O que devo fazer frente a oxiuríase?

13 de fevereiro de 2018
É muito fácil os bebês se contagiarem com oxiuríase. Por isso devemos tomar as medidas necessárias para evitar essa doença. Conheça mais sobre a oxiuríase neste artigo.

A oxiuríase é uma doença comum nas crianças e pode chegar a ser bastante incômoda. Essa doença parasitária intestinal é geralmente conhecida como lombrigas ou oxiúro Enterobius vermicularis.

O contágio pode ocorrer pela inalação ou ingestão de cistos de protozoários, ovos ou larvas de vermes. Embora seja bastante incômoda, não é uma doença grave e tem remédio.

Como uma criança pode se contaminar com oxiuríase

É normal que as crianças, em algum momento de suas vidas, tenham lombrigas, pois são vulneráveis a se contaminar. Depois de entrar na boca, os ovos atravessam o sistema digestivo, param no intestino delgado e as larvas continuam até o intestino grosso.

Depois de algumas semanas, as fêmeas da lombriga avançam até o final do aparelho digestivo e saem do corpo durante a noite para colocar os ovos.

Por meio de uma secreção especial, os ovos se aderem ao redor do ânus e da pele ao redor. A partir de então, é possível reiniciar o ciclo de contágio. Por exemplo, se a criança se coçar e, em seguida, colocar as mãos na boca.

Esse processo costuma durar de um a dois meses. Nas fezes é possível ver facilmente a lombriga, pois ela pode chegar a atingir cerca de dez milímetros. Costuma ser de cor branca e ter um formato alongado.

a oxiuríase

Sintomas de oxiuríase nas crianças

O pediatra verifica através do exame de Graham se o bebê está com oxiuríase. Os principais sinais de uma contaminação com oxiuríase nas crianças são dores e coceira na região anal ou na região genital.

Esses incômodos costumam aparecer principalmente durante a noite, que é quando as lombrigas saem do ânus. Esse mal-estar pode produzir os seguintes sintomas nas crianças:

  • Irritabilidade
  • Problemas de sono
  • Bruxismo
  • Pesadelos constantes
  • Sonambulismo (em alguns casos)

 “É recomendável que as pessoas infectadas tomem banho pela manhã para eliminar os ovos que foram depositados na região anal durante a noite”

Como prevenir a oxiuríase?

O contágio com oxiuríase pode ocorrer facilmente. Por isso devemos tomar algumas precauções para prevenir ou diminuir consideravelmente sua propagação. Com estas medidas simples, você poderá evitar a infecção inicial e, caso a criança já tenha tido lombrigas alguma vez, o reaparecimento da doença.

  • É importante lavar bem as mãos. Especialmente antes de comer e depois de ir ao banheiro ou de trocar as fraldas, ao voltar de alguma atividade ou da escola. Isso deve se transformar em uma prática cotidiana.
  • Limpar as unhas com uma escova.
  • As unhas da criança devem ser mantidas curtas para que ela não se machuque ao se coçar e para que os ovos não se acumulem sob as unhas.
  • Não morder as unhas.
  • Nos bebês, é fundamental limpar adequadamente a região da fralda.
  • Trocar a roupa íntima todos os dias.
  • Depois de confirmar com o pediatra que a criança está com a infecção, deve-se lavar as roupas e os lençóis com água quente e desinfetar os banheiros.
  • Um pijama fechado pode evitar que a criança encoste na região anal e espalhe os ovos.
  • Não permita que o bebê brinque nas áreas dos parques em que podem ter estado cachorros.
a oxiuríase

Qual é o tratamento que se deve seguir para acabar com a oxiuríase?

Existe um tratamento muito eficaz para acabar com essas incômodas lombrigas. Elas não são difíceis de eliminar. Mas se o tratamento não for realizado corretamente, a infecção pode voltar a aparecer.

O pediatra do bebê vai recomendar um antibiótico que será responsável por matar os oxiúros em uma única dose. Mas não existe um medicamento que elimine os ovos, que podem voltar a infectar a criança e todas as pessoas que convivem com ela.

Por esse motivo, é importante repetir a dose do remédio duas semanas depois e tratar a família toda.

 “Devido ao alto grau de infestação, é muito difícil controlar a oxiuríase ou as lombrigas nas creches e nas escolas”

Devemos prestar atenção especial nas atitudes do bebê e, caso se evidenciem os sintomas da infecção, consultar o pediatra e seguir as indicações necessárias para eliminar a doença.

Recomendados para você