O trabalho das parteiras além do parto

· 13 de setembro de 2018
As parteiras existem desde os tempos mais remotos e estão associadas, principalmente, ao trabalho de parto. No entanto, elas podem agir com sabedoria durante toda a gravidez e também no momento pós-parto.

Hoje em dia, podemos falar de cursos de parteiras (e parteiros) e também de aulas que elas podem ministrar em centros especializados. As parteiras podem ajudar tanto no momento pré-parto quanto na fase de amamentação com conselhos valiosos.

Em épocas mais distantes, as parteiras eram mulheres especializadas em ajudar outras mulheres a dar à luz. Mas essa especialidade era atribuída principalmente pela experiência que tinham. Geralmente, a sabedoria popular, as crenças mitológicas e outros fatores naturais compunham o repertório das parteiras do passado.

No entanto, ao longo do tempo, essa especialidade foi certificada a partir de uma perspectiva científica e social. Portanto, as parteiras não são mais apenas senhoras com muito conhecimento natural do processo de parto. Por isso, é possível que as mães possam consultá-las com qualquer tipo de dúvidas, assim como fazer um acompanhamento da maternidade de outras maneiras.

Parteiras consultoras de amamentação

das parteiras

O Internacional Board Certified Lactation Consultants, IBCLC (Consultoras Certificadas em Amamentação) certifica todo ano centenas de enfermeiras conhecidas como “parteiras”. Essa certificação permite que mais mulheres possam ser auxiliadas por pessoas especializadas em amamentação. Embora a amamentação seja um processo que ocorre de maneira natural e instintiva, às vezes precisa de certo estímulo e adaptação.

O trabalho das parteiras certificadas em consultoria de lactação é ensinar às novas mães os segredos desse processo, assim como aconselhá-las sobre técnicas que podem melhorar a prática. Essas consultas podem ser realizadas durante a fase pré-natal e pós-natal.

Uma mulher que amamenta pela primeira vez precisará de apoio em muitos sentidos. E mesmo aquelas com experiência podem se encontrar em situações diversas. Embora na maioria das vezes o processo ocorra normalmente, há mulheres que podem apresentar alguma dificuldade que requer a intervenção de um especialista.

As parteiras podem auxiliar na correção de problemas que podem aparecer durante o processo de amamentação. Tais problemas podem existir tanto por parte da mãe quanto por parte do bebê. Talvez a mãe tenha algum problema de saúde ou dúvidas sobre o processo. Mas também é possível que o bebê necessite de ajuda para se adaptar a esse novo sistema de alimentação.

Durante a consulta com as parteiras, as mães fornecem as informações necessárias para identificar o possível problema. Em consultas particulares, são realizadas sessões de pelo menos uma hora ou o necessário para avaliar métodos e técnicas que melhorem o procedimento. Também existe a possibilidade de realizar essas consultas em domicílio.

Quando a intervenção das parteiras é necessária?

das parteiras

Na maioria dos casos, as mães resolvem seus problemas em casa com os filhos, as mães, os parentes ou com a própria experiência. No entanto, há situações em que a intervenção especializada é necessária. Embora muitos desses problemas possam ser resolvidos por ginecologistas, às vezes se trata de um aspecto que exige a aplicação de métodos naturais, muita paciência e um alto grau de cumplicidade.

Muitas dessas parteiras certificadas podem ajudar por meio de sessões de cursos pré-natais. Elas ensinarão coisas que não sabemos que vai acontecer, além de aconselhar sobre a situação pela que estamos passando. Nem todas as alterações que a maternidade nos reserva podem ser reveladas em algumas sessões. Além disso, as parteiras garantem que várias informações não sejam esquecidas porque a maioria das mulheres estão particularmente focadas no momento do parto.

De qualquer forma, as consultas mais específicas e comuns têm a ver com o processo de amamentação. Entre as principais questões relacionadas estão:

  • Dor durante a amamentação, mamilos rachados ou mastite
  • Bebê que se nega a mamar
  • Problemas decorrentes de cirurgia, baixa produção de leite, perda de peso
  • Dúvida na extração de leite
  • Necessidade de se dedicar ao aleitamento materno exclusivo ou misto
  • Amamentação de gêmeos ou tandem (amamentação de crianças de diferentes idades)
  • Bebês com deficiência física (síndrome de Down, distúrbios neurológicos, lábio leporino, fenda palatina)
  • Nascimento prematuro
  • Asfixia ou refluxo
  • Desmame

Como você pode ver, o papel das parteiras vai muito além do que imaginávamos. Compreender isso pode facilitar quando mais precisamos.

Recomendados para você