O que é a psicologia perinatal?

· 22 de janeiro de 2018

O nascimento de um bebê envolve um processo que começa antes do parto e se prolonga até os anos seguintes. A prevenção de transtornos psicológicos é muito importante nessa fase. Para isso, a psicologia perinatal é uma das melhores ferramentas.

A psicologia perinatal é o ramo da psicologia que se ocupa da saúde mental dos bebês e das mães desde a concepção até a criação, passando pela gravidez, pelo parto e pelo pós-parto. Dedica-se à detecção precoce de indícios pouco saudáveis para prevenir complicações nessas fases da vida.

Os temas centrais pelos quais a psicologia perinatal é responsável são:

  • Problemas de fertilidade.
  • Depressão e ansiedade durante a gravidez.
  • Medo do parto.
  • Partos traumáticos.
  • A perda do bebê.
  • Problemas de aleitamento.
  • A adaptação à maternidade ou à paternidade.
  • Vínculo com o bebê ou o estabelecimento de um apego seguro.
  • Situação especial das sobreviventes de abuso sexual.

Para a abordagem de possíveis patologias psicológicas ou físicas que poderiam surgir, os especialistas em psicologia perinatal enfatizam a importância do trabalho interdisciplinar. Ou seja, contar com a colaboração de médicos, psiquiatras, enfermeiros e assistentes sociais para poder realizar um acompanhamento e agir antes de que o problema apareça.

a psicologia perinatal

Por que a psicologia perinatal é importante?

Para ter uma noção sobre a relevância desse âmbito da psicologia, basta pensar que nem todas as gravidezes ou os primeiros anos de vida das crianças ocorrem em ambientes adequados.

Em primeiro lugar, devemos considerar que em muitos casos ocorrem gravidezes não desejadas que deixam sequelas psicológicas muito significativas nas mães, principalmente quando se trata de adolescentes.

Além disso, podemos acrescentar a isso os casos de estupros, situações de violência de gênero ou outros problemas conjugais ou familiares que podem afetar a psique de uma mulher que passa por um processo de profundas mudanças físicas, hormonais e psicológicas.

Por outro lado, também podem surgir problemas de saúde durante a gravidez, tanto para a mãe quanto para o bebê, que são difíceis de lidar se a mãe não receber a ajuda adequada. O mesmo acontece com os problemas financeiros, para citar outro exemplo bastante frequente.

Nesse contexto, devemos enfatizar que a abordagem psicológica de todas essas questões para preservar a integridade e a saúde mental da mãe e do bebê é algo fundamental.

Em que um psicólogo perinatal pode ajudar?

Assim como é destacado no site da Associação Espanhola de Psicologia Perinatal, um profissional desse tipo pode acompanhar a mulher durante qualquer das seguintes fases: a concepção (havendo ou não problemas para engravidar), a gravidez, o pré-parto, o pós-parto, o puerpério ou o início da criação do bebê.

Quando é aconselhável procurar um psicólogo perinatal? A personalidade de cada pessoa, assim como as circunstâncias em que vive, são completamente diferentes umas das outras. Por isso não há um parâmetro determinado por meio do qual se mede a necessidade de assistência psicológica.

Então, a resposta para essa pergunta seria: quando se considerar necessário. Seja porque você sente insegurança, medo, ansiedade, estresse, pânico ou incerteza, o psicólogo perinatal vai se transformar em um companheiro nesse caminho que vai orientar você através do processo.

a psicologia perinatal

Psicologia perinatal para pais

O fato de que a psicologia perinatal vise principalmente a saúde mental das mães e dos bebês não quer dizer que esse ramo da psicologia exclua os pais. Eles também podem sofrer da mesma maneira (ou talvez mais) que as mulheres nesse processo.

É comum que alguns pais se sintam “excluídos” no processo de gravidez. Não porque sentem ciúmes da atenção quase exclusiva da mãe com o ser na sua barriga, mas porque podem sentir que “não faz nada” durante esses nove meses para ajudar a trazer seu filho ao mundo. Por assim dizer, vivem grande parte dessa fase “do lado de fora”.

A psicologia perinatal é responsável, então, por orientar e ajudar esses homens. A partir de estudos que demonstram o reconhecimento da voz do pai por parte do bebê até mesmo antes do nascimento, entre outras coisas, esses profissionais ressaltam o valor do homem nesse período.

 “O fato de que a psicologia perinatal vise principalmente a saúde mental das mães e dos bebês não quer dizer que ramo da psicologia exclua os pais”

Um pai que se sente seguro de si mesmo e que confia na sua utilidade durante essa fase vai trazer essa mesma segurança para a mãe e a contagiará com pensamentos positivos.

Outros temas que a psicologia perinatal aborda

Por fim, vamos enumerar outros tópicos que costumam ser atendidos pelos psicólogos perinatais:

  • O estresse durante a gestação.
  • A violência obstétrica.
  • A reprodução assistida e os problemas de concepção.
  • A depressão pós-parto.
  • Os nascimentos prematuros.
  • Os abortos.

Esses são, entre outros, os temas sobre os quais os pais podem conversar com um profissional dessa área da psicologia. Se você passa ou passou por algum deles ou se por algum outro motivo você quer dar uma chance a esse tipo de terapia, não hesite.