O que é a síndrome da cabeça chata e por que ela se desenvolve?

· 29 de outubro de 2018
Hoje em dia, é mais comum que os bebês durmam de barriga para cima evitar esse problema. Apesar disso, ainda existem muitos pediatras que continuam aconselhando os pais a mudar a posição dos bebês durante o sono.

A síndrome da cabeça chata também é conhecida como”plagiocefalia ou braquicefalia”. Essa condição se desenvolve nos bebês devido à pressão externa sobre o crânio do que ainda é maleável.

São muitas as crianças que se veem afetadas pela síndrome da cabeça chata.

Os pais, por sua vez, escutam diferentes coisas sobre o impacto que isso pode ter (ou não) na vida de seus bebês.

Não há pesquisas suficientes para que os médicos possam dissipar os rumores. Mas a verdade é que essa condição deve ser tratada com um cuidado especial.

Existem estudos que demonstram que se os pais perceberem que os seus filhos têm a síndrome da cabeça chata e não tomarem os cuidados necessários, a criança poderá ter problemas no desenvolvimento. Inclusive, os riscos de sofrer atrasos no desenvolvimento podem aumentar.

É por isso que os pais devem ter bastante cuidado com a cabecinha dos bebês. Eles devem sempre trocar a posição dos bebês enquanto dormem para que a cabeça não fique achatada em nenhum lugar.

O que é a síndrome da cabeça chata e por que ela se desenvolve?

síndrome da cabeça chata

A síndrome da cabeça chata é quando um bebê possui uma área achatada na parte posterior ou lateral da cabeça.

Nos casos mais graves, pode afetar a formação dos ouvidos, dos olhos e da mandíbula. Os pais devem tomar cuidado, principalmente, entre 0 e 4 meses de idade.

Essa condição pode ocorrer desde o nascimento ou se desenvolver com o tempo. 

Além disso, ela pode aparecer até os 18 meses, período no qual os ossos do crânio do bebê se tornam mais duros e se fixam.

Os pais devem saber que a síndrome da cabeça chata pode levar a um atraso de desenvolvimento. Por isso, é necessário ter muito cuidado!

Também vale destacar que crianças que sofreram dessa síndrome podem ter um desenvolvimento normal.

Dessa forma, embora apresentem certo atraso de desenvolvimento, com um direcionamento adequado elas podem se desenvolver normalmente no futuro.

Estudos comprovam que crianças que sofreram da síndrome da cabeça chata têm 10 vezes mais chances de ter atrasos no desenvolvimento se comparadas às crianças sem cabeça chata.

Os pais, portanto, precisam saber todas essas informações para poder tomar as medidas necessárias.

Como prevenir a síndrome da cabeça chata?

É necessário tomar algumas precauções para evitar que os bebês desenvolvam a síndrome da cabeça chata.

Caso os pais não sigam as recomendações adequadas para que os bebês durmam seguros, os recém-nascidos podem chegar, até mesmo, a sofrer uma morte súbita.

Os bebês devem dormir de costas, em um lugar plano, sem brinquedos por perto, sem almofadas, nem qualquer outro objeto.

Trabalhar na prevenção da síndrome da cabeça chata é possível através das informações adequadas.

Prevenção

É positivo que o bebê fique um tempo de barriga para baixo enquanto estiver acordado. Mas isso sempre deve ser feito sob a supervisão de um adulto.

Assim, coloque-o nessa posição durante um período curto de tempo todos os dias a partir do nascimento da criança.

Essa prática pode ajudar seu filho a fortalecer os músculos do pescoço e irá evitar a síndrome da cabeça chata.

Enquanto o bebê estiver acordado, você deve procurar mudar sua posição de tempos em tempos.

síndrome da cabeça chata

Existem alguns bebês que têm mas riscos de desenvolver a síndrome da cabeça chata, como bebês prematuros, bebês que nascem em um parto difícil ou têm torcicolo quando nascem.

Nenhum pai ou mãe deve se sentir culpado se o filho desenvolver essa síndrome.

Se você acredita que o seu filho tem a cabeça chata, consulte um médico o quanto antes para que ele possa te aconselhar sobre o que fazer. 

Um bebê que tem a síndrome da cabeça chata não terá necessariamente problemas de desenvolvimento durante toda sua vida.

Mas é preciso buscar soluções o mais rápido possível e, sobretudo, prevenir essa condição.

Portanto, se você tiver alguma dúvida de como colocar o seu bebê para dormir de uma forma segura, consulte seu pediatra e peça para ele te aconselhar sobre isso.

O importante é mudar a posição do bebê, sobretudo quando ele está acordado.