refeição do dia é fundamental para que o metabolismo comece a trabalhar e mantenha o organismo ativo. Além disso, evitam-se os ataques de fome antes do almoço.

Cereal-fruta-leite

2.- Consumir proteínas

As proteínas modificam a maneira como o metabolismo processa as calorias. Desta forma, a energia obtida não se armazena em forma de gordura, mas nos músculos.

O consumo de proteínas produz a sensação de saciedade de longa duração; então, nosso organismo vai demorar mais para transformar os nutrientes. As proteínas devem estar presentes tanto no café da manhã como no jantar.

3.- Exercício físico

O exercício deve ser constante para que o metabolismo se mantenha ativo. Na academia, podem ser realizados exercícios cardiovasculares e de musculação.

Os músculos são os que têm mais demanda de energia; por isso o treinamento intenso ajuda a acelerar o metabolismo. Se não for possível ir à academia, estar em movimento também ajuda.

Uma boa opção é fazer caminhadas de 30 minutos todos os dias ou sair para dar uma volta de bicicleta. O sedentarismo, por outro lado, reduz a velocidade do metabolismo e, portanto, desacelera seu funcionamento.

“O metabolismo é a reação química que se produz no organismo para assimilar todos os nutrientes dos alimentos”

4.- Dormir o suficiente

Dormir mal e pouco faz com que o corpo interprete erroneamente os sinais de fome; o fato de permanecer acordados mais tempo, implica em uma despesa de energia extra.

Para atender essa demanda, é necessário consumir mais calorias. Para que o metabolismo funcione adequadamente é essencial descansar ao menos 8 horas.

5.- Consumir alimentos que elevem a temperatura

As especiarias e os alimentos picantes provocam um aumento na temperatura corporal. Isto faz com que se utilize mais energia e obriga o metabolismo a tirá-la das reservas de gordura dos tecidos.

A pimenta do reino, o gengibre, pimentas e outras especiarias, bem como o chá verde, são alimentos termogênicos que colaboram na eliminação da adiposidade localizada. Se os incorporamos na nossa dieta, nos ajudarão a manter o peso estável.

Evitar dietas radicais

6.- Evitar dietas radicais

Acredita-se que as dietas hipocalóricas e radicais são as que ajudam a emagrecer. No entanto, restringir os nutrientes necessários para o funcionamento do organismo produz um efeito contrário ao desejado.

Uma dieta radical só gera cansaço e fome. O metabolismo tira a energia dos músculos, não da gordura acumulada nos tecidos. Para se recuperar, pede mais alimento e fica mais lento.

Para concluir, uma dieta equilibrada e abundante em proteínas e carboidratos integrais vai gerar um aumento na velocidade de nosso metabolismo, contribuindo para a queima de mais calorias.

  • Chungchunlam SMS., Henare SJ., Ganesh S., Moughan PJ., Effects of whey proteín and its tweo major protein components on satiety and food intake in normal weight women. Physiol Behav, 2017. 175: 113-118.
  • Swift DL., McGee JE., Earnest CP., Carlisle E., et al., The effects of exercise and physical activity on weight loss and maintenance. Prog Cardiovasc Dis, 2018. 61 (2): 206-213.