O que é a pirâmide alimentar e como aplicá-la?

· 23 de abril de 2019
A alimentação é a base da saúde da criança: doces em excesso e um baixo consumo de água podem causar várias doenças. Por isso, a pirâmide alimentar pode ser um guia fundamental para os pais.

A pirâmide alimentar é um gráfico que detalha de forma simples quais são os alimentos que devemos incluir na nossa dieta, bem como a quantidade adequada deles, para termos uma alimentação equilibrada e saudável. Embora ela seja bastante prática e explique cada um dos pontos, é importante detalhar seus vários itens.

Como interpretar a pirâmide alimentar

Algumas das quantidades de alimentos variam por grupo familiar, principalmente em relação aos conceitos de carne e frutas. No entanto, em geral, seguindo as diretrizes que vamos apresentar a seguir, você estará cumprindo com o gráfico corretamente:

Base da pirâmide: grãos integrais, tubérculos e leguminosas

Ao longo dos anos, os cereais e as farinhas integrais têm sido a base da pirâmide, designados como os alimentos que devemos consumir com maior frequência.

Dentro desse grupo, as leguminosas, as oleaginosas e os tubérculos se tornaram muito importantes, de acordo com a Sociedade Espanhola de Neurociência (SENC). Podemos incluir, por exemplo, aveia integral no café da manhã ou batatas assadas no jantar.

Segundo degrau: frutas e verduras

As frutas e verduras são essenciais na dieta e devem estar presentes em pelo menos cinco porções por dia. Para facilitar a inclusão na dieta da criança, elas podem ser servidas no almoço ou como um acompanhamento no café da manhã.

Terceiro degrau: fontes de proteína

Alimentos tais como peixes, queijos e laticínios, ricos em proteínas, estão no terceiro degrau. Isso significa que podemos consumir no máximo duas ou três porções de laticínios ao dia e de uma a três porções de carne, peixe e ovos por dia.

Como interpretar a pirâmide alimentar

Quarto degrau: doces, frituras e gorduras ruins

No quarto degrau, encontramos os alimentos que devem ser consumidos apenas em ocasiões muito especiais, tais como doces, frituras e gorduras ruins.

Isso se deve ao fato de que eles podem ser prejudiciais para a criança se consumidos em excesso. Se quisermos infundir uma dieta saudável em casa, esses alimentos podem até mesmo ser eliminados do cardápio sem qualquer problema.

A água na base de algumas pirâmides alimentares

Em alguns gráficos de pirâmide alimentar, a água é colocada na base. Ela sempre deve ser integrada à dieta da criança; a criança deve consumir pelo menos de 4 a 6 copos por dia.

“O azeite de oliva reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o bom (HDL). Além disso, também tem outros benefícios, tais como: controle do diabetes, controle da hipertensão arterial, efeitos anti-inflamatórios, entre outros”

Pontos que devemos levar em consideração

Entre os pontos mais importantes a serem destacados no que diz respeito à alimentação da criança, está a necessidade de integrar líquidos fundamentais, como a água, por exemplo, e a escassa ou até mesmo inexistente presença de doces.

A seguir, apresentaremos em detalhe algumas quantidades e alimentos que os pais devem levar em consideração:

  • A água será fundamental na alimentação da criança. Isso não significa que ela não possa tomar sucos ou outras bebidas; ela pode fazer isso em ocasiões especiais.
  • Doces não devem fazer parte da sua dieta. Os pais devem ter em mente que, além do fato de que os doces podem alterar as crianças, também podem produzir cáries. Se o seu consumo for excessivo, isso pode causar doenças mais graves, como o diabetes, por exemplo.
  • Os laticínios não devem exceder 500 mililitros por dia.
  • Frutas e verduras devem ser integradas na sua dieta; cinco porções ao dia, pelo menos.
  • É fundamental reduzir o consumo de gordura, principalmente a de origem animal. A única gordura que pode ser considerada um pouco mais saudável é aquela que vem do azeite de oliva.
Os doces não devem fazer parte da dieta das crianças

  • O sal deve ser reduzido. Em excesso, assim como o açúcar, pode causar várias doenças.
  • A carne geralmente é consumida com maior frequência do que o peixe, mas o contrário é o mais recomendado.
  • Caso seja um bebê que ainda esteja sendo amamentado, a amamentação deve continuar pelo menos até os seis meses de idade.
  • Cereais, batatas e leguminosas são alimentos que devem ser integrados à dieta diária da criança.

Em resumo

É realmente muito simples aplicar uma dieta adequada e seguir os passos apresentados no gráfico da pirâmide alimentar. Assim, uma porção correta de cada uma das quantidades e dos alimentos vai fazer com que a criança seja saudável e se desenvolva corretamente, tanto física quanto mentalmente.