O uso da cinta pós-parto é recomendável?

· 15 de abril de 2018
O uso de cintas pós-parto é muito popular, mas há quem ainda duvide de seus benefícios. Apesar disso, muitas mães recorrem a elas até conseguir recuperar o corpo que tinham antes da gravidez.

Um dos itens mais utilizados para perder peso após a gravidez é a cinta pós-parto. Sua popularidade não nos impede de perguntar: será que é recomendável?

Durante a gestação, o útero aumenta consideravelmente de tamanho e distende a parede abdominal, os tecidos e a pele. Quando chega o grande dia, o bebê nasce e o útero retorna ao seu tamanho original. O abdômen e os músculos permanecem distendidos, sem diminuir de tamanho tão rapidamente quanto a mãe gostaria.

Sua vida avança com passos decididos rumo à felicidade ao lado de seu bebê e isso supera facilmente as mudanças no seu corpo e no ambiente à sua volta. Apesar disso, as mães sempre querem ter tudo. Isto inclui o bebê mais lindo do mundo e o corpo que tinham nos tempos de solteira.

Recorrer a diferentes métodos de redução de peso, tais como dietas, suplementos e exercícios físicos são algumas das opções disponíveis para as mulheres que desejam recuperar o corpo de antes.

A ansiedade para recuperar o corpo de antes da gravidez aumenta com o passar do tempo, razão pela qual pode-se pensar que uma opção para alcançar este objetivo rapidamente seria a utilização de uma cinta pós-parto. Veremos, a seguir, até que ponto funciona assim.

Cintas pós-parto

São um tipo de cinta abdominal projetadas para moldar o corpo após o parto. Podem ser encontradas em diferentes modelos, cores e materiais.

Se o objetivo é afinar a cintura, a cinta com cintura alta é a mais apropriada. Os modelos com pernas acima ou abaixo dos joelhos ajudam a modelar coxas, glúteos e abdômen.

Em relação ao material utilizado na sua confecção, é possível encontrá-las em algodão ou em microfibra. Também é possível encontrá-las em material aveludado; estas são as mais apropriadas para evitar irritações na pele. Muitas delas são ajustáveis, já que possuem colchetes.

As cintas pós-parto mais flexíveis são as de microfibra; na hora de escolher o material, é recomendável decidir-se por um que evite o suor excessivo.

 

Vantagens da cinta pós-parto

Quando devo utilizar a cinta pós-parto?

Esta peça não deve ser utilizada imediatamente após dar à luz. Após ter o bebê de parto natural – parto vaginal – é recomendável esperar alguns dias para usar.

Antes de que termine o chamado resguardo, os músculos e o abdômen se encontram em uma postura mais anatômica, motivo pelo qual o seu uso é recomendável a partir de então.

A cinta pós-parto reforça a região lombar e melhora a estética corporal da mulher. Deste modo, a cinta contribui para que ela se sinta muito melhor por dentro e por fora.

As cintas pós-parto de cintura alta, sem pernas, são as mais recomendáveis para as mulheres que tiveram parto normal, já que não apertam a virilha e proporcionam uma postura mais confortável ao se sentar. Se o parto tiver sido por cesárea, as opções de cinta pós-parto são mais diversas.

Alguns especialistas opinam que seu uso é recomendável já que ajudam a cicatrizar e reduzir a inflamação; outros proíbem o uso até que o corte esteja bem cicatrizado.

Deve ser levado em conta o fato de que o uso das cintas pós-parto não é a única forma de recuperar o corpo de antes; o exercício físico e uma boa alimentação ajudarão a alcançar o resultado desejado no período de tempo ideal.

“As cintas pós-parto foram projetadas para moldar o corpo após o parto. Podem ser encontradas em diferentes modelos, cores e materiais”

Vantagens da cinta pós-parto

  • Corrige e ajuda a manter uma boa postura ao caminhar e sentar.
  • Ajuda os músculos e órgãos a se recuperarem de uma maneira rápida e natural.
  • Contribuem esteticamente.
  • Dependendo do material, são confortáveis em contato com a pele.
  • Diminui a sensação estranha de ausência do abdômen.
  • Alivia as dores.
Conselhos para o uso de cintas pós-parto

Desvantagens da cinta pós-parto

  • Usá-las de forma prolongada faz com que os músculos não trabalhem por si mesmos, enfraquecendo-os.
  • Podem provocar reações alérgicas e uma cicatrização mais lenta.

As cintas não fazem milagre, tudo vai depender de como era o corpo da mãe antes da gravidez. Além disso, a alimentação e a frequência e intensidade com que se exercite também serão determinantes.

Conselhos ao usar cintas pós-parto

É recomendável consultar o médico antes de usar uma cinta pós-parto. Ele poderá indicar qual é a mais indicada para cada paciente.

Após aprovada pelo médico, a frequência e a duração do uso devem ir aumentando progressivamente. Segundo a anatomia da mulher, se recomendará o tempo e a frequência de utilização. Usar em dias alternados é o ideal.

A medida perfeita para escolher o tamanho ideal é a da cintura. Não é recomendável utilizar cintas pós-parto muito pequenas: causam incômodo e não ficam bonitas.

Os exercícios físicos sempre são de grande ajuda para fortalecer os músculos e o períneo; assim como uma boa dieta com baixo teor de gordura e repleta de vitaminas e proteínas.

Recomendados para você