Tudo o que você precisa saber sobre o abuso infantil

17 de dezembro de 2017

Frequentemente, considera-se que o abuso infantil implica somente a violência física, quando na verdade o abuso abarca outros aspectos importantes.

O abuso de crianças é uma realidade na nossa sociedade. Muitas vezes, é utilizado como método disciplinador e, em outros casos, é usado como meio para descontar frustrações. Independentemente do motivo, é necessário nos informar sobre o assunto e, se for o caso, abandonar essa prática tão prejudicial.

Um bom crescimento não é determinado apenas por ter um teto, comida e educação. Naturalmente, contar com os recursos necessários para o dia a dia é essencial. Mas não é isso que vai determinar uma infância feliz e saudável enquanto houver maus tratos. Nesse sentido, é preciso muito mais do que o óbvio para que uma criança cresça e seja feliz.

Trata-se de cuidar do desenvolvimento emocional tanto quanto dos demais aspectos básicos. A seguir, você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre o abuso de crianças. Os tipos, as razões mais comuns, qual o impacto dessa prática no desenvolvimento dos pequenos e como podemos evitar.

Tipos de abuso infantil

O abuso infantil pode assumir diferentes formas. Por isso, é capaz de causar danos de diferentes maneiras. Em relação à classificação dos diferentes tipos de abuso, a situação depende de cada caso e, obviamente, das circunstâncias em que ocorre.

Vale destacar que o abuso infantil é uma realidade complexa, na qual há a influência de vários fatores. No entanto, não se justifica sob nenhuma circunstância.

Abuso físico

Esse tipo de abuso é o mais conhecido. Refere-se a qualquer tipo de lesão provocada deliberadamente por outra pessoa. Podem envolver tapas, cortes e até situações de tortura nos casos mais graves. Na família, ocorre principalmente por parte dos pais (um dos dois ou ambos). Em geral, é consequência de alcoolismo, consumo de drogas, problemas financeiros, neuroses, entre outros.

abuso infantil

Abuso psicológico

Esse tipo de abuso infantil pode aparecer em diferentes âmbitos. Apesar disso, pela natureza desse tipo de abuso, costuma ocorrer por parte de pessoas próximas à criança. Podem ser pais, avós, professores, etc.

O abuso psicológico costuma aparecer em forma de ameaças, brincadeiras, exposição arbitrária dos defeitos das crianças, linguagem pejorativa, assim como qualquer forma de intimidação ou chantagem.

Abuso sexual

Esse tipo de abuso infantil partilha características dos dois primeiros tipos de abuso mencionados (físico e psicológico), embora a natureza do mesmo e o impacto no desenvolvimento da criança sejam drasticamente mais graves.

O abuso sexual ocorre normalmente por parte de uma pessoa que faz parte do círculo de confiança da criança, seja um parente ou um conhecido. Tem impacto no desenvolvimento psicoemocional da criança e provoca problemas em curto, médio e longo prazos (como a depressão, o suicídio, a dependência de drogas, vários transtornos psicológicos, etc.) de acordo com vários estudos realizados sobre o tema.

Abandono ou negligência

Apresenta-se de forma direta, pois implica a negação de uma elemento do qual a criança precisa, como, por exemplo, alimentos, ou mesmo o abandono completo da criança. O abandono pode ocorrer de duas maneiras: o pai ou o tutor vai embora de casa definitivamente ou a criança é deixada em qualquer lugar.

O abandono da criança incide negativamente no seu desenvolvimento psicossocial. Ao mesmo tempo, tudo o que implica a negligência (desnutrição, falta de atenção médica, educação), assim como a exposição da criança a ambientes tóxicos ou prejudiciais ao seu desenvolvimento, são algumas das formas com as quais se pode prejudicar uma criança.

Não são excludentes

É importante destacar que cada tipo de abuso não exclui os outros. Ou seja, uma criança pode sofrer diferentes tipos de abuso ao mesmo tempo. E esses abusos podem ter como origem a mesma pessoa ou diferentes pessoas.

abuso infantil

Impacto do abuso infantil

O impacto do abuso infantil é, evidentemente, negativo. Assim como foi expresso anteriormente, o abuso é um ato prejudicial e indefensável.

Durante a infância, as relações têm um impacto decisivo no desenvolvimento e no bem-estar da criança. Assim, é possível entender por que é tão importante que essas relações sejam saudáveis e positivas. Razão pela qual se recomenda recorrer tanto à educação positiva quanto à teoria do apego em vez do castigo, da violência e de outras formas de maus-tratos.

A teoria do apego combina uma abordagem empírica com uma perspectiva humanística. Portanto, serve-se da biologia evolutiva, da psicologia e da psicanálise. Dessa maneira, essa teoria oferece um modelo completo sobre o qual é possível se inspirar.

A teoria do apego explica como se forma um primeiro vínculo afetivo entre a criança e seus pais ou tutores e como esse vínculo permite que a criança inicie a coleta de informações sobre os padrões de comportamento. Em outras palavras, os estímulos externos permitem que a criança adquira os modelos para se desenvolver no ambiente em que está inserida.

Portanto, a gravidade do abuso infantil está em como esse fato condiciona o desenvolvimento psicológico da criança, posto que proporciona respostas negativas a estímulos externos e, portanto, a criança tem grandes chances de cultivar relações saudáveis.