O que é o sangramento de implantação?

9 de maio de 2019
Devemos estar atentas às mudanças que ocorrem no nosso corpo durante a gravidez para poder informar ao médico se houver alguma irregularidade.

O sangramento de implantação não é motivo de preocupação durante os dois primeiros trimestres da gravidez. Trata-se de uma perda de sangue pouco perceptível e incomum Agora, por que acontece e como se difere de uma menstruação ou hemorragia? Não se preocupe, vamos te dar as respostas a seguir.

O sangramento de implantação ocorre porque o óvulo, que foi fertilizado, se nidifica no útero. Como resultado, isso faz com que algumas veias e artérias das suas paredes se rompam e, por consequência, há a perda de sangue.

Mas quando o sangramento de implantação ocorre? Geralmente, entre 5 e 10 dias após a fertilização do óvulo. Quanto à sua duração, ela é bastante curta: de 1 a 3 dias. E como a quantidade de sangue perdida é mínima, não é necessário se preocupar muito. O sangramento desaparece por conta própria.

Como e por que isso acontece?

O processo começa nas 12 horas seguintes à união do óvulo com o espermatozoide. Imediatamente após a fertilização, enquanto o zigoto desce em direção ao útero, os núcleos do espermatozoide e do óvulo se fundem e ocorre uma rápida divisão celular que origina o embrião.

Por que o sangramento de implantação acontece

Uma vez formado o embrião, o seu desenvolvimento no útero tem início ao formar uma espécie de ninho ou implantação no endométrio (camada mucosa que cobre o útero), onde ele continuará o seu desenvolvimento. Enquanto todo esse processo ocorre, é possível que haja um sangramento de implantação.

Às vezes, o sangramento de implantação é tão escasso que quase não é percebido. Ele ocorre apenas em 1 a cada 5 mulheres, e em algumas é mais leve do que em outras. Esse sangramento é considerado um dos muitos sintomas de gravidez que podem ocorrer. No entanto, devemos nos lembrar de que cada mulher é diferente da outra.

Sintomas de gravidez que acompanham o sangramento de implantação

  • Inflamação.
  • Vômito ou náusea.
  • Retenção de líquidos.
  • Aversões ou desejos alimentares.
  • Hipersensibilidade em várias áreas do corpo, como os seios, por exemplo.
  • Desejos: as preferências por alguns alimentos geralmente revelam uma necessidade fisiológica. O desejo por doces, por exemplo, pode ocorrer devido à eliminação de uma maior quantidade de açúcar através da urina.

Características do sangramento de implantação

Quanto à cor, ela varia entre o rosa e o marrom claro, e nunca se compara com a cor característica da menstruação. Na verdade, não é uma hemorragia, e sim uma pequena mancha que aparece na roupa íntima. Agora, quanto à intensidade da dor, ela é leve.

Algumas mulheres sentem um desconforto mais perceptível quando ocorre o sangramento de implantação. Algumas cólicas podem ocorrer na região pélvica, mas isso não será mais do que um leve desconforto. Nos casos mais óbvios, o desconforto é semelhante à dor pélvica que ocorre no início da menstruação.

Toda mulher sexualmente ativa, grávida ou não, deve estar atenta às mudanças no seu corpo e, especialmente, aos sangramentos.

Naturalmente, será necessário ir ao ginecologista se as dores pélvicas forem muito fortes, já que isso pode indicar o aparecimento de certos cistos ou de endometriose.

Entre outras características físicas do sangramento de implantação, vale a pena destacar que o seu cheiro, para a grande maioria das mulheres, é imperceptível, embora existam algumas que dizem que ele simplesmente tem cheiro de sangue ‘velho’.

Assim como foi mencionado anteriormente, no que diz respeito à duração do sangramento, ela é bastante breve e geralmente não passa de 2-3 dias.

Caso o tempo seja prolongado um pouco mais do que o normal, é aconselhável consultar o especialista para descartar qualquer anomalia ginecológica; que pode ser o caso de um aborto espontâneo ou de uma gravidez ectópica.

Você não deve recorrer à automedicação sob nenhuma circunstância

Recomendações

Se você tiver um sangramento de implantação, tente não se alterar nem se preocupar muito com isso. Confie nos conselhos do seu especialista e tente levar uma vida normal durante os 2-3 dias de sangramento. Se você se preocupar demais, o estresse pode te enganar e fazer com que o seu corpo somatize as preocupações.

Quanto aos hábitos da vida, eles não precisam ser modificados já que não é necessário tomar nenhuma medida em particular (a menos que o médico assim indique). Uma boa alimentação, hidratação, exercícios regulares e o desempenho de todas as atividades que são realizadas regularmente ajudarão a limpar a mente e a ter bem-estar.

Em pouquíssimos casos, o médico pode recomendar que algum tipo de analgésico seja tomado (em doses baixas) para aliviar o desconforto pélvico. Porém lembre-se: você não deve recorrer à automedicação sob nenhuma circunstância.