O que é a diástase dos retos abdominais?

Se seu abdômen sofreu um estiramento excessivo, seja por causa de obesidade ou gravidez, os retos abdominais, ou mais conhecidos como six-pack, podem ter sofrido uma lesão. Dessa maneira, é conveniente saber o que é a diástase dos retos abdominais.

Se você sente um volume anormal na sua barriga, pode se tratar de uma diástase dos retos abdominais. É importante prestar a devida atenção, pois não se trata apenas de um problema estético.

É uma condição anatômica provocada pelo enfraquecimento da linha alba. Esse enfraquecimento faz com que ambos os lados do abdômen sofram uma separação no meio.

Os retos abdominais são um par de músculos compridos e planos localizados verticalmente de cada lado do abdômen. Por ser o músculo mais extenso, exerce a função de manter o corpo ereto e facilitar a flexão do tronco, além de sustentar os órgãos internos.

Por sua vez, a linha alba, que é formada por tecido conjuntivo, permite realizar movimentos, especialmente durante a gravidez, quando o bebê chega a crescer 35 centímetros. Por isso, em alguns casos, o reto abdominal acaba se separando por completo e provoca a diástase abdominal.

Fatores que provocam a diástase dos retos abdominais

  1. Fatores congênitos.
  2. Fraqueza das estruturas devido ao envelhecimento ou excesso de peso, o que dá lugar ao terceiro fator.
  3. O aumento de peso e volume provocado pela gravidez.
diástase dos retos abdominais

Além disso, entre as causas está o excesso do hormônio relaxina, que inibe a produção de colágeno. Esse último fator é o mais frequente, pois, segundo estatísticas, 35% das mulheres grávidas sofrem de diástase abdominal.

Como saber se você tem diástase dos retos abdominais?

Você pode usar vários instrumentos para medir: fazer uma ultrassonografia ou usar um adipômetro, um medidor de gordura corporal, por exemplo. Outra forma mais simples ainda é apalpar diretamente a área.

Você pode fazer isso deitada de barriga para cima, colocando os dedos na linha média do corpo, especialmente em cima do umbigo. Em seguida, levante a cabeça como se estivesse fazendo abdominal. Você deve sentir um buraco embaixo dos dedos empurrando as vísceras.

Consequências da diástase dos retos abdominais

Além de ser um problema estético, a separação dos músculos retos abdominais faz com que o conteúdo da cavidade abdominal saia para frente, formando um volume, o que pode dar a falsa impressão de uma gravidez.

A função principal da musculatura do abdômen é conter as víscera e manter a correta postura do corpo.

Quando não se exerce a devida força no abdômen, são afetadas a região lombar, as costas, a região pélvica e isso provoca dores e lesões. Essa separação pode, portanto, acarretar problemas digestivos, prolapsos, perda involuntária de urina e o aparecimento de hérnias estomacais.

Tratamento para a diástase dos retos abdominais

A primeira coisa que você deve fazer se acha que pode ter diástase abdominal é se consultar com seu médico para uma avaliação mais precisa. Quando tiver seu diagnóstico, você deve começar a seguir as indicações médicas e corrigir alguns hábitos não tão saudáveis que você pode ter.

Quando essa condição ocorre pela excessiva distensão da linha alba, o músculo pode voltar à posição original com exercícios elaborados por um especialista.

Será preciso fazer uma cirurgia se as fibras da linha alba tiverem se partido e será preciso fechar a abertura com a intervenção de um especialista. Caso contrário, você pode desenvolver uma hérnia abdominal.

A fisioterapia é o tratamento responsável pela reabilitação quando as fibras não estão rompidas. Alguns dos exercícios que podem ser realizados são os abdominais hipopressivos, no qual se realiza pressão abdominal.

Também existem os abdominais isométricos, a prancha, a respiração e o método Tupler, que são contrações rítmicas e transversais.

diástase dos retos abdominais

Recomendações

Se já se passou um período de 3 a 6 meses e os músculos não voltaram a se unir de forma natural, considere as seguintes recomendações:

  • Procure seu médico para que ele confirme o diagnóstico e indique o melhor tratamento.
  • Faça sessões com um fisioterapeuta que poderá aplicar técnicas como a eletroterapia.
  • Não tente recuperar a forma fazendo abdominais por conta própria, pois em muitos casos a situação acaba piorando.
  • Enquanto você estiver nesse processo de recuperação, não levante muito peso e evite fazer esforços.
  • Complemente o tratamento com uma dieta rica em proteínas e uma hidratação adequada.

Nunca é tarde para recuperar seu abdômen. E lembre-se de que o impossível está apenas na nossa mente. Ao mesmo tempo em que a solução para muitos dos nossos problemas está nas nossas mãos.

Recomendados para você