O que é a listeriose e como afeta a gravidez?

· 19 de abril de 2018
Contrair listeriose durante a gravidez pode ser muito prejudicial para o bebê. Por isso as futuras mamães devem tomar medidas preventivas em relação à alimentação.

A listeriose é uma perigosa infecção provocada por uma bactéria chamada Listeria monocytogenes. Essa infecção afeta de maneira especial as mulheres grávidas e as pessoas com sistema imunológico deprimido.

Como acontece a transmissão da Listeria monocytogenes?

Essa bactéria pode estar em vários lugares. Desde águas frescas até águas residuais, nos animais domésticos, na vegetação, entre outros. A ingestão direta através dos alimentos é a principal via de transmissão dessa bactéria.

Em geral, quando ocorrem os surtos de infecção com Listeria, são atribuídos ao consumo de alimentos enlatados previamente contaminados.

O período de incubação é longo, podendo passar de seis semanas até que os sintomas da infecção sejam evidentes após o consumo do alimento contaminado. Esse período de tempo tão longo dificulta a determinação de qual produto foi o causador da transmissão.

É importante ressaltar que essa doença não ocorre com frequência em pessoas que têm uma boa saúde, e sim naquelas cujo sistema imunológico está deprimido e nas mulheres grávidas.

A listeriose durante a gravidez

A probabilidade de que uma mulher grávida contraia essa infecção é, aproximadamente, vinte vezes maior do que para um adulto saudável. Estima-se que um terço dos casos de listeriose ocorram durante a gravidez. Se a mulher grávida a contrai, o feto corre grande risco de morte.

A variação hormonal durante a gestação causa um efeito no sistema imunológico da mulher, o que aumenta sua suscetibilidade à listeriose.

a listeriose

O ideal para reduzir o risco de contrair essa doença durante a gravidez é evitar o consumo de certos alimentos. Pois é nos alimentos em que geralmente se encontra a listeria monocytogenes.

A transmissão da infecção ao feto se dá por via transplacentária e é possível que ocorra ainda quando a mãe não apresenta sintomas da doença. As consequências dessa infecção vão desde sequelas neurológicas na criança, parto prematuro ou parto do feto morto até o aborto.

Dependendo da fase da gestação na qual se contrai a listeriose, as consequências no feto se apresentam de maneira diferente. Se ocorrer no primeiro trimestre de gravidez, existem grandes chances de que o bebê não sobreviva.

Se a doença for contraída no último trimestre, existe a possibilidade de que o bebê nasça morto ou se nascer com vida, pode apresentar graves problemas.

Os neonatos que conseguem vencer as duras complicações dessa doença durante o processo de gestação podem apresentar um quadro de infecção grave chamado sepse. Se a sepse atingir o sistema nervoso do bebê, as chances de desenvolver encefalite ou meningite aumentam.

A taxa de mortalidade de bebês recém-nascidos infectados com Listeria, infelizmente, é alta.

Conselhos para evitar a listeriose na gravidez

Como as mulheres grávidas são fortes candidatas para contrair a listeriose, é recomendável que sigam alguns conselhos para evitar essa terrível infecção.

Alimentação saudável e cuidados durante a gravidez

A principal via de transmissão é através dos alimentos. Em geral, alimentos processados e embutidos. Nunca é demais considerar uma dieta saudável e cuidadosa para diminuir os riscos.

Para isso, o ideal é conversar sobre sua dieta alimentar com o médico. Nem todas as gravidezes são iguais. Algumas mulheres precisam consumir determinados alimentos em maior quantidade que outros. Por isso é melhor definir sua dieta ideal com o auxílio de um especialista.

“A probabilidade de que uma mulher grávida contraia essa infecção é, aproximadamente, vinte vezes maior do que para um adulto saudável.”

Limpeza regular da geladeira

Para evitar a Listeria, recomenda-se manter uma limpeza constante da geladeira e controlar sua temperatura. O ideal é mantê-la abaixo de 5°C.

a listeriose

Higiene frequente das mãos

É necessário criar o hábito de lavar as mãos com sabonete antibacteriano e água quente após manipular alimentos frescos. Da mesma maneira, os utensílios de cozinha devem ser limpos cuidadosamente e com frequência.

Manusear separadamente alimentos crus e cozidos

Recomenda-se evitar manipular ao mesmo tempo alimentos crus e cozidos. Além disso, é importante prestar atenção especial ao lavar as frutas e as verduras antes de consumi-las. Os alimentos devem ser submetidos a um cozimento completo, especialmente as carnes vermelhas e brancas e os mariscos.

É recomendável reduzir ao máximo o consumo de embutidos e derivados à base de carne. Da mesma maneira, é aconselhável minimizar o consumo de queijos de pasta mole e semidura. É preferível que a mulher consuma queijos de pasta dura e iogurtes.

Ao reaquecer os alimentos, é preciso fazer até que esteja saindo vapor. Altas temperaturas contribuem para a eliminação das bactérias. 

Com essas medidas, as chances de aparecimento dessa doença vão diminuir. É claro que é impossível dizer que o risco está completamente eliminado. Mas a prevenção sempre é a melhor via para evitar qualquer inconveniente, principalmente para mulheres grávidas.